sábado, setembro 02, 2006

Reflexão...

Não é muito comum eu partilhar textos de outras pessoas, mas achei este tão invulgar que achei que valia a pena faze-lo...

"Our deepest fear is not that we are inadequate.
Our deepest fear is that we are powerful beyond measure.
It is our light, not our darkness that most frightens us.
We ask ourselves, Who am I to be brilliant,
gorgeous, talented, fabulous?
Actually, who are you not to be?
You are a child of God.
Your playing small does not serve the world.
There is nothing enlightened about shrinking
so that other people won't feel insecure around you.
We are all meant to shine, as children do.
We were born to make manifest the glory of God that is within us.
It is not just in some of us; it is in everyone.
And as we let our own light shine, we unconsciously
give other people permission to do the same.
As we are liberated from our own fear,
our presence automatically liberates others."

a return to love - marianne williamson

Achei este texto inicialmente num comentário deste blog (mais especificamente deste post) fui pesquisar no google para ver o autor e achei este url de onde tirei a versão "completa" também com a autora...


Faz bem refletir sobre os medos...

...para os ultrapassar!

3 comentários:

Anónimo disse...

E valeu... Mais do que a pena... No fundo...
...Tudo vale a pena quando a Alma não é pequena... Ele sempre tinha razão quando o disse...

Talvez uma interpretação dos nossos próprios medos estendido aos dos outros ou uma "simples" - por mais complexa que seja - suposição, não seja sempre a fonte da verdade ou algo pelo qual nos devamos reger... Não é apenas senão um ponto de vista, uma forma de ver o Mundo, as coisas, as pessoas e, acima de tudo... Os sentimentos. Por mais belos que sejam. :) A nossa escolha está aberta a partir do momento em que lemos, pensamos e, no fundo, acreditamos... :) Apreciei bastante, apesar do meu desconhecimento sobre as raízes dos sentimentos que impulsionaram tal escrita e que, certamente, terão partes ocultas por todo ele... Sabe tão bem acreditar nalgumas partes disso... Quem sabe se não assim realmente é... No fundo, da Vida... Não tenho nenhuma conclusão... Não sei qual é o meu medo mais profundo... Não sei qual é a pergunta que gostaria que absolutamente ninguém me fizesse... Não sei o que mais em mim poderá assustar os outros... Não sei quem sou para ser ou não brilhante... Esplêndida... Talentosa ou fabulosa... E tão-pouco sei quem sou para não o ser... Não sei o que "serve" o Mundo... Para o Mundo... Não sei o que é suposto ser ou fazer... Não sei porque ou para que nasci... Nem sempre sei aonde Deus está, não sei o que acontece quando deixo a minha "luz" brilhar... E não sei se, quando deixo os meus medos, se liberto ou não os outros... Mas sei que gostava que muito disto acontecesse... E sei que sei que, no fundo, nada sei... Mas que certamente, com a vida, algo irei necessariamente aprender...

...Por mais incoerente que estas palavras sejam...

Anónimo disse...

Olá!!! Não sei quem és, teu nome, tua cidade, só sei que adoro o seu blog... Ele me chamou atenção por algum motivo. Continue escrevendo, pois suas palavras são como um bálsamo em minh'alma. :)

NeTeInStEiN disse...

Obrigado, são as palavras de incentivo que me levam a continuar a ter imensa vontade de escrever e partilhar o pouco que sei e vejo no mundo :-) obrigado, mesmo.