terça-feira, novembro 29, 2005

Feedback - [Curso de Relações - Cap. II]

"Feedback"



1. 'Feedback' é uma palavra anglo-saxónicaque foi introduzida na gíria das relações humanas para definir um processo muito importante na vida de um grupo. Há várias tentativas de tradução: retorno,retro-alimentação, retrovisão, mecanismos de restituição ou retrocesso.

2. Usa-se sobretudo na electrónica e na astronáutica para denominar o mecanismo que regula os foguetões durante o vôo. A estação terrestre observa e recolhe informação do foguetão e, por sua vez, envia-lhe mensagens para que o foguetão siga a sua rota ou a corrija, se se está a desviar do caminho previsto.

3. A nós também nos acontece desviar-nos nas relações interpessoais. Por isso, é conveniente e útil aprender o mecanismo apropriado de Feedback, para nos podermos pôr de novo em órbita.

4. Em dinâmica de grupo, chama-se "Feedback" a uma forma de ajudar outra pessoa, (ou grupo), para que ela considere a possibilidade de mudança de comportamento e até de atitude, se ela quiser aprofundar as causas e trabalhar mais em profundidade. O "Feedback" faz-se comunincando de um modo verbal ou não a outra pessoa, (ou ao grupo), a nossa impressão acerda do seu comportamento e actuação.

5. O "Feedback" que oferecemos a uma pessoa pode ser utilizado para que ela toma maior consciência da maneira como atinge os outros e para a estimular a mudanças positivas de comportamento, sentimentos e atitudes, na medida do possível. Mas a informação do Feedback pode também ser útil a quem o oferece, porque lhe dá a oportunidade de verificar se foi desfocada a mensagem enviada. Além disso, cada um de nós pode, pela própria maneira de pensar ou de sentir, perceber de uma maneira distorcida o comportamento dos outros.

6. Aprende-se a conhecer a pessoa do mesmo modo que se aprende noutros domínios, ou seja, reagindo perante os seus estímulos. Nas relações interpessoais o estímulo é o próprio comportamento e o das pessoas que nos rodeiam.

7. Para perceber as consequências de um comportamento é preciso prestar atenção aos sentimentos que surgem em nós e nos outros, por influência do estímulo desse comportamento. Uma sensibilidade desenvolvida, capaz de perceber estas reacções emocionais, é importante na relação interpessoal.


Critérios para um "Feedback" construtivo

8. O Feedback útil e efectivo terá que ser mais descritivo que valorativo. Evitar o uso da linguagem valorativa, (a que manifesta juizos de valor sobre o comportamento de alguém), significa reduzir a necessidade de que a outra pessoa reaja de forma defensiva. O Feedback descritivo limita-se à comunicação da impressão pessoal que em nós produz o comportamento da outra pessoa.

9. O Feedback deve ser mais concreto que genérico, ou vago. Torna-se mais útil, para quem recebe o feedback, ouvir: 'naquela ocasião, quando estivemos a resolver aquele problema, pareceu-me que não trataste de ouvir o que os outros diziam. Senti as pessoas forçadas a seguir a tua opinião.'

10. Além disso, o Feedback deve ter mais em conta a necessidade de quem o recebe. Pode ser destrutivo quando só pretende satisfazer as necessidades de quem o oferece.

11. Deve dirigir-se, em quarto lugar, a um comportamento modificável. Quando apontamos uma limitação que a pessoa não pode controlar, só aumentamos, com isso, a sua frustração.

12. Deve oferecer-se com sentido de oportunidade. Em geral, é muito mais eficiente se se oferece imediatamente. No entanto, é preciso ter em conta que a pessoa, (ou grupo), estejam preparados para receber este Feedback, como também atender a outras circunstâncias que o poderiam tomar inoportuno.

13. Deve-se verificar se foi entendido exactamento o que se queria comunicar, (contra-feedback).

14. Tanto o que recebe como o que envia a mensagem devem verificar com todos, (no grupo), se esta é a impressão de uma só pessoa, ou se há outros membros do grupos que tiveram impressão idêntica. É muito importante que os outros membros do grupo que não tenham tido a mesma impressão a manifestem, sobretudo quando se trata de um Feedback negativo.

15. Em resumo, Feedback, é uma forma de oferecer ajuda, para que a pessoa possa verificar se as próprias intenções e atitudes têm expressão adequada através do seu comportamento concreto.

Federico Arvesú



Post-scriptum à 'teoria geral do Feedback'

a) É impossível oferecer o feedback ideal, devidamente programado e calculado. Por isso, é preferível aprender a refletir sobre o modo concreto como se costuma oferecer ou receber o feedback, para tentar modificar a partir do existente. Neste texto apresentam-se critérios para essa reflexão e não receitas para oferecer o feedback ideal. Aprende-se a 'feedbackar', 'feedbackando' e refletindo para modificar.

b) Oferecer um feedback é sempre fazer um investimento arriscado, porque aquilo que se comunica tem muito a ver com quem receber e com quem oferece. Mas deste investimento depende o progresso e a qualidade da relação. Se as pessoas se vão educando a oferecer e receber feedback, o grupo, (ou a relação a dois), cresce em confiança, em respeito mútuo, em capacidade de colaboração e de trabalho em equipa. Caso contrário, transforma-se num aglomerado de gente, como um fosso cada vez maior entre cada ilha...

c) A proporção entre o feedback de repreensão e o feedback de encorajamento dá autoridade a quem o oferece e favorece o sentido de justiça de quem o recebe.

d) O critério-base para receber um feedback: aprender a receber criticamente o que é dito criticamente também, (como quem usa o caixote do lixo...).

e) O calar também é um feedback. Convém distinguir o calar livre, (que contribui para que a relação se torne adulta), do calar não livre, sob a pressão da rolha do medo, (que tende a azedar).

f) O feedback é o grande instrumento para o progresso na relação, para ajudar as pessoas a reencontrarem-se depois dos desencontros que sempre acontecem, para corrigir situações deficientes na comunicação, (devidas a inibições, estados emotivos, bloqueios, conflitos, interferências, mal-entendidos...), uma vez que na comunicação humana nada pode estar já conseguido ou adquirido, à partida. O entendimento é fruto da maneira como se superam os desentendimentos e não é possível sem estes."

3 comentários:

aprendiz disse...

:) Sem dúvida que é das coisas mais importantes numa relação, para que esta cresça forte, sem vazios ou imaginação a mais! ;)
Obrg pla companhia!

Anónimo disse...

Greets to the webmaster of this wonderful site. Keep working. Thank you.
»

Anónimo disse...

Very pretty design! Keep up the good work. Thanks.
»