domingo, maio 29, 2005

Pensamento do dia

Com febras e futebol se entretem 10 milhões de pessoas.

.oO(..nem os romanos tiveram a mesma capacidade com o pão e circo...)Oo.

sexta-feira, maio 06, 2005

Praxe @ Coimbra



A tradição e poder que exerce ainda hoje sobre todos os alunos da universidade de coimbra, uns que de facto se sentem dentro da universidade e responsáveis por transportar para o futuro toda a história de Coimbra, ou os "anti-praxe" que são contra o traje e a praxe, é inegável..por muito que digamos a praxe, muito ou pouco, bem ou mal, toca-nos a todos: estudantes de Coimbra.

Ao contrário do que muitos pensam, provavelmente porque nunca conheceram ou viveram a VERDADEIRA praxe, ela não serve como qualquer forma de poder ou vingança dos novos-doutores sobre os caloiros, mas como forma de acolhimento com regras bem definidas e com opção de recusa ou declaração de "anti-praxe" a qualquer momento.

Quantos de nós com os nossos amigos mais próximos não fazemos brincadeiras, palhaçadas e tantas outras coisas que provavelmente com gente menos próximas nunca fariamos... É sobre isso que a praxe é, a partilha de situações, momentos e sentimentos, sentirmo-nos à vontade com os doutores e os outros caloiros que nos acolhem e passam a ser parte do nosso dia-à-dia, vivermos as mesmas coisas que provavelmente outros caloiros viveram à cem ou duzentos anos, doutra forma, pois o tempo não deixa tudo igual, a praxe evolui e adapta-se, devemos respeitar a tradição, mas também perceber que o tempo passa...

Ao contrário do que muitos fazem da praxe, ela não é feita de alcool e noite, pode conter isso, mas é apenas uma pequena parte, e o traje não deve ser posto só para esta pequena parte, o traje é o simbolo de igualdade entre estudantes, e orgulho por pertencermos a esta universidade.

Toda a hierarquia de praxe é feita para que os mais velhos orientem os recém-chegados, e mesmo os doutores (e recém-doutores digo semi-putos, putos...), bem como as trupes têm como ideal que os caloiros e mesmo os doutores evitem uma vida não muito propicia ao estudo, sendo que há dias específicos onde não podem sequer haver trupes deixando espaço não só para o estudo obviamente mas também para a diversão..

As praxes engraçadas, o padrinho, a Latada com a roupa caracterizada, a Serenata e o traçar da capa, a queima, os momentos de risada, os momentos de entre-ajuda, as praxes inesperadas, (a fuga às) trupes, a tunas, os fados (sem bater palmas)...

Embora com o passar do tempo a praxe tenha ficado com alguma má fama devido a algumas pessoas que nada sabiam sobre a praxe ou cumpriam ela foi e ainda é a marca da nossa cidade, Coimbra, cidade dos estudantes, como ouvi na serenata.. "Coimbra é nossa e há-de ser, Coimbra é nossa até morrer..."

Aceitamos os anti-praxe pedindo apenas que eles também nos aceitem, opiniões são pessoais! Antes de qualquer trupe rapar o cabelo ou aplicar qualquer sansão é perguntado à pessoa se ela não se quer declarar anti-praxe e se compreende as implicações de responder não... quem vive a tradição vive-a com orgulho, tanto a praxar, como a ser praxado se esse for o caso!

Não passou de moda, pois nunca foi uma moda, não vai desaparecer, vai continuar a viver, com vida própria...

Trajo com orgulho, tento aprender com os que me precederam, respiro a história de uma universidade que é diferente, vivo entre os trajados de negro, vivo a PRAXE!