quarta-feira, abril 12, 2006

Necessidades...



É incrível a necessidade que temos de demonstrar e/ou ter estatuto...

Desde o militar que demonstra bem a patente nos ombros, e o reconhecimento de mérito pelas medalhas até ao "chefe" da família que se senta à cabeça da mesa ao jantar...

A verdade é que fomos dissimulando a necessidade de demonstrar estatuto...o não militar não ostenta patentes visíveis... mas é muito vulgar conseguirmos saber o estatuto social e financeiro duma pessoa pelo que ela veste... associamos a ideia de um homem rico ou relativamente bem sucedido à imagem de um homem engravatado... a própria ideologia de um campo de férias nos moldes que conheço tem um símbolo de poder absoluto, o apito, que transita pelas pessoas que em cada momento estão a "mandar".


Será isto numa necessidade "real" para o grupo, que necessita de ter símbolos visíveis, e por grupo leia-se sociedade; ou será uma necessidade pessoal de afirmação?

Na verdade, muitos grupos de animais acabam por seguir esta mesma filosofia, no sentido de terem uma entidade predominantemente líder... leões têm o leão mais velho e/ou forte que é líder é um dos exemplos mais claros..

A conclusão visto isto seria bastante simples, isto é uma necessidade de grupo, seja ou não uma necessidade do indivíduo...

Mas a verdade é que não é tão simples, num bando de aves que voa em grupo, estudos feitos, indicam que não existe um individuo especifico que líder, quem quer que passe para a frente lidera, e todo o grupo segue...

A questão mais interessante começa a ser "Porque toma aquele individuo a liderança do grupo?"

Existe mesmo alguma capacidade especial da sua parte ou é apenas o seu espírito de iniciativa que o torna líder?

E em nós humanos? Será que quem nos lidera tem mesmo capacidades que não temos para lhe ser confiada a liderança?

Curiosamente em Portugal passa-se algo curioso... a politica, classe que tem a capacidade de mudar as coisas para melhor, e que em ideal é a profissão mais nobre já está infestada pela imagem negra da corrupção e as pessoas desinteressam-se e afastam-se de quem as lidera, coisa curiosa, tendo em vista que parte do nosso futuro está nas mãos dessas pessoas...

Quando me dizem que lidero alguma coisa, costumo dizer, meio a brincar, mas quem sabe se também um pouco a sério: "Não sou um líder, mas não gosto de seguir um."

Na verdade, tenho tendência para tentar tomar a liderança, mas devido ao meu pouco desejo de demonstrar "estatuto" não sou um líder dito "nato"...

Tendência de liderança versus tendência de descontracção e brincadeira...

A pouca vontade, que referi em cima, vêm da sensação que ser um líder na verdade acaba por nos limitar em liberdade... o exemplo passamos a ser nós, os olhos estão na maioria das vezes em nós.. ao errarmos no exemplo dado não podemos exigir do grupo uma melhor postura do que a nossa... a nossa atitude tem normalmente que mudar para uma mais séria e focada nas necessidades e objectivos do grupo deixando de parte as nossas próprias... digamos que o tipo de exigência da nossa parte para o grupo muda de forma...

Pensar focado em nós mesmo, e tendo a atitude de líder é no fundo de contas ser imaturo...

No entanto seguir implica estar consciente que nem sempre o que achamos melhor será seguido...


E tu, preferes liderar ou seguir?

2 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Here are some links that I believe will be interested