sexta-feira, dezembro 30, 2005

...

...falta qualquer coisa...

quinta-feira, dezembro 29, 2005

Imagens pré-concebidas...




Não existe coisa que me irrite mais do que terem uma imagem pré-concebida de mim, que não corresponde à realidade...

Mais ainda quando as pessoas convivem comigo e não se dão ao trabalho de ver o que é real e o que não é...

Não sou o tipo dos computadores..
Não sou o tipo dos vídeos...
Não sou o tipo preguiçoso...
Não sou o tipo maluco...

No entanto sou tudo isto.. mas sou bastante mais... sou o Pedro...

Estudo..

Gosto de..
..pizza..
..prever..
..liderar..
..ter piada..
..ser humilde..
..surpreender..
..dar nas vistas..
..discutir, (argumentar)..
..Stargate e Alias..
..Matrix, do Forrest Gump e do Ray..
..dizer o meu palavrão as vezes..

Sou..
..teimoso..
..irónico..
..estranho..
..justo, ou pelo menos tento ser..
..anormal, (no bom sentido...?!)..
..inconveniente, (menos do que devia)..
..tímido até certo ponto.. expansivo a partir dai..
..um incorrigível distraido, mas um inconfundível observador..

Não gosto..
..de alcool..
..de mandar..
..de tabaco..
..de me impor..
..de ser previsível..
..de pessoas com a mania da superioridade...

Gostava de..
..ser rico..
..ser mais culto..
..ser mais inteligente..

Tenho a mania..
..de escrever..
..que sou intelectual..

Já gostei mais..
..de ser adulto..
..de estar sozinho..
..de ser anti-social..
..de ter responsabilidades..

quarta-feira, dezembro 28, 2005

Sentido da vida...



Os animais vivem essencialmente para se reproduzirem.. até que ponto somos diferentes?

Extremismos...




Será que para termos fé temos que acreditar a 100%?

Será que para sermos verdadeiros a uma ideia temos que a afirmar sem qualquer excepção?

Será que nos temos que manter fieis a um principio sem "vergar"?

Até que ponto é saudável manter um "distanciamento" do que acreditamos para não nos tornarmos cegos?

Até que ponto é bom deixarmos de lado as ideias que temos que abrirmos a nossa mente a novas ideias, para assim, percebemos qual é a melhor para nós e de nós para os outros... Até que ponto é bom sermos tolerantes...sermos humanos?


Quando é que a rigidez de ideias se torna em fanatismo?

Quantas vezes já fizemos pessoas seguir-nos em caminhos que nós próprios não temos a certeza serem certos?

Quantas vezes já nos questionamos do que acreditamos, e porque acreditamos?

Quantas vezes já pensamos que bastaria nascer noutro ponto do globo e certamente a nossa religião seria diferente?

Quantas vezes já pensamos que a tolerância e o amor/amizade são o que nos faz conseguir conviver com todos os que nos rodeiam...

Quantas vezes já pensamos que sempre que afirmamos uma ideia podemos influênciar uma pessoa... seja para a fazer pensar.. ou para a fazer acreditar... ou para a fazer detestar... ou...

Quantas vezes pensamos o quanto necessitamos de ter amigos que pensam de maneira semelhante à nossa... e quantas pensamos que precisamos de ter ainda mais que pensam de maneira contrária...

A diferença de ideias e a partilha civilizada e refletida delas é a única maneira de uma sociedade avançada evoluir.. evoluir não ao nível do betão.. mas ao nível pessoal e cultural!

Pensativo e cuidadoso.. é o que sou antes de expor uma ideia... pois uma simples ideia pode mudar o mundo.. para o melhor ou o pior... será isto um exagero? Até que ponto Einstein com a ideia da relatividade mudou a nossa era? Até que ponto Jesus, Alá,Maomé... ou tantos outros "fundadores" de religiões mudaram as mentalidades, com a força de uma ideia?

E tu, pensas bem antes de falares e agires?

domingo, dezembro 25, 2005

Expressões...




Gostava de vos fazer, nesta quadra natalícia, reflectir sobre umas expressões:

- É um trinta e um.
- Faço-te num oito.
- Pareces um carapau de corrida.
- Não vejo a ponta de um corno.
- Isso fica no cú do Judas.
- Põe-te no olho da rua.
- Põe-te a pau.
- Desampara-me a loja.
- Dá corda aos sapatos e pira-te.
- Põe-te na alheta.
- Andar às aranhas.
- Ver passar navios.
- Dar nas vistas.
- Dia de S. Nunca à tarde.
- Mau, mau Maria.
- Vai pentear macacos.
- Estou feito ao bife.
- Esperto como um alho.
- Mandar uma boca.
- Crescer água na boca.
- Dedica-te à pesca.
- Olhos de carneiro mal morto.
- Parece um boi a olhar para um palácio.
- Troca-tintas.
- Estar nas tintas.
- Espalha-brasas.
- Passar pelas brasas.
- Levar água no bico.
- Qual quê, qual carapuça.
- Coisas do arco-da-velha.
- Há quem tenha lata para tudo.
- Fala-barato.
- Até à vista.
- Boa como o milho.
- Arrear o calhau.
- Mudar a água às azeitonas.

Por último e realçando...

- Tem um certo sainete.


Pedia às generosas pessoas que inventam estas coisas para.. PARAREM.. já chega, OK!?
Quem é que percebe o que raio é o arco da velha? Ou quem é que dá (porrada) nas vistas? Já p'ra não falar no sainete...

Como diria alguém.. básicos pá, básicos!

Ps: Eu não gosto de milho... p'ra próxima, se insistirem nisto, digam com algo que eu goste!

sábado, dezembro 24, 2005

Lai lai lai




Podia dizer Feliz natal e Bom Ano Novo, ou todas essas coisas, como já as disse, fica aqui o pensamento:

"Se o trenó tem 8 renas, e toda a gente sabe que tem 8 renas, então as outras 6 não conseguiam acabar a viagem? E as prendas? E a caixa negra do trenó?"

sexta-feira, dezembro 23, 2005

Crewcial - Será fé

Perguntam para onde vamos,
O que o destino nos reserva,
A incógnita permanece,
Lá em cima Deus preserva,
O desfeixo da nossa vida,
O futuro que nos espera,
E eis que à partida é a fé que nos conserva,
Do mal que nos atinge,
Mas a salvação restringe-se,
Ao dinheiro e não à fé que a igreja hoje exige,
Religião serve de véu para esconder as intenções,
Politicas, monetárias, aniquilam-se as nações,
Com Deus à la orgia, ouve lá funda-se o alicerce,
Das ditas guerras santas em que o hino sempre perece,
Em nome de Deus duplicam-se os conflitos,
Ninguém escapa o mundo enfraquece e treme como o Papa
Religião ou terrorismo, crença ou fanatismo,
Alimenta o ódio em homens e conduzindo-os para o abismo,
Acomoda-se o povo na ignorância do latim,
A mil e um amuletos para se socorrerem na agonia,
E todos querem pregar o quanto Deus é grande,
Quando só santos de pedra põem joelhos em sangue,
Em troca de um milagre quantos fazem sacrifício,
Quando mais não se trata de um deus fictício,
Padres no celibato convertem-se à poligamia,
Violando crianças em actos de pedofilia,
Cria-se hierarquia, em congregações,
Com promessas de mudança em troca de cifrões
Um deus para cada um, nasce uma nova divindade
Seremos bons servos, ou senhores da iniquidade…

Será fé ou acomodação, de cada interpretação,
Que suscita uma nova religião,
Se alguém nos leve e nos guie à submissão,
E adoração de deuses aceites por imposição,
Será fé ou aceitação de cada interpretação,
Que suscita uma nova religião,
Sem ripostar respondemos com obediência,
Por valores que nos são impostos por meio de intransigência,

Segundo Deus, de igual valor é todo o ser humano
Ouvem-se vozes de protesto em pleno o Vaticano,
Bispos europeus disputam a sucessão do padre,
Pretendido é um bispo negro, agora toda a gente ataca,
Enquanto o povo cultiva a esperança,
Igreja fomenta o preconceito, sentimentos de ódio e vingança,
Promessas de salvação, uma terra prometida,
E o suicida, em nome de deus sacrifica a vida,
Combate do século, Islão contra cristianismo,
Protestantismo defronta o catolicismo,
Então mais um massacre, que se leva a cabo,
Derramado o sangue regozija-se o diabo,
O povo agarra-se a estatuas, retratos para o seu sustento
Ouvindo heresias pregadas, dentro de cada templo
Seguindo fundadores de religiões sem fundamento,
Possuidores de fé passageira como o vento,
Louvam deuses humanos, não um deus celestial,
Porque é visível e palpável e muito mais real,
Ajusta-se um deus às necessidades, conveniências,
De cada um, consoante as exigências,
Homens de fé saciam a sua perversidade,
Em jovens catequistas pondo um termo à sua virgindade,
Humanidade devota, entregue ao pecado,
Julgando valorizar tudo quanto à mais sagrado,
Cultivando falsas crenças, falsas profecias,
Teremos vida eterna, ou será o fim dos nossos dias,
Falsas crenças, falsas profecias,
Teremos vida eterna, ou será o fim dos nossos dias,

Será fé ou acomodação de cada interpretação,
Que suscita uma nova religião,
Se alguém nos leve e nos guie à submissão,
E adoração de deuses aceites por imposição,
Será fé ou aceitação de cada interpretação,
Que suscita uma nova religião,
Sem ripostar respondemos com obediência,
Por valores que nos são impostos por meio de intransigência…

sábado, dezembro 17, 2005

Pensamento do dia

Sobre o nosso julgamento acerca de vida ou morte..


Alguns dos que vivem talvez mereçam morrer,
mas alguns dos que morrem merecem viver...

Também consegues dar-lhes a vida?

sexta-feira, dezembro 16, 2005

Arrepiante...

AVISO QUE AS IMAGENS SEGUINTES CONTÊM CENAS CHOCANTES E NÃO DEVEM SER VISTAS POR PESSOAS IMPRESSIONÁVEIS!

Cães e gatos mortos cruelmente pelo pêlo...

Flash retirado desta notícia.

quinta-feira, dezembro 15, 2005

O Crescimento...



Cresci... percebi que isso seria voltar a ser pequenino, simples e deixar de ser complicado.

Deixei de jogar, comecei a viver...

A vida não é triste, é triste é a forma como a vemos... aprendi, que aprender não é ser melhor que os outros, é ser humilde..

Aprendi que mais do que um olhar, um sorriso, e uma gargalhada, uma relação precisa de muita conversa e compreensão...

Percebi que não era "o que as outras pessoas me podiam oferecer", mas o que podíamos oferecer uns aos outros...

Percebi que liderar não é mandar.

Percebi que amar, não é estar apaixonado.

