sábado, dezembro 30, 2006

Imagens...


Há uns tempos durante uma conversa perguntaram-me a diferença entre programação de baixo e de alto nível...

Hoje ia a conduzir e tive uma ideia de como dar essa imagem sabendo que a pessoa não era da minha área...

A imagem é esta:

Carro de mudanças automáticas: Dá para andar, tem menos um pedal funciona exactamente igual, mas não dá para ter controlo total, para facilitar remove-se o controlo parcial, sobre as mudanças do carro. (assumindo que não podemos ter controlo sobre as mudanças)

Carro de mudanças manuais: Temos mais controlo, podemos usar que mudança queremos, a que hora queremos... mas, temos também mais trabalho, temos *de facto* que mudar de mudança para acelerarmos, para andarmos para trás etc.


Serve também para dar uma imagem, abstracta mas simples das diferenças entre Windows (Automáticas) e Linux (Manuais).


Andava a tentar achar uma boa explicação desde que me perguntaram a diferença...

...um pouco geek da minha parte e fora do contexto dos posts "normais", mas quis partilhar na mesma convosco e aproveito e desejo...


BOM ANO NOVO! :-)

quinta-feira, dezembro 28, 2006

Citações...



A melhor frase que já vi num filme português:

"Digam-me os vossos nomes que eu mato-vos por ordem alfabética!"


Embora o filme seja...não dos melhores...

...ficou a genialidade da frase :-P

quarta-feira, dezembro 27, 2006

Conduzir


Hoje descobri um mito português que a mim me faz confusão... porque este eu próprio acreditava... e embora já me tivesse interrogado e conversado com algumas pessoas sobre isso, bastantes tinham-me dado justificações que pareciam válidas... e o mito persistia...

"Conduzir em tronco nú é atentado ao pudor..." ou "Conduzir em chinelos não é permitido, porque prejudica a condução..."

Mas, mitos aparte:

Conduzir de chinelos, em tronco nú, de biquini, NÃO sãi penalizados pelo código da estrada, ou seja, não dão multa nem qualquer outra sanção...

Se estão agora a perguntar-se como sei eu isto: vejam isto.

Lá vai mais um mito para o armário...

...mas este infelizmente conseguiu-me enganar por algum tempo!

terça-feira, dezembro 26, 2006

Crescer...


Hoje ao relembrar um livro que ofereci, estive a pensar sobre o crescimento...


É engraçado como nascemos, focados em nós mesmos, o mundo, o universo somos nós, choramos quando temos fome, alguém prontamente nos alimenta, choramos porque estamos sujos, alguém trata disso... rimos quando alguém nos diverte, a fazer caretas à nossa frente... o centro do mundo somos nós, é facto!

Vamos crescendo, e mais ou menos rapidamente, (se tudo correr bem, ou pelo menos acho que positivo), vamos desfocando.. ou seja, deixamos de ser o centro de tudo, deixamos de ter de ter sempre toda a atenção do mundo, e que reclamavam caso não a tivesse..

Deixamos de reclamar por estarmos aborrecidos ao estar numa fila de pessoas para almoçar...

Provavelmente, as vezes, deixamos de todo de estar aborrecidos, porque temos a cabeça a pensar em mil coisas enquanto estamos ali à espera...

Vamos tendo apenas um grupo de