quarta-feira, setembro 13, 2006

United 93



Há muito tempo que um filme não me abanava tanto, com o passar dos minutos surgia-me uma raiva pelas pessoas que estavam directamente a condenar de morte todos os passageiros de um avião...

Apercebi-me do medo, da raiva, da vontade de lutar que muitos americanos devem ter tido, e ainda têm... coisa que tinha percebido racionalmente na altura... mas emocionalmente nunca achei que iria sentir pela minha distância física e emocional.

A verdade é que com o passar de cada minuto, era perturbador para mim o desvio do avião, com cada pessoa a aperceber-se que não iria estar muito mais tempo viva... telefonar às pessoas próximas a despedir-se.. tentar ter um raciocionio claro com as informações que chegavam se tentar retomar o avião era uma boa opção...

Poucas vezes num filme me senti tão agustiado ao ver uma cena, especialmente por saber que aquele filme, mais ou menos real, tem provavelmente vários momentos que realmente aconteceram, e as decisões e agustias de fundo estão ali embutidas claramente...


Lutar...esperar para ver...telefonar às pessoas mais próximas...rezar...

Cada pessoa tomou a sua opção mas no fundo cada decisão ali teve interferência no grupo, se eu ia tentar reconquistar o avião, iria influênciar os outros, se outros iam e eu não ia, também influênciava...

Acabou...


Respirei fundo... e fechei os olhos, voltei a raciocinar.. a minha raiva emocional era exactamente aquilo que eu sempre achei que nunca se deve ter, ou pelo menos agir sobre ela... porque se assim for, somos nós mesmos a passar a ser terroristas, somos nós mesmos a ficar cegos, matando ou não pessoas, somos nós também a ser radicais...

Aprendi bastante... terrorista para mim neste momento não é ter morto alguém ou pensar em fazer um atentado...

É toda uma ideologia de acção por raiva, um pouco como somos crianças, um colega nosso deu-nos um pontapé, há os que choram, há os que fazem queixa... há os retribuiem com dois...


Perceber que retribuir os actos de violência é o primeiro passo para gerarmos mais violência é duríssimo, emocionalmente queremos ter o equilibrio, sentimos que falta as pessoas "pagarem" pelo que fizeram com o mesmo ou pior que fizeram.


Nesse momento os terroristas ganham...aprendi a lição...

...mas, infelizmente, estou a ficar menos calmo ou devo dizer "pacifico"...

2 comentários:

Anónimo disse...

Relativamente aos ataques do 11 de Setembro, partilho o mesmo sentimento contigo,Pedro!
Mas à dias vi um documentario, não sei se viste, mas vai repetir... http://195.245.179.232/EPG/tv/epg-janela.php?p_id=3347

...e esta visão dos ataques fez-me sentir muito mal só de pensar que o que eles dizem poderá mesmo ser verdade...afinal em que acreditar?!, esta para mim é uma história cujo final já todos sabemos, mas falta o inicio e o intermedio, que estão muito mal contados!!!
Depois de veres o documentario diz algo.
Abraço em Cristo, Tiago M.

Luna disse...

Bom... Ando em pulgas para ver esse filme, mas... Ainda não tive oportunidade... Quanto ao sentimento... É compreensível, mas... No fundo, todos temos as nossas razões, mais ou menos válidas... Apenas desejava que ficassem todos bem... E que fossem todos humildes o suficiente para darem a outra face, quando for necessário que assim seja. Um estalo traz raiva, "guerra"... Um beijo traz paz. :) Gostava de entender melhor estas pessoas, mas... Quem sabe um dia o meu "sonho" não se concretiza... Até lá vou vendo e vivendo... Até um dia... :)