Percebi que não preciso de cem amigos, bastam dez... bastam cinco... bastam três.. verdadeiros amigos.

Percebi que o carácter não é o que fazemos quando alguém está a olhar, mas o que fazemos quando ninguém está.

Percebi que rir não é gozar e que fazer alguém sorrir é a melhor gratificação do mundo.

Percebi que a vida não se trata de onde chegamos, mas o que fazemos no caminho.

Percebi que viver é aprender, sonhar e amar....


[Este texto consiste na quinta parte do meu auto-retrato; as restantes partes poderás encontrar na secção Eu, subsecção Auto-Retrato da minha página pessoal.]

terça-feira, dezembro 06, 2005

Site Feed..

Activei à momentos o site feed por XML para que as, (poucas), pessoas que lêem este blog o possam fazer mais comodamente sem necessitarem de vir ver periodicamente a página...

Encontra-se agora um pequeno ícone no barra esquerda ao fundo, que contém o link do feed XML do blog, igual a este:

Entries Feed - XML


Isto permite a quem tem um leitor de RSS/XML que possa ser avisado que existe um novo post no blog ou mesmo ler o post sem ter que vir a esta página..

Eu gosto bastante deste sistema, e uso como interface o Mozilla Thunderbird por isso aconcelho-vos a experimentarem :-)

Mais informações aqui.

segunda-feira, dezembro 05, 2005

After-Xav



Pensamento retido: "As perguntas que não temos, têm resposta no silêncio que não fazemos."


Depois do primeiro After-Xav à 2 anos as expectativas presumiam-se altas para este segundo, assim sendo quando comecei os ensaios na introdução estava algo agitado... digamos que também não era para menos, os ensaios não estavam a correr exactamente bem.. mas pronto, depois de cavar à volta de uma tenda de circo os ensaios começam a ser algo a que ligamos menos...

Mas voltando ao assunto, comemorar os 500 anos do nascimento de Francisco Xavier entre amigos acho que foi uma das minhas apostas melhor ganhas dos últimos tempos!

A abertura, majestosa e surpreendente, até cavalos houve, os momentos de oração/consagração, o convivio, os brutalmente espectaculares powerpoints, as reflexões, os workshops (acho que não os podia ter escolhido melhor..), a vigília e a experiência de missão (que ainda agora acho que não consegui "digerir" totalmente).. e por fim a despedida em grande!

Ficam aqui algumas das coisas que foram ficando pela minha cabeça...







...Sábado - Workshops...



--> Workshop Missa de A-Z:

Este workshop foi uma missa explicada e seca, (ou seja não foi dada por um padre como uma missa "real", mas foi dada por um leigo exemplificando para explicar os vários aspectos.



--> Workshop de Relações (Namoro/Casamento...)

Resumindo algumas das coisas que me ficaram em alguns tópicos simples..

- Uma relação não é só rosas.

- O mais importante numa relação, para além de gostar da outra pessoa é falar.

- O que fica depois da paixão é a amizade e companheirismo.

- Não devemos tentar modificar a outra pessoa à força, devemos tentar aceita-la.

- Devemos ter espaços comuns mas também espaços privados... Não devemos obrigar a outra pessoa a fazer o que não gosta, no sentido de ir ao futebol connosco não gostando, sendo que nós adoramos... devemos dar liberdade de opção sempre.

- Devemos no entanto tentar ter actividades "fora de casa" comuns, praticar um desporto em conjunto, ser duma direcção de campos de férias, etc..

- Parar um bocadinho uma vez por mês para falar, um pouco o "ponto da relação" e como cada uma das pessoas está.

- Não vale a pena juntarmo-nos a uma pessoa, ir viver para uma casa comum se é "só para tentar", porque uma relação é feita de dificuldades e assim à primeira iremos abandonar a relação.

- Não casamos só com outra pessoa, casamos com a familia da outra pessoa também, por isso é importante conhece-la.

- A relação física é a certo ponto o evoluir da relação, e a certa altura um casal poderá sentir a necessidade de dar esse passo, estando ou não casado, sendo no entanto isto feito com consciência que tem um objectivo, o objectivo de tornar a relação mais forte, em direcção ao futuro.

- Quando tivermos uma discussão, que iremos ter, devemos falar, dar o "feedback" do que nós pensamos, passando um pouco a expressão: "só não falarmos quando a outra pessoa está a falar".




--> Sucesso e Humildade

Neste workshop durante a conversa foi nascendo em mim uma questão: "É-se feliz por ter sucesso ou tem-se sucesso por se ser feliz?"...

- Ser humilde não é ser "pequeno" é ser sincero.

- O conceito de sucesso é bastante subjectivo, o nosso próprio conceito de sucesso deve ser uma coisa que nós conduza à felicidade muito mais do que ao reconhecimento público.

- O sucesso em geral é considerado como uma medida de prestigio, não sendo no entanto essa a melhor "medida".

Em resposta à minha pergunta feita durante o workshop ficou uma possível resposta:
- Provavelmente estando felizes já estaremos à beira do "nosso sucesso", sucesso sem felicidade não tem sentido, pois as metas para as quais trabalhamos devem ser proporcionais à nossa felicidade quando as realizamos, ou então talvez não estejamos realmente a ter sucesso, pelo menos na sua verdadeira ascenção.





...Domingo - A Missão...


Num momento de oração o P. Carlos Carneiro sj propos que escolhecemos das missões que iriamos ter como propostas uma, olhando para a imagem do Cristo sorridente, sabendo que seria essa que faria sentido para nós... quando vi as várias propostas houve uma que me saltou à vista imediatamente...


"Prisão de Coimbra"

Algo me atraiu ali, entre as várias opções de visitar hospitais, pessoas idosas, e vários outros...

A escolha não se podia mostrar mais acertada, um pouco sem saber o que ia fazer, mas completamente motivado cheguei à prisão.. (já sem telemóvel, carteira.. etc - por sugestão dos jesuítas de os deixar na carrinha, algo que de inicio não me deixou muito confiante), a questão impunha-se, o que ia eu fazer à prisão de Coimbra, na qual já tinha passado por fora dos muros tantas vezes..

A resposta foi de inicio assustadora, ia para a prisão central, (aquela onde estão os presos com penas mais graves), falar com eles... várias coisas passaram pela minha cabeça: "O que vou falar com eles?", "Será que eles serão minimamente simpáticos?", "Será que lhes apetece mesmo falar com um bando de jovens?"..

Rápidamente tive uma lição em um capítulo sobre visitas a reclusos:
O que nunca fazer:
- Perguntar a eles porque é que eles estão ali.

O que fazer:
- Falar como se fala com um amigo, sobre desporto, sobre a prisão, sobre o que quisermos...


A visão foi algo arrepiante, a prisão digamos que tem um edificio bastante incomum, que vim a saber ter sido originalmente um mosteiro..

Depois de uma pequena visita guiada e de vermos alguns dos passatempos como peças feitas por eles para o teatro, foi a altura pela qual estavamos todos na espectativa, entramos num hall, eramos cerca de 15 pessoas e rapidamente vimos que cerca de 20 reclusos vieram ao nosso encontro, rapidamente o gelo quebrou com as apresentações deles, repletas de humor, que nos puseram muito à vontade e deram aso a conversas "1 para 1", a simpatia e humor daqueles homens, que mesmo estando presos à vários anos, nos receberam assim, é algo que tão cedo não esquecerei.

Ficaram alguns pensamentos sobre as prisões, como a droga as influência, a impossibilidade de criar amizades lá dentro, a tristeza da pouca reintegração social, a agora mais próxima realidade, a lição que não são só os "psicopatas doidinhos" que lá estão, mas que as vezes a droga levamo-nos para onde nunca julgariamos chegar .. a compreensão foi a lição que recebi daqueles homens e que agradeço.

Fiquei a perceber que na realidade a prisão em geral não reintegra, pune apenas, ou ainda leva aqueles homens e mulheres mais fundo do que quando eles ali entraram.. será mesmo a melhor opção?

Ficou a semente cá dentro, espero em breve ter outra oportunidade de repetir o voluntáriado, junto daqueles homens que afinal não são bestas como os julgava mesmo sem os conhecer, são na realidade seres humanos, como nós, com problemas, mas que continuam a ser seres humanos.



Carregado de emoções e com a noção que tinha aprendido muito naqueles 3 dias cheguei ao colégio e despedi-me...

E assim acabou o After-Xav..



Ficou-me um último pensamento: PIS: P. Fabro, Inácio de Loyola, Francisco Xavier.


Private-joke: "Então mas os sacanas nunca se lembram do Pedro, e porque raio é ele só beato?"

domingo, dezembro 04, 2005

Pensamento do dia

"A normalidade está tão longe dos valores de uma sociedade sã, que acaba por ser fatal, para sermos fiéis ao que acreditamos e somos, ser-se um grande anormal!"

Retirado do blog da minha amiga 'aprendiz' - "Ao Relento"

quarta-feira, novembro 30, 2005

Curiosidade do dia

Sabes de onde nasceu o nome Engenharia "Civil" ?

Na idade média havia apenas uma "engenharia" era a militar.. composta por militares como o nome diz e que tinha à sua responsabilidade a construção, defesa etc... Com o passar do tempo ela ramificou-se e a construção ficou ao cargo de não-militares.. ou seja civis... dai nasceu o nome Eng. Civil.

O Gang...

Todos os grupos acabam por ter um nome, e o meu grupo de amigos da faculdade não é excepção..

"O Gang da Fila de Trás"

Enfim, mais uma diarreia mental altamente patrocinada por mim...

Não deixem, (ou então deixem..), de nos visitar... www.GangDaFiladeTras.org

Ps: Já agora, o meu codename é Eng. Pedro... nem perguntem...

Private-joke: PIS para quando o nosso site?

terça-feira, novembro 29, 2005

Feedback - [Curso de Relações - Cap. II]

"Feedback"



1. 'Feedback' é uma palavra anglo-saxónicaque foi introduzida na gíria das relações humanas para definir um processo muito importante na vida de um grupo. Há várias tentativas de tradução: retorno,retro-alimentação, retrovisão, mecanismos de restituição ou retrocesso.

2. Usa-se sobretudo na electrónica e na astronáutica para denominar o mecanismo que regula os foguetões durante o vôo. A estação terrestre observa e recolhe informação do foguetão e, por sua vez, envia-lhe mensagens para que o foguetão siga a sua rota ou a corrija, se se está a desviar do caminho previsto.

3. A nós também nos acontece desviar-nos nas relações interpessoais. Por isso, é conveniente e útil aprender o mecanismo apropriado de Feedback, para nos podermos pôr de novo em órbita.

4. Em dinâmica de grupo, chama-se "Feedback" a uma forma de ajudar outra pessoa, (ou grupo), para que ela considere a possibilidade de mudança de comportamento e até de atitude, se ela quiser aprofundar as causas e trabalhar mais em profundidade. O "Feedback" faz-se comunincando de um modo verbal ou não a outra pessoa, (ou ao grupo), a nossa impressão acerda do seu comportamento e actuação.

5. O "Feedback" que oferecemos a uma pessoa pode ser utilizado para que ela toma maior consciência da maneira como atinge os outros e para a estimular a mudanças positivas de comportamento, sentimentos e atitudes, na medida do possível. Mas a informação do Feedback pode também ser útil a quem o oferece, porque lhe dá a oportunidade de verificar se foi desfocada a mensagem enviada. Além disso, cada um de nós pode, pela própria maneira de pensar ou de sentir, perceber de uma maneira distorcida o comportamento dos outros.

6. Aprende-se a conhecer a pessoa do mesmo modo que se aprende noutros domínios, ou seja, reagindo perante os seus estímulos. Nas relações interpessoais o estímulo é o próprio comportamento e o das pessoas que nos rodeiam.

7. Para perceber as consequências de um comportamento é preciso prestar atenção aos sentimentos que surgem em nós e nos outros, por influência do estímulo desse comportamento. Uma sensibilidade desenvolvida, capaz de perceber estas reacções emocionais, é importante na relação interpessoal.


Critérios para um "Feedback" construtivo

8. O Feedback útil e efectivo terá que ser mais descritivo que valorativo. Evitar o uso da linguagem valorativa, (a que manifesta juizos de valor sobre o comportamento de alguém), significa reduzir a necessidade de que a outra pessoa reaja de forma defensiva. O Feedback descritivo limita-se à comunicação da impressão pessoal que em nós produz o comportamento da outra pessoa.

9. O Feedback deve ser mais concreto que genérico, ou vago. Torna-se mais útil, para quem recebe o feedback, ouvir: 'naquela ocasião, quando estivemos a resolver aquele problema, pareceu-me que não trataste de ouvir o que os outros diziam. Senti as pessoas forçadas a seguir a tua opinião.'

10. Além disso, o Feedback deve ter mais em conta a necessidade de quem o recebe. Pode ser destrutivo quando só pretende satisfazer as necessidades de quem o oferece.

11. Deve dirigir-se, em quarto lugar, a um comportamento modificável. Quando apontamos uma limitação que a pessoa não pode controlar, só aumentamos, com isso, a sua frustração.

12. Deve oferecer-se com sentido de oportunidade. Em geral, é muito mais eficiente se se oferece imediatamente. No entanto, é preciso ter em conta que a pessoa, (ou grupo), estejam preparados para receber este Feedback, como também atender a outras circunstâncias que o poderiam tomar inoportuno.

13. Deve-se verificar se foi entendido exactamento o que se queria comunicar, (contra-feedback).

14. Tanto o que recebe como o que envia a mensagem devem verificar com todos, (no grupo), se esta é a impressão de uma só pessoa, ou se há outros membros do grupos que tiveram impressão idêntica. É muito importante que os outros membros do grupo que não tenham tido a mesma impressão a manifestem, sobretudo quando se trata de um Feedback negativo.

15. Em resumo, Feedback, é uma forma de oferecer ajuda, para que a pessoa possa verificar se as próprias intenções e atitudes têm expressão adequada através do seu comportamento concreto.

Federico Arvesú



Post-scriptum à 'teoria geral do Feedback'

a) É impossível oferecer o feedback ideal, devidamente programado e calculado. Por isso, é preferível aprender a refletir sobre o modo concreto como se costuma oferecer ou receber o feedback, para tentar modificar a partir do existente. Neste texto apresentam-se critérios para essa reflexão e não receitas para oferecer o feedback ideal. Aprende-se a 'feedbackar', 'feedbackando' e refletindo para modificar.

b) Oferecer um feedback é sempre fazer um investimento arriscado, porque aquilo que se comunica tem muito a ver com quem receber e com quem oferece. Mas deste investimento depende o progresso e a qualidade da relação. Se as pessoas se vão educando a oferecer e receber feedback, o grupo, (ou a relação a dois), cresce em confiança, em respeito mútuo, em capacidade de colaboração e de trabalho em equipa. Caso contrário, transforma-se num aglomerado de gente, como um fosso cada vez maior entre cada ilha...

c) A proporção entre o feedback de repreensão e o feedback de encorajamento dá autoridade a quem o oferece e favorece o sentido de justiça de quem o recebe.

d) O critério-base para receber um feedback: aprender a receber criticamente o que é dito criticamente também, (como quem usa o caixote do lixo...).

e) O calar também é um feedback. Convém distinguir o calar livre, (que contribui para que a relação se torne adulta), do calar não livre, sob a pressão da rolha do medo, (que tende a azedar).

f) O feedback é o grande instrumento para o progresso na relação, para ajudar as pessoas a reencontrarem-se depois dos desencontros que sempre acontecem, para corrigir situações deficientes na comunicação, (devidas a inibições, estados emotivos, bloqueios, conflitos, interferências, mal-entendidos...), uma vez que na comunicação humana nada pode estar já conseguido ou adquirido, à partida. O entendimento é fruto da maneira como se superam os desentendimentos e não é possível sem estes."

sexta-feira, novembro 25, 2005

Pensamento do dia

A força de um abraço ou duma palavra é mil vezes mais poderosa que a força de uma arma.

quinta-feira, novembro 24, 2005

Vídeo do dia

À semelhança do pensamento do dia, ou da imagem do dia resolvi agora postar o "Vídeo do dia", um espaço em que tento partilhar convosco vídeos que tenha achado interessantes, não aquele tipico vídeo para rir, mas algo que deixe marca..

Fica aqui o primeiro:

Kiss - Because I am a Girl <- Clica aqui para ver.

quarta-feira, novembro 23, 2005

Comunicação Técnica Profissional




Achei curioso deixar por aqui um exercício de comunicação oral que me deram numa cadeira de âmbito da comunicação...

O exercício consiste em ler o mais rápido possível, sem enganos com as pausas correctas e com as frases a serem perceptíveis...

Não paro
eu paro,
disparo
por vezes comparo
contornos
linguagens

Não paro
disparo
se paro
preparo
desvio
passagens

Disparo
disparo
não paro
e às vezes separo
as imagens
que perto do rio
são margens

------

Lá vai o rato
que pelitrapo
a fugir ao gato
pelo meio do mato,
dizendo gaiato:
- Ó mentecapto,
desta bem escapo!
Mas o gato
nada abstrato,
fim velhaco,
não dá cavaco.
Sem espalhafato
arranja um saco
feito de trapo
e um saca-trapo.
No mesmo acto,
encontra o sapo,
que ía para o Buçaco
e diz imediato:
- Ó meu beato,
pega-me do saco.
Não sejas pato!
Olha que te mato,
dou com o taco
ou com o sapato,
esfolo, escavaco,
faço num farrapo.
Pega-me no saco,
ganhas um pataco
comes um naco...
Vai o sapo,
pessoa de tacto
e de recato,
em seu monacato,
a evitar o pugilato,
pegou no saco.
E o gato
barbato
com o saca-trapo,
sapo que sapo,
tirou o rato
do buraco,
caverna de caco.
Depois, jeripapo,
o nosso gato,
sem se importar do sapo
todo timorato,
nada Viriato
com horror do facto,
dispensando prato,
sem guardanapo
nem aparato,
contente e guapo
mais que o Furtunato,
debaixo do cacto,
- Corpo di Bacco!
meteu-o no papo.

terça-feira, novembro 22, 2005

Pensamento do dia

Numa daquelas alturas em que se tenta arranjar desculpas, (para nós mesmos), para não fazer nada, (excepto coisas que gostamos), encontrei pela net uma frase que achei engraçada:

"Todos nós vivemos devorados pela necessidade de sermos amados, mas com medo da insegurança de amar"

Embora não seja o que sinto agora, fica o pensamento...

segunda-feira, novembro 21, 2005

Fim de Semana / Curso de Relações Humanas




Mais do que um curso, alias uma sensibilização, foi uma lição de vida!

Pensamento retido
: "Em tempo de desolação não se fazem mudanças"




Fica aqui uma pequena citação de algumas das coisas:

"Canalização dos sentimentos

1. A fonte principal de dificuldades no relacionamento interpessoal está nos sentimentos próprios e alheios. O que separa ou aproxima as pessoas não são as ideias, as opções politicas ou os credos religiosos diferentes...

2. No relaciomento com os outros é um facto que muitas vezes, infelizmente, tentamos prescindir ou negar os próprios sentimentos e não prestar atenção aos sentimentos dos outros. Contudo, todos experimentamos continuamente diferentes sentimentos...

3. Manifestamos mais facilmente uns sentimentos que outros. Depende do sentimento, da pessoa e do tempo em que surge. Por exemplo, não é muito difícil falar dos sentimentos que se teve para com uma pessoa no passado; exprimir sentimentos do presente a uma terceira pessoa é um pouco mais difícil; mais difícil ainda é dos sentimentos do passado sobre uma pessoa que temos em frente; porém, o mais difícil é manifestar os sentimentos do momento à própria pessoa que está diante de nós.

Daqui se pode concluir: é mais fácil falar dos sentimentos do passado ou do presente com uma terceira pessoa do que com aquela que se está directamente ligada a esses sentimentos; ou ainda, que os sentimentos do presente se exprimem mais dificilmente que os do passado.


4. Uns sentimentos são mais difíceis de aceitar e de manifestar que outros. É-nos mais difícil, por exemplo, manifestar que sentimos inveja do que manifestar que temos coragem. A atenção pode ou não fixar-se num sentimento concreto, porque é selectiva, também no que diz respeito aos sentimentos. É possível ainda aprender a ignorá-los e fixar a atenção noutra coisa.

5. Por exemplo: no escritório, o chefe não está satisfeito com o meu trabalho, e por esta razão sinto-me inferiorizado, incompetente, ofendido. Como isto é desagradável, não ligo aos meus sentimentos, coloco a atenção no meu chefe e penso (ou talvez até digo: 'é injusto, insensível, uma besta...'. Fixo a atenção na realidade exterior, (no chefe), ignoro a interior (as próprias emoções), deixo-a de lado, não lhe presto atenção, chego a reprimi-la, racionalizo.

6. Esta é a maneira clássica de adquirir o controle emocional. Esquecer as emoções, ou reprimi-las, não é caminho para as controlar e para se controlar. Passamos a ser dominados por aquilo que se quer ignorar. No exemplo proposto em (5), os sentimentos que tenho para com o meu chefe, (e que trato de esquecer), vão continuar a influir no meu comportamento, mesmo que eu não caia na conta dessa influência..."

7. 'Controlar' os sentimentos ou 'canaliza-los' não é ignorá-los ou esquecê-los, nem 'reprimir-los'. Nesta matéria, o primeiro grau de dificuldade aparece ao tentar manifestar os sentimentos, o segundo ao desejar admiti-los no campo da consciência, o terceiro ao desencadear o mecanismo psicológico defensivo, (mas incosciente), de repressão.

8. É preciso deixar os sentimentos no campo da atenção para ajuizar de um modo correcto sobre uma determinada situação, sobreo que é ou não "perigoso" para a pessoa que os experimenta. Os sentimentos são uma fonte de informação sobre a relação com o mundo que nos rodeia. Sem essa informação, metemo-nos no beco sem saída de querer resolver o problema dos nossos relacionamentos interpessoais sem ter os dados na mão.

9. Os sentimentos podem aflorar por manifestação directa: mudanças fisiológicas (como, por exemplo, corar de vergonha), por palavras, (como através da expressão 'cala-te estúpido'), ou por gestos, (nomeadamente um beijo, uma bofetada).

10. Mas os sentimentos também podem procurar a via indirecta de expressão, geralmente sob a forma de juízo moral ou de valor. O objecto da minha atenção passa a ser a pessoa do outro edeixo de ligar aos meus sentimentos. Por exemplo, em vez de dizer que me sinto mal por teres vindo para a mesa com as mãos por lavar, digo que és a criança mais porca cá do bairro...

11. Psicologicamente o ideal seria a expressão directa dos sentimentos. E a expressão directa manifesta duas coisas: que sou eu a pessoa que está envolvida neste caso concreto e que o sentimento está em mim. Por exemplo: 'tenho coragem'. Sou eu que tenho coragem e não disse nada de ti. Contudo, continua a dificuldade: não é fácil exprimir os próprios sentimentos...

12. E esta dificuldade aumenta, quando os sentimentos se acumulam e se articulam em cadeia. Por exemplo, sinto-me inferiorizado porque fiz mal um trabalho; sinto-me aborrecido comigo mesmo por me sentir inferiorizado; sinto-me perturbado por me sentir aborrecido; sinto-me deprimido por tudo isto... Na cadeia de sentimentos, não sabemos muitas vezes qualé o sentimento directo que provém do acontecimento. E é conveniente sabê-lo, para aprender a canalizar harmoniosamente os sentimentos.

13. Pode acontecer também que vários sentimentos se encontrem ao mesmo tempo. Por exemplo: uma pessoa de quem eu gosto e que ao mesmo tempo me fere com o que está a dizer ou com o que acaba de fazer. Será que estou ofendido? Mas essa pessoa é-me simpática! Resultado: não digo nada directamente, dou a entender indirectamente que não gostei e isto pode e costuma ser desconcertante para a outra pessoa...

14. Há sentimentos que se reprimem devido à conotação moralista, (ou pecaminosa), que lhe atribuimos: ciúmes, inveja, sexualidade, hostilidade...

15. Em resumo: é natural ter sentimentos e é preciso aceitá-los, sejam eles quais forem: solidão, alegria, tristeza, amor, inveja, angústia, ansiedade.. e isto é próprio do ser humano. É preciso edificar, mas sobre a realidade. Os sentimentos não são bons nem maus. E isto émuito importante frisá-lo! Os sentimentos são um sinal! O bem ou mal moral só aparece naquilo que passa ou depende da própria liberdade...

16. Em relação a outras pessoas, podemos distinguir sentimentos de consonância, (sintonia), e de dissonância, (aversão). A experiência de consonância indica segurança e liberdade em relação a uma pessoa, é sinal de que posso mudar de opinião, de que não preciso de me defender. Os sentimentos de dissonância são sinal de que algo anda mal no relacionamento com essa pessoa, de que é preciso esclarecer alguma coisa da minha parte, são um sinal de insegurança e falta de liberdade, de que preciso de me defender ou usar máscara. Se o não fizer, as consequências serão desagradáveis...

17. No relacionamento interpessoal, é imprescindível prestar atenção aos sentimentos dos outros, sobretudo quando são expressos demaneira indirecta. No momento oportuno, se possível e desejável, é conveniente aprender a exprimir os sentimentos de um modo directo, o que supõe sempre um investimento arriscado, mas que constitui o preço de uma ligação mais nítida e compreensiva, mais verdadeira e mais pessoal...

18. No relacionamento interpessoal, a linguagem mais importante é a que se emite através dos sentimentos. É precisamente este plano que ignoramos com frequência..."

Texto de Federico Arvesú sj e Aberto Brito sj


Ps: Obrigado, sim a ti...

segunda-feira, novembro 14, 2005

sábado, novembro 12, 2005

Pensamento do dia

A interpretação de uma frase ambígua, correctamente, é directamente proporcional ao quanto a pessoa, que leu, conhece a pessoa que escreveu.

sexta-feira, novembro 11, 2005

As coisas boas da vida...

01. Apaixonar-se.

02. Rir tanto até que as faces doam.

03. Um olhar especial.

04. Uma boa conversa.

05. Ver o sorriso e ouvir as gargalhadas dos amigos.

06. Uma chamada de longa distância.

07. Conduzir numa estrada linda.

08. Ouvir a nossa música preferida no rádio.

09. Ficar na cama a ouvir a chuva cair lá fora.

10. Rir de uma lembrança que vem à memória.

11. Toalhas quentes ao sairmos do banho.

12. Chamadas à meia noite que duram horas.

13. Receber correio.

14. A alegria de uma criança.

15. Haver alguem a mexer-te no cabelo.

16. Estar no nosso esconderijo secreto, mesmo que seja um sítio imaginário.

17. O primeiro beijo ( ou o primeiro ou o primeiro com nova namorada ).

18. Rir por nenhuma razão especial.

19. Fazer-se à estrada com amigos.

20. Ser criança para sempre.

21. Fazer alguém rir.

22. Um banho de espuma.

23. Rir-se de si mesmo.

24. Um chuveiro quente.

25. Fazer novos amigos ou passar o tempo com os velhos.

26. Rir baixinho.

27. Acordar e verificar que ainda há algumas horas para continuar a dormir.

28. Passar tempo com amigos íntimos.

29. Sonhar.

30. Encontrar por acaso um velho amigo e ver que algumas coisas (boas...ou más) nunca mudam.

31. O silêncio.

32. Andar de mão dada com quem gostamos.

33. O barulho de uma multidão alegre.

34. Brincar com o nosso animal de estimação.

35. Escrever...

36. O aroma de um perfume

37. Voar.. mesmo que seja apenas quando fechamos os olhos.

38. Ganhar um jogo renhido.

39. Balancear-se num balancé

40. O entusiasmo de "embarcar" numa viagem.

41. Ouvir acidentalmente alguem dizer bem de nós.

42. A alegria de regressar de uma viagem.

43. Observar o contentamento de alguem que está a abrir um presente que lhe ofereceste.

44. Alguém que te diz que és o máximo.

45. Fechar os olhos no topo de uma montanha e sentir o silêncio e o vento.

46. Embrulhar presentes sob a árvore de Natal comendo chocolates e bebendo a bebida favorita.

47. Trocar um olhar com um(a) desconhecido(a).

48. A praia e o pôr do sol.

49. O nascer do sol.

50. Levantar-se da cama todas as manhãs e agradecer outro belo dia.


(Isto é uma "versão" minha dum email que me enviaram, tentei apagar coisas que para mim não faziam tanto sentido, adicionar outras e reorganiza-las todas..)

sábado, novembro 05, 2005

Phoenix - Fénix



Tal como a mítica ave ultimamente sinto-me um pouco a renascer das cinzas..

Não no mau sentido, que tenha chegado às cinzas, mas no bom, no sentido de renascer, crescer e re-aprender...

Talvez me identifique também com esta "imagem" devido a minha atracção por anjos "negros"/sombrios (ver imagem do dia)...

No que estarei a tornar-me?



Post Script, vulgo PS: In the legend the phoenix was a bird which died in fire and from this fire, a new phoenix rose from the ashes.

quinta-feira, novembro 03, 2005

E-mail

Recebi à pouco este e-mail, em vez do habitual spam ou chainmail tinha uma mensagem interessante, assim achei que valia a pena partilhar convosco.

--------

Um casal de namorados estava indo para praia, desciam a serra numa moto em alta velocidade...

Rapariga: - Devagar! Tou com medo...
Rapaz: - Não! É divertido!
Rapariga: - Não é não! Por favor, tás-me a assustar!
Rapaz: -...... (silêncio)... Então dizes que me amas?
Rapariga: - Eu Amo-te!
Rapaz: - Agora abraça-me bem forte!
E a Rapariga abraçou-o...
Rapaz: - Podes-me tirar o meu capacete e colocar em ti? Tá-me a incomodar, quero sentir o vento no meu rosto...
E a Rapariga colocou o capacete.
No jornal do dia seguinte havia a seguinte notícia:
-"Uma moto bateu na serra devido à aparente perda de travões ou problemas no motor, um dos jovens não possuía capacete e morreu na hora, o outro está hospitalizado, mas já está em recuperação".

A verdade é que descendo a estrada, o rapaz percebeu que os travões haviam falhado e a queda era eminente, mas ele não queria que a rapariga soubesse e se desesperasse. Ao invés disso ele fez com que ela dissesse que o amava e sentiu seu abraço uma última vez, e a fez colocar o seu capacete para que ela pudesse viver, mesmo sabendo que por causa disso ele iria morrer...

E tu? A quem darias o capacete?

sábado, outubro 29, 2005

N-amor-ar


Tenho tido algumas conversas com alguns amigos sobre este assunto por motivos diversos, mas sobretudo devido a perguntar provenientes de raparigas sobre um ponto em especial, as atracção de um homem ou rapaz (como desejarem chamar...). Mas o que me despoletou a vontade de escrever este post para aqui foi ouvir... ouvir outro amigo partilhar com uma pessoa a mesma opinião que tenho e disso surgirem mais algumas opiniões...

Antes de mais, à que explicar o que para mim é namorar, para a partir dai basear as minhas restantes posições, isto será feito de um ponto de vista masculino, e desde já sem qualquer machismo e sem me estar a tentar desculpar, pois acho que temos de encarar a realidade como ela é:

Existem 2 tipos essenciais de atracção, no campo do "namoro", ou so called "namoro", obviamente, partindo da posição masculina temos uma quase "imposição" social, (e digamos que também fisicamente...), a beleza corporal/escultural, qualquer que seja o Q.I. ou personalidade, (isto também acontece com algumas mulheres, embora pessoalmente acredite que seja menos, ainda bem, já que acho que isto nem com os homens devia acontecer), ou seja, vemos uma mulher/rapariga, (vou usar a primeira pessoa do plural não tanto por me incluir neste perfil, mas por também ser homem), e devido a atracção fisica que um homem sente (e nisto incluo-me, e explico as mulheres que não é algo psicologico mas é sobretudo um efeito físico, algo que vocês não podem compreender simplesmente, pois não são homens/rapazes), o desejo intenso... alguns namoros são baseados nisto, uma atracção fisica mútua que dura por vezes pouco tempo, outras vezes muito ; Depois temos um outro tipo de atracção, que normalmente começa pela física (pelo menos da parte masculina), mas depois se torna também psicologica, formando uma ligação afectiva para-fisica.

Agora, deixo uma, ou várias, perguntas no ar, peço que pense nela(s) alguns segundos... "O que é para si traição? Um pensamento é? Então e se for um pensamento inconsciente, como um sonho? Será que um sonho é mesmo incosciente? Será que o ciúme é saudável, caso seja moderado?"

O que cria uma relação 'perfeita' ? ... é isto que me tenho perguntado

Pensamento do dia

Estive a pensar nas músicas que gosto, e porque gosto delas... a verdade é que acho que cada uma delas um um ponto ao qual chamo êxtase, (para mim é provavelmente a palavra mais adquada para o descrever), para qual toda a música converte.. é um relaxamento de todo o som num instante perfeito.. enfim.. divagações...

Portugal


É incrível, Portugal não me deixa de surpreender...

Qual é o país que elege uma pessoa quando ela volta depois de ser acusada de ter um 'saco azul' numa câmara e fugir para outro país?
Mais do que isso, que país a receberia como uma heroína? GRANDE PORTUGAL!

Gostei especialmente do testemunho das pessoas que deve ter votado nela:
"Ah, a mim a Dr. Fátima Felgueiras não roubou nada, isso foi à Câmara."

Eu ia jurar que os impostos que aquele senhor paga iam para a Câmara..mas isto sou eu, devo ser um 'ganda' maluco!

E como só uma, seria pouco para Portugal, quando fazemos merda, ao menos que seja em grande, ao menos entramos para o Guiness, elegemos logo aos três de cada vez, e assim também elegemos o Major Valentim Loureiro e o Dr. Isaltino Morais...

Força PORTUGAL!

AAC


Já ouviram falar de 25 de Abril...de 2005?

Pronto, esse deve ser, basicamente, o que os senhores que dirigem a Associação Académica de Coimbra, pensam que são os vários dias do ano... durante vários anos...

Aumenta a propina e pronto, não é de censurar que as pessoas fiquem meio de pé atrás, custa a qualquer pessoa dar 800€ sabendo que antes pagava metade... mas a verdade é que temos que pensar que era necessário, e mais do que protestar temos que exigir agora!

Exigir condições, exigir qualidade, exigir ensino superior!

O que me irrita nem é que as pessoas sejam contra, mas é a maneira como agem, discutir em assembleia magna se vão ou não p'ra frente da casa do reitor insulta-lo para mim é R-I-D-I-C-U-L-O. Eu pensava em coisas do género... quando tinha 10 anos.

Pela primeira vez tive vergonha do meio académico onde estou inserido, pelo menos sei que só metade da academia tem uma atitude tão parva e criança, basicamente aqueles que não devem ter mais nada que fazer...

Ir para Lisboa a uma manifestação sem a aderência de qualquer outra academia, achei que fosse uma coisa que fosse abrir os olhos.. mas não.. deve ser do Mário Soares se estar a candidatar que estas pessoas sentem o cheiro de revolução no ar...

Fica a ideia, "Exigir, não protestar", que provavelmente não fará qualquer diferença nas pequenas mentes que dirigem a AAC, mas enfim..

domingo, outubro 02, 2005

Paixão: Homens vs Mulheres

Durante este dias andei a tentar escrever um texto sobre paixão que me satisfizesse, a verdade é que não consegui, ora por estar cansado, ora por estar a tentar forçar a escrita sem estar inspirado para isso...

De qualquer modo vou aqui deixar um texto, já antigo, mas que acho bastante interessante e que explica bastante as diferenças entre as mentalidades de um homem e de uma mulher de uma bastante cómica...

Deixo apenas uma dica às mulheres... estejam atentas.. nem sempre o vosso grande amigo quer ser apenas isso... e não isso não acontece só com as outras pessoas...

"Até hoje pensava que a pior frase que podia ouvir de uma rapariga era: “Temos que falar...". Mas não! A pior frase de todas é: "Eu também gosto de ti...mas como amigo."

Isto significa que para ela tu és o mais simpático do mundo, aquele que melhor a compreende, o mais dedicado... mas nunca vai sair contigo.
Vai sair com um gajo nojento que apenas quer ir para a cama com ela. Ai sim, quando o outro lhe faça alguma das dele, ela chamar-te-á para te pedir conselhos. É como se fosses a uma entrevista de trabalho e te dissessem:" Você é a pessoa ideal para o posto, tem o melhor currículo, e o que está melhor preparado... mas não vamos contratá-lo. Vamos contratar um incompetente.
Só lhe pedimos uma coisa, quando esse gajo fizer asneira, podemos chamá-lo para nos tirar da embrulhada em que ele nos meteu?"
Eu pergunto: o que é que fiz mal?
Fomos ao cinema, rimo-nos, passámos horas em cafés... e depois de quantos cafés ficamos amigos de verdade? Depois de cinco? Seis? Com um café menos e tinha ido para a cama com ela!!
Para as mulheres, um amigo rege-se pelas mesmas normas de um Tampax: podem ir para a piscina com ele; podem montar a cavalo; dançar..., mas, a única coisa que não podem fazer com ele é ter relações sexuais.
Ainda por cima, bem vistas as coisas... se para uma mulher considerar-te "seu amigo" consiste em arruinar a tua vida sexual, o que fará ela com os inimigos?
A mim parece-me muito bem que sejamos amigos, o que não percebo é porque é que não podemos "ir para a cama como amigos".
Eu penso que a amizade entre homens e mulheres não existe, porque se existisse saber-se-ia.
O que acontece é que quando ela te diz que gosta de ti como amigo, para ela significa isso e ponto. Mas para ti não. Para ti quer dizer que se numa noite estão na praia, ela já com uns copos, está lua cheia, os planetas estão alinhados e um meteorito ameaça a Terra... podias muito bem ir para a cama com ela!!
Por isso engoles... Por isso nunca perdes a esperança. Ela sai com o Joe?
Isso vai acabar. E quando isso acontecer, tu atacas com a técnica de consolador: "Não chores, o Joe era um chulo.
Tu mereces muito melhor, alguém que te compreenda, alguém que esteja no sítio certo quando tu precisas, que seja baixito, que seja moreno, que não seja muito bonito, que se chame John...COMO EU!!"
Pelo menos, sendo amigo podes meter nojo para eliminar concorrência.
É a técnica da "lagarta nojenta". Quando ela te diz:

* Que simpático é o Paul, não é?
* O Paul? É muito simpático... só é pena ser um pouco estrábico.
* Ele não é estrábico, o que tem é um olhar muito ternurento.
* Sim, tens razão. No outro dia reparei nisso quando olhava para a Marta.
* Não estava a olhar para a Marta, estava a olhar para mim!
* Vês como é estrábico?

O cúmulo dos cúmulos é o facto dela considerar ter uma relação "super especial" contigo quando pode dormir na mesma cama sem que se passe nada.
COMO É QUE É??!!
Então o "super especial" não seria que se passasse algo?!
Um dia depois de uma festa, tu ficas a ajudá-la a limpar, como fazes SEMPRE, e quando acabam ela diz:

* UH! Que tarde. Porque é que não ficas cá a dormir?
* E onde é que durmo?
* Na minha cama.

Aí, até te tremem as pernas. "Esta é a minha noite, alinharam-se os planetas!".
"Vou ter que ficar de boxers.
Com todo o alinhamento de planetas que tenho em cima..." É, assim que te metes na cama, dobras os joelhos para dissimular. Ela mete-se na cama, dá-te uma palmada no rabo e diz-te "Até amanhã". E põe-se a dormir!
"COMO É QUE É??!!
Como é que se pode pôr no ronco tão cedo? E esta fulana não reza nem nada?"
Estás na cama com a rapariga dos teus sonhos. No início nem te atreves a mexer, para não tocar em nada.
Sabes que se nesse momento fizessem um concurso, ninguém te podia ganhar: és o gajo mais quente do mundo. E como é longa a noite! Vem-te á cabeça um monte de perguntas:
" Tocar uma mama com o ombro será de mau amigo?
E se é a mama que toca em mim?"
Mas depois de muitas horas, já só fazes uma pergunta:
"SEREI REALMENTE UM MANSO?!"

Não podes acreditar que estás na mesma cama e não se vai passar nada. Confias que, a qualquer altura, ela vai dar a volta e dizer "Anda lorpa, que já sofreste bastante. Possui-me!" Mas não.
Para as mulheres parece que nunca sofremos o suficiente. E como sofres... Porque tens todo o sangue do corpo acumulado no mesmo sítio. Já houve mesmo casos de homens que rebentaram.
Mas ainda não acabou a tua humilhação.
Ás 7 da manhã tocam á campainha:
* AH! É o Joe!
* O Joe? Mas ele não te tinha deixado?
* Depois conto-te tudo. Estou com pressa.
Esqueci-me de te dizer que o Joe ia trazer o cão. Como vamos á praia eu disse-lhe que ficando contigo o cão não podia estar em melhores mãos. Porque tu és um amigo! UH?! Estás com má cara. Dormiste bem?
"

by Jerry Seinfeld

sábado, setembro 17, 2005

Fanatismo ou fé?

Muitas vezes tenho alguma dúvida ao ver certo actos ao defini-los como fé ou fanatismo, até porque normalmente o julgamento de opinião sobre isto define-se pela sociedade onde estamos inseridos, e estando contido numa sociedade é algo difícil alienar-me... de qualquer maneira tentarei partilhar um pouco da minha reflexão sobre isto enquanto estava num momento de pausa e reflexão em Fátima..

A verdade é que me faz alguma, (BASTANTE), confusão os "sacrifícios", leia-se promessas, que algumas pessoas fazem para algo se realizar, ou por algo que se realizou...

A relação Deus-Pessoa que sempre conheci não é uma relação comercial, do tipo, olha Deus eu agora vou andar 100km de joelhos, a pão e água, destruir-me fisicamente... mas depois tu tens que me deixar rico ou curar a minha tia-avó!

Pessoalmente, e nisto reforço o PESSOALMENTE, acho isto algo ridículo.. se temos pernas para andar, qual o sentido de ir ao drástico de fazer uma peregrinação de joelhos. Bem isto cria outra questão, será que vale a pena fazer mesmo peregrinações?

Sinceramente, eu acho que vale, mas sendo que considerando a nossa saúde física e psicológica, e andando, ou por gosto pelo andar, (não acho que seja das melhores opções), ou então para chegar a algum sitio, (não só fisicamente, mas fazer uma reflexão e tomar consciencia de várias coisas durante a peregrinação física.. até porque, andar moderadamente faz bem)!

Um exemplo que acho brutalmente educativo e que me fez reflectir imenso foi quando num campo de férias me deixam a bastantes quilómetros do sitio de campo, mais 4 pessoas, com um cantil, sem dinheiro, sem comida e com um mapa com as indicações de às 20 horas (isto começou cerca das 10 horas da manhã), teríamos que estar no campo, mais tardar, e teríamos que percorrer pelo menos 5 horas de caminho a pé...

Ter que pedir comida pelas casas, sentir o não de barriga vazia e exaustos, junto com o desprezo ou a frieza das pessoas, ou então o oposto, a oferta do seu próprio almoço para dar aqueles "peregrinos", (nós).. a oferta de trabalho em troca de comida, ou pedir boleia na estrada para tentar avançar um pouco e chegar a tempo...

Passar para "o outro lado", deixar de sermos nós a quem as pessoas pedem, mas sermos nós a pedir foi uma grande lição de vida! Neste caso acho que a peregrinação foi justificada, não foi um negócio, não foi uma promessa, foi só uma lição diferente na sala de aulas da vida.

Mas retomando o assunto inicial... qual é a barreira lógica e que distingue a fé pura e dura do fanatismo religioso?

Quais são as atitudes que transformam a fé em fanatismo?

Serão as peregrinações "de mutilação ao corpo", regadas com hipocrisia o fanatismo da nossa cultura?

quarta-feira, setembro 14, 2005

Boas-vindas...

De uma vez por todas vou esclarecer uma coisa:

adj., que chegou bem;
bem acolhido à sua chegada.
(segundo a definição do dicionário de Língua Portuguesa)

...esta definição é da palavra BEM-VINDO(A).

Não é benvinda, não é bemvindo, é BEM-VINDO! E NÃO, NÃO se pode escrever das duas maneiras, pelo menos correctamente.

A maneira correcta de se escrever é: BEM-VINDO(A)!

Tenho dito...

terça-feira, setembro 13, 2005

Pensamento do dia

"Não existe nenhum vento que nos empurre quando não sabemos a direcção em que queremos ir."

Filósofo Grego

domingo, setembro 11, 2005

Fim de relações

Reflexão sobre a diferença entre o fim de uma relação declarada por um homem ou por uma mulher...

Um homem acaba uma relação quando tem a certeza que não gosta da mulher.

Uma mulher acaba uma relação quando não tem certeza se gosta do homem.

terça-feira, setembro 06, 2005

O que não é amor ?

" Já falou-se tanto em amor, amizade e paixão... Que tal falarmos o que não é amor?
Se você precisa de alguém para ser feliz, isso não é amor, É carência.
Se você tem ciúme, insegurança e faz qualquer coisa para conservar alguém ao seu lado, mesmo sabendo que não é amado, e ainda diz que confia nessa pessoa mas não nos outros, que lhe parecem todos rivais,isso não é amor. É falta de amor próprio.
Se você acredita que "ruim com ele(a), pior sem ele(a)", e sua vida fica vazia sem essa pessoa, não consegue se imaginar sozinho e mantém um relacionamento que já acabou só por que não tem vida própria e existe em função do outro, isso não é amor.É dependência.
Se você acha que o ser amado lhe pertence; sente-se dono(a) e senhor(a) de sua vida e de seu corpo; não lhe dá o direito de expressar, de ter escolhas, só para afirmar seu
domínio, isso não é amor. É egoísmo.
Se você não sente desejo; não se realiza sexualmente; prefere nem ter relações sexuais com essa pessoa, porém sente algum prazer em estar ao lado dela, isso não é amor. É amizade.
Se vocês discutem por qualquer motivo; morrem de ciúmes um do outroe brigam por qualquer coisa; nem sempre fazem os mesmos planos; discordam em diversas situações; não gostam de fazer as mesmas coisas ou ir aos mesmos lugares, mas sexualmente combinam perfeitamente, isso não é amor. É desejo.
Se seu coração palpita mais forte; o suor torna-se intenso; sua temperatura sobe e desce vertiginosamente , apenas em pensar na outra pessoa, isso não é amor. É paixão.

Depois de ter lido esse e-mail para uma pessoa ela me perguntou : Então, o que é o amor? Fiquei pensando muito no assunto e como sempre responderam pra mim. Terça feira na igreja o papelzinho da missa tinha o seguinte texto atrás...
Amar...
Um esposo foi visitar um sábio conselheiro e disse-lhe que já não amava sua esposa e que pensava em separar-se. O sábio escutou-o, olhou-o nos olhos e disse-lhe apenas uma palavra :
-Ame-a - E se calou
-Mas, já não sinto nada por ela! - Disse o esposo
-Ame-a - disse-lhe novamente o sábio.
Diante do desconcerto do esposo, depois de um breve silêncio, o sábio disse-lhe o seguinte:
"Amar é uma decisão, não um sentimento. Amar é dedicação e entrega. Amar é um verbo e o fruto dessa ação é o amor. O amor é um exercício de jardinagem: arranque o que faz mal, prepare o terreno, semeie, seja paciente,regue
e cuide. Esteja preparado porque haverá pragas, secas, ou excessos de chuvas, mas nem por isso abandone o seu jardim. Ame seu par, ou seja, aceite-o, valorize-o, respeite-o,dê-lhe afeto e ternura, admire-o e compreenda-o. Isso é tudo. Ame!" (...) A vida sem amor... não tem sentido!"

"'Se você precisa de muitas palavras para dizer o que pensa, pense mais um pouco" (Dennis Roch)

quinta-feira, setembro 01, 2005

Quase...

Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase.

É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.

Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou.

Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz.

A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.

Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.

O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.

Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém,preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.

Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo.

De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.

Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.

Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

(Autoria atribuída a Luís Fernando Veríssimo, mas que ele mesmo diz ser de Sarah Westphal Batista da Silva, na sua coluna do dia 31 de março de 2005 do jornal O Globo)

Canoagem!



Um dia a descer o Mondego com amigos!

quarta-feira, agosto 31, 2005

segunda-feira, agosto 29, 2005

Um texto...

“Depois de algum tempo aprendes a diferença, a subtil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E aprendes que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança.
E começas a aprender que beijos não são contratos e presentes, não são promessas. E começas a aceitar as tuas derrotas com a cabeça erguida e olhos a olhar em frente, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
E aprendes a construir todas as tuas estradas de hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair no meio do vão.
Após algum tempo aprendes que o sol queima se ficares exposto por muito tempo.
E aprendes que não importa o quanto tu te importas, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceitas que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-te de vez em quando e tu precisas perdoa-la por isso. Aprendes que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobres que se levam anos para construir a confiança e apenas segundos para destruí-la, e que podes fazer coisas num instante, das quais te arrependerás pelo resto da vida.
Aprendes que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E que o que importa não é o que tens na vida, mas quem tens na vida. E que bons amigos são a família que nos foi permitido escolher.
Aprendes que não temos que mudar de amigos se compreendermos que os amigos mudam, percebes que o teu melhor amigo e tu podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.
Descobres que as pessoas com quem tu mais te importas na vida são afastadas muito depressa – por isso, devemos sempre deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pois essa pode ser a última vez que as vemos.
Aprendes que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começas a aprender que não te deves comparar com os outros, mas com o melhor que podes ser.
Descobres que leva muito tempo para te transformares na pessoa que queres ser, e que o tempo é curto.
Aprendes que não importa onde já chegaste, mas onde estás a ir, mas se não sabes para onde estás a ir, qualquer lugar serve.
Aprendes que, ou controlas os teus actos ou eles te controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil é uma situação, existem sempre dois lados.
Aprendes que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as consequências.
Aprendes que a paciência requer muita prática.
Descobres que algumas vezes, a pessoa que tu esperas que te "dê pontapés" quando cais, é uma das poucas que te ajudam a levantar.
Aprendes que a maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que tiveste e o que aprendeste com eles, do que com quantos aniversários celebraste.
Aprendes que há mais dos teus pais em ti do que supunhas.
Aprendes que nunca se deve dizer a uma criança que sonhar é uma asneira, pois poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprendes que quando estás com raiva tens o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de seres cruel. Descobres que só porque alguém não ter ama do jeito que queres que ame, não significa que esse alguém não te ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso".

Shakespeare

domingo, julho 24, 2005

Pensamento do dia

"Um optimista pensa que vivemos no melhor mundo possível; Um pessímista teme que isso seja verdade."

terça-feira, julho 12, 2005

In my head...

Estava a procurar algo que pudesse simbolizar o meu estado de espirito actualmente...

Achei isto:

Vida ironicamente ironica....

Pensava que nunca poderia sentir algo pior do que já senti... estava enganado!

Sentir-me culpado de algo que não tive culpa conseguiu bater os meus recordes...

I'm really lost..

The really ironic thing is.. yes, I LOVE YOU.

Enfim..

segunda-feira, julho 11, 2005

Pensamento do dia



"You don't have to be crazy to be my friend...but it sure helps!"

A noite...

A noite cai...

Os pensamentos aceleram, as pessoas pouco as pouco desaparecem, consumidas pelo cansaço do dia... Eu mantenho-me acordado, de olhos abertos, no escuro... apetece-me conversar..

A ironia dos últimos dias apodera-se de mim, riu de mim mesmo...

A tranquilidade trazida pelo cansaço finalmente chega...
Fecho os olhos... amanha haverá mais...

quarta-feira, julho 06, 2005

Era uma vez um arrastão?

Há alguns dias deparei-me com um url num contacto de msn meu, www.eraumavezumarrastao.net, curioso por um nome tao invulgar fui ver...

Abram o vosso programa de video e abram a stream seguinte, [Caso seja o windows media player -> File -> Open URL.. ]

http://212.113.161.167/cbl/netmovingzone_site/be/arrastabb.wmv

Uma coisa para refletir..

Não deixa de ter um cheirinho a pseudo-conspiração @ USA...

Enfim, chamem-me Homem da Conspiração...

E de repente...

E de repente, sinto angustia... desejo não ter desejado.

Acabou. Esperança... medo...

Desejo não ter errado...
Desejo ter sido melhor...
Desejo não ter sido estúpido..

Perda..

Ciúmes ridiculos..

Revolta... interior..

Culpa..

Esperança..

Tranquilidade...

Olhar fixo, o futuro trará surpresas.. serão as que desejo?

segunda-feira, julho 04, 2005

terça-feira, junho 28, 2005

segunda-feira, junho 27, 2005

Facilidades

Como é fácil dizer, "vontade de Deus"...como é fácil dizer "estou a fazer a vontade de Deus"... "Deus quer.."

Como é fácil errar.

Como é fácil ser enganado pelos outros, ou por si mesmo.

Como é fácil ser cobarde e não assumir os actos, mas entregar a sua autoria a terceiros que (supostamente) nos influenciam.

Como é fácil ser parvo!

Como é fácil ficar cego!

quinta-feira, junho 23, 2005

Auto-Análise

Eu
Vejo-me como um pseudo-lider, uma pessoa com ideias, vontade, mas que devido à minha personalidade, (não ser sempre frontal para evitar "confrontos"; ou não opinar directamente numa altura especifica esperando para um momento que ache mais "adequado" para mais facilmente a ideia ser aceite), não sou sempre frontal, como tal não sou encarado como o pseudo-lider atrás referido.

O meu reflexo no espelho parece uma pessoa calma, com um equilibrio psicologico estremamente elevado e bastante dificil de perturbar, com ideias fixas e metas a atingir, sem sempre realmente refletir se a maneira como as atinge, (ou não), é a mais correcta, ou se a própria meta é em si correcta ;

Casmurro, sonhador, extremamente empenhado em projectos dos quais sinta que faço parte e que goste.

Custa-me ser criticado quando acho que não é real a critica (e as vezes mesmo quando sei que é real mas me custe a admitir), algo egoista, gosto bastante quando me vem as qualidades (e as vezes, (leia-se raramente), os defeitos e nunca duma forma que sinta como ofensiva, coisa que me irrita tremendamente).

Frio, calculista, alegre, e fechado para quem não me conhece.

Alegre, fiel e com uma forma original de viver para quem me conhece.

Dificilmente crio novas amizades, mas quando as crio, é para valer.

(Por vezes até tremendamente), egocentrico, se me "mimarem" conseguem tudo de mim (gosto de ter alguma atenção), se me pressionarem ou fizerem algo que me aborreça sou tremendamente dificil de "levar".

Eu.

quarta-feira, junho 22, 2005

Pensamento do dia

"Um homem é, acima de tudo, aquilo que esconde".

Exacto

A noite hoje está bonita. Gosto do céu, tem núvens e estrelas, gosto de as ver.
Hoje é um dia engraçado, marca um mês do que parece ser algo de bom para mim, é bom gostar-se e ser recompensado quando gostam de nós.

E hoje também me apercebi, muito mais que antes, que o dinheiro é o que move o mundo; Não era ingénuo, eu sabia, mas hoje senti. Senti quando não pude chegar ali e pedir um arranjo com flores bonitas, meras flores, que pouca utilidade têm se não suavizar o ar com cheiros e despertar emoções fortes dentro de uma menina.

A noite é bonita, e é pena estar em casa. É bonita e está calor, leves brisas pairam no ar seguindo trajectórias incertas e refrescando o nosso corpo suado. Gostava mais de estar lá fora, contigo, dizer-te que te amo, ouvir que me amas, e fazermos amor durante toda a noite, debaixo do céu, como é nossa preferência.

E correr na praia, correr feitos parvos sem objectivo, apenas correr por correr, gostar de correr e querer correr. Sem qualquer preocupação corriamos, rebolavamos na areia, ficavamos inundados de grãos, olhariamos o céu estafados, dariamos as mãos e pensavamos, cada um para si "como é bom este momento, como é bom passá-lo contigo".

A tua cara de desejo desperta-me o mais querido e mais selvagem que há em mim, jamais tinha visto tal expressão tão ternurenta e ao mesmo tempo tão louca de desejo. *click*
Estou apaixonado por ti, meu amor.

sábado, junho 18, 2005

Pseudo-Atritos

Se há coisa que me irrita é quando alguém me põe um rótulo, especialmente quando esse rótulo menciona uma característica, (seja boa ou má), que eu não tenho piorando exponencialmente o meu grau de irritação, quando esse rótulo não muda por muito que eu demonstre o contrário.

Enfim, sou parvo por me calar para evitar confusões, e sou parvo por me deixar afectar, ao menos dêem-me o rótulo de parvo, assenta-me bem.

Goin' to bed, to avoid thinking about it..

sábado, junho 04, 2005

Piada do dia

Sabem porque é que os portugueses em geral são depressivos?

Porque há 6 milhões de benfiquistas...

domingo, maio 29, 2005

Pensamento do dia

Com febras e futebol se entretem 10 milhões de pessoas.

.oO(..nem os romanos tiveram a mesma capacidade com o pão e circo...)Oo.

sexta-feira, maio 06, 2005

Praxe @ Coimbra



A tradição e poder que exerce ainda hoje sobre todos os alunos da universidade de coimbra, uns que de facto se sentem dentro da universidade e responsáveis por transportar para o futuro toda a história de Coimbra, ou os "anti-praxe" que são contra o traje e a praxe, é inegável..por muito que digamos a praxe, muito ou pouco, bem ou mal, toca-nos a todos: estudantes de Coimbra.

Ao contrário do que muitos pensam, provavelmente porque nunca conheceram ou viveram a VERDADEIRA praxe, ela não serve como qualquer forma de poder ou vingança dos novos-doutores sobre os caloiros, mas como forma de acolhimento com regras bem definidas e com opção de recusa ou declaração de "anti-praxe" a qualquer momento.

Quantos de nós com os nossos amigos mais próximos não fazemos brincadeiras, palhaçadas e tantas outras coisas que provavelmente com gente menos próximas nunca fariamos... É sobre isso que a praxe é, a partilha de situações, momentos e sentimentos, sentirmo-nos à vontade com os doutores e os outros caloiros que nos acolhem e passam a ser parte do nosso dia-à-dia, vivermos as mesmas coisas que provavelmente outros caloiros viveram à cem ou duzentos anos, doutra forma, pois o tempo não deixa tudo igual, a praxe evolui e adapta-se, devemos respeitar a tradição, mas também perceber que o tempo passa...

Ao contrário do que muitos fazem da praxe, ela não é feita de alcool e noite, pode conter isso, mas é apenas uma pequena parte, e o traje não deve ser posto só para esta pequena parte, o traje é o simbolo de igualdade entre estudantes, e orgulho por pertencermos a esta universidade.

Toda a hierarquia de praxe é feita para que os mais velhos orientem os recém-chegados, e mesmo os doutores (e recém-doutores digo semi-putos, putos...), bem como as trupes têm como ideal que os caloiros e mesmo os doutores evitem uma vida não muito propicia ao estudo, sendo que há dias específicos onde não podem sequer haver trupes deixando espaço não só para o estudo obviamente mas também para a diversão..

As praxes engraçadas, o padrinho, a Latada com a roupa caracterizada, a Serenata e o traçar da capa, a queima, os momentos de risada, os momentos de entre-ajuda, as praxes inesperadas, (a fuga às) trupes, a tunas, os fados (sem bater palmas)...

Embora com o passar do tempo a praxe tenha ficado com alguma má fama devido a algumas pessoas que nada sabiam sobre a praxe ou cumpriam ela foi e ainda é a marca da nossa cidade, Coimbra, cidade dos estudantes, como ouvi na serenata.. "Coimbra é nossa e há-de ser, Coimbra é nossa até morrer..."

Aceitamos os anti-praxe pedindo apenas que eles também nos aceitem, opiniões são pessoais! Antes de qualquer trupe rapar o cabelo ou aplicar qualquer sansão é perguntado à pessoa se ela não se quer declarar anti-praxe e se compreende as implicações de responder não... quem vive a tradição vive-a com orgulho, tanto a praxar, como a ser praxado se esse for o caso!

Não passou de moda, pois nunca foi uma moda, não vai desaparecer, vai continuar a viver, com vida própria...

Trajo com orgulho, tento aprender com os que me precederam, respiro a história de uma universidade que é diferente, vivo entre os trajados de negro, vivo a PRAXE!

sábado, abril 09, 2005

Nudismo, ofensa ao pudor ou liberdade?

Ainda há pouco tempo tive uma grande conversa com alguns amigos sobre este tema, que na minha opinião foi, naquela altura, representativo de tantos outros temas que podia ter levantado sobre a vida em sociedade e as liberdades nesta...

Antes de mais gostaria de expor a minha posição sobre a vida e liberdade em sociedade, ora bem, como creio que todos irão concordar comigo, a vida em sociedade é restringida por algumas normas que fazem com que a nossa liberdade não restrinja a liberdade e vida de outras pessoas de um modo negativo deixando-nos no entanto o espaço para darmos a nossa opinião e tomarmos acções de todo o tipo, citando o dicionário:

Liberty

1. The condition of being free from restriction or control.
2. The right and power to act, believe, or express oneself in a manner of one's own choosing.
3. The condition of being physically and legally free from confinement, servitude, or forced labor.

Ora bem, assim sendo, é visível que o proprio principio de liberdade é a acção social livre não-agressiva e harmoniosa, sem que mesmo assim deixem de haver posições contrárias. Ora bem partindo deste pressuposto, e sabendo que Portugal é um país com a liberdade em vigor podemos dizer que caso não tenhamos uma atitude ofensiva ou de qualquer modo prejudicial ou maliciosa para com qualquer outro individuo deste planeta não estamos a violar os seus direitos, logo, estamos dentro da nossa liberdade de expressão.

Tendo isto em mente, intencionalmente, pus o tópico em discussão... como eu espera muitas das pessoas mostraram-se contra o que eu chamei "o direito de uma pessoa passear nua pela rua" argumentando que isto seria de algum modo ofensivo devido à nossa cultura e que a nudez poderia trazer efeitos-causa que não seria totalmente desejados, especialmente do tipo físico, pois seria embaraçante ver uma mulher "bonita" nua a passar por um de nós na rua, pois o "meio social" que nos rodeia e a nossa educação dita que não o deve ser feito..

Ora bem, não deixando de respeitar tal opinião não pode deixar de discordar, pois tal como perguntei de seguida, "Onde é que está o constrangimento, não é aqui na cabeça de cada um?" ao que me responderam que "sim... mas..."...

A conclusão que tou a tentar chegar é que acredito que por exemplo o nudismo em público é um direito, não uma ofensa ao pudor da sociedade, nascemos nús, temos sexualidade, não é uma coisa que deve ser escondida, ou reprimida, até porque isso tem efeitos radicalmente negativos, e não podemos fixar a nossa mentalidade no sitio em que nos encontramos, isso embora de inicio pareça ter sentido se pensarem bem não tem... imaginem que vamos para um país muçulmano onde as mulheres, por principio, cobre todo o corpo menos os olhos... ora bem, será que vamos mudar a nossa mentalidade e achar que é ofensivo não andar uma mulher toda coberta? E obviamente não estou a falar em sitios de "oração" porque não estou a falar em religiões nem em igrejas, nem templos, tou a falar em vida em sociedade e em sítios públicos multi-culturais...

Será mesmo que alguém nu vos ofende de algum modo ou constrange de modo a causar-vos um efeito negativo?

Se acham mesmo que andar nú não é uma liberdade nossa... acho mesmo que ainda temos muito que andar até realmente evoluirmos...

Porque não consigo escrever um livro...

Tenho um limite psicológico para a quantidade de texto que consigo escrever por iniciativa própria, mesmo que quando tenho vontade de escrever, sendo que após escrever entre uma a três páginas de texto deixo de controlar a velocidade do meu pensamento e ultrapasso largamente a velocidade da escrita.

Um livro meu tem que primar pela diferença na própria escrita, para eu ficar satisfeito. Ao ler tem que ter algo de tão especial que se reconhece o escritor sem se ter informação sobre quem ele é, pela positiva, sendo uma mistura ainda não totalmente idealizada de factos, humor, aventura e reflexões...

Quem sabe um dia...

sexta-feira, abril 08, 2005

Pensamento do dia

"Eles riem-se de mim porque eu sou diferente mas eu rio-me deles porque eles são todos iguais!"

segunda-feira, março 21, 2005

O que move o mundo?

Já me perguntei bastantes vezes isto, e respondi a mim mesmo bastantes coisas diferentes, mas a verdade é que as respostas são bastante limitadas, e o dinheiro não se inclui nelas.

De facto, na vida existe apenas um grande motor, acreditem ou não se pensarem bem verão que o sexo é na verdade o maior motor para acções, boas ou más, alias, nem deveria estar a fazer um juizo de valor das acções, quaisquer que sejam elas.

De qualquer modo, enquanto lês isto deves estar a abanar a cabeça e pensar contigo mesmo que sou um rebarbado qualquer, por isso passo a explicar... através das várias reflexões que tive até grande parte das acções notórias que se dizem "religiosas" tem a ver que sexo, ou qualquer apelo sexual. Um exemplo simples, grande parte dos muçulmanos que se tornam homens-bomba fazem-no pelo que é prometido devido a esse "sacrificio", isto é "ir para o paraiso onde estaram 30 VIRGENS DE OLHOS ESCUROS E QUE NUNCA TERÃO O PERIODO" (epóca em que não é permitido pela religião que os homens se aproximem de forma sexual das mulheres).

Mas sim, a minha teoria tem uma falha, o amor... e como todos os paradigmas eu poderias apresentar uma explicação que fosse logicamente correcta para o amor derivar directamente de uma atracção sexual, mas não o vou fazer, prefiro que quem quer que leia isto o faça por si próprio, apenas pretendo que quem quer que esteja a ler isto tenha em conta que todas as ideias que tem dogmáticas, do tipo do amor, fé, etc..são altamente influências pela geração em que está, e pelas pessoas que o cercam. Seria impensável à alguns séculos atrás a mulher escolher o homem com o qual iria passar toda a sua vida...

Eu como apaixonado pela história antiga, também gostava de partilhar convosco algumas das coisas que tenho aprendido, e as quais me tem apanhado de surpresa, mas que cada vez mais tem feito sentido... e se lhe disser que na cidade do Vaticano o sitio que homenageia Maria, mão de Jesus era na verdade antes um templo à deusa mãe da antiga cultura que ali era adorada antes do cristianismo? Isto parece bastante diferente do tema que comecei por abordar, mas após uma breve reflexão é fácil de compreender como a história e a mente humana são capazes de distorcer, ou mais correctamente, alterar segundo padrões actuais as ideologias anteriores a elas.

Assim deixo uma pergunta, será que o amor não é mesmo uma derivação da forte atracção sexual entre duas pessoas? E não se engane, por sexual não me refiro de todo apenas ao corpo e beleza, mas a toda a co-relação entre beleza-atitude e personalidade que transbordam quando vemos uma pessoa, conhecemos uma pessoa... amamos uma pessoa...

Talvez esteja errado, de certo que muitos dos poucos que lerem isto dirão que sou doido, se for do sexo feminino irá dizer que estou a simplificar relações até um pouco que não são simplificáveis, ou não deveriam ser... talvez seja assim... mas sou um observador e pensador por natureza e tal como evito ao mínimo os meus reflexos interiores de inteligencia, loucura, e todos os outros, também nunca reprimirei os de reflexão e abstracção...

Sometimes i think i just wish i could fly, i would love to be an angel.. but possible i'm just schrizophenic... or simply a fool insane...

sábado, março 19, 2005

Pergunta do dia

Será que os pilotos de um jacto a velocidade acima do som se deixam se ouvir a si próprios tal como deixam de ouvir os motores do jacto?
If you ever feel like you're gonna fall - oh i'll be there
and if you ever feel down or feel small - oh don't despair
and if you ever feel lost or feel alone - babe c'mon home

lets just make love - all night
lets just hold on - so tight
lets make it last - for life

i won't let you go
ya we're flying - feels just like flying
we're such a long way up - from the ground
just u and me flying - so high 'n i'm never gonna come down
every time you turn around and wanna run - oh come to me
when every little dream comes undone - oh don't worry

lets just make love - all night
lets just hold on - so tight
lets make it last - for life

i won't let you go
ya we're flying so high and...
we're never gonna come down... you and me


Bryan Adams - Flying

domingo, março 13, 2005

sábado, março 12, 2005

Não posso/quero acreditar...

Não posso/quero acreditar..

...num Deus que castiga.

...em Jesus que num juizo final separa bons e pecadores.

...num sitio a que chamam inferno.

...num Deus que pede a um pai para matar o filho.

...num Deus que anaquila um planeta excepto uma arca.

...numa igreja que por algum motivo tem milhões de euros enquanto gente morre à fome.

...numa igreja que esconde os seus arquivos.

...numa igreja que não confia no seu "povo" ao ponto de "proibir" o uso do preservativo por este levar a "falso sentido de segurança em relações não correctas".

...numa biblia que foi readaptada através dos tempos conforme as "necessidades" dos governantes e cleros de cada altura!

...numa raça que é dita "superior" e que anaquila, pouco a pouco, todas as outras até a si mesma.

...numa igreja que se acomoda e prefere manter datas de festejos provavelmente falsas que substituiram outras de outros cultos a investigar e descobrir uma possível verdade.

...em não "pecar" por medo de punições "after-live".

...num santuária no sitio de uma aparição que é um centro de capitalismo e sucção de dinheiro aos seus visitantes.




ACREDITO SIM...

...num Deus com compaixão!

...numa pessoa que existiu sem qualquer dúvida, Jesus, que admiro!

...nos gestos de amor!

...numa alma limpa!

...na paz!

...na amizade!

...na vida!

...numa busca eterna pela verdade interior, procurando também a verdade histórica!

...num sorriso!

...num olhar!

...na tranquilidade/felicidade ao dormir!

...no dar sem esperar receber!

...numa igreja transparente!


...


Acredito sobretudo em sitios como Taizé...e em alguns amigos como tenho a sorte de ter... e acredito que podemos ouvir o que existe para além de nós, basta fechar os olhos e ouvir...!

quarta-feira, março 09, 2005

Irrita-me...

Irrita-me...

...não ser valorizado pelo trabalho que faço.

...merecer algo e não o receber.

...ver alguém que não se esforça por algo receber, enquanto eu me esforço e nada.

...apetece-me mandar alguém à merda e não poder pelo seu "estatuto" perante mim.

...ver gente a ser injustiçada.

...gente ignorante e que não aceita outras opiniões senão a deles próprios.

...gente que tem o rei na barriga.

...gente que é "má"... ou pensa que é.

...gente que vive para não deixar viver.

...gente que me tenta influênciar.

...gente que me influência sem eu notar.

...gente que fica escandalizada quando digo "merda".

...gente que só faz *merda* e depois vem dar lições de moral.

...gente que é mais calculista que eu.

...gente *inocente* demais.

...gente *inocente* a menos.

...gente que distorce informação.

...gente que não aceita que errou.

...quem faz algo porque alguém também o fez.

...quem se preocupa muito com a aparencia fisica e pouco com a intelectual.

...gente que eu não consigo irritar quando quero.

...gente que não aceita entrar numa boa *discussão*.

...alguém que desiste a meio de uma *discussão*.

...irritar-me!

sexta-feira, fevereiro 25, 2005

Sed Praxis Dura Praxis

O Traje Académico, além de ser «uniforme» do estudante universitário, simboliza a igualdade entre todos os estudantes. De Capa e Batina, não existem distinções entre pobres e ricos. Todos são iguais. A única forma de alguém se evidenciar é através do uso da inteligência, pois de traje não se podem usar enfeites para chamar a atenção. Estando de Capa e Batina, o estudante é levado a desenvolver mais fortemente a sua personalidade e tornar-se mais sólido.
I dumped you again
I don't understand
It's happened before
Can't take it no more

These foolish games
Always end up in confusion
I'll take you back
Just to leave you once again

I died in my dreams
What's that supposed to mean?
Got lost in the fire
I died in my dreams
Reaching out for your hand
My fatal desire

I've failed you again
'cause I let you stay
I used to pretend
That I felt ok

Just one big lie
Such a perfect illusion
I made you mine
Just to hurt you once again

I died in my dreams
What's that supposed to mean?
Got lost in the fire
I died in my dreams
Reaching out for your hand
My fatal desire

Ohh ohh


The Rasmus - Funeral Song

quarta-feira, fevereiro 23, 2005

terça-feira, fevereiro 22, 2005

O sorriso... vejo-a à distância.. quero-a... tenho-a.. amo-a...deixo-a... expludo.. vivo! Será que vivo mesmo?

Desejo-a.. sonho.. suspiro... choro.. lamento-me...porque? Respiro! CALMA!

Tremo... sou doente... sou visionário... sou louco... sou iluminado.. sou um azarado!

Cheguei.. vi.. venci e renasci... SENTI.. contorço-me, louco de dor, algo está mal... algo está bem... é tudo estranho demais...

Escondo-me... já não existo... alguma vez existi?... pensei... existi.. sofri?

Ri.. que felicidade... que tristeza..

Asas... ar.. voar.. liberdade... fechos os olhos... o vento.. relaxo.. tudo está bem... tudo está igual... tudo sempre ficará igual...

segunda-feira, janeiro 17, 2005

E..

E é assim que tudo começa, é bonito às vezes, outras é apenas normal. Visto de fora parece tudo belo, mas estamos mais longe do que aparenta. E assumi a minha face escondida no fundo do meu ser e consegui vencer as adversidades que se me opunham.
Tanta conversa, tanto olhar quando no fundo só é preciso um pequeno e firme toque. A segurança de nunca acumula-se e somos invuneráveis e então sorrimos.
Não sorrimos demasiado pois a efemeridade da vida atinge-nos de forma sistematica, ainda que não constantemente, onde nos dói mais.
Tudo parece vão quando olhamos para trás e nos vemos, vemos um anterior eu, que no fundo é igual mas mostrava-se diferente. E diferente não significa mau, mas apenas isso mesmo. O mundo é mais abstracto do que palpamos e tudo acaba e nem chegou efectivamente a começar. Desenvolvem-se laços mas não duram muito mais que um tempo mínimo onde o tempo equivale a nada. E assim termina tudo o que começa e eventualmente acabamos por morrer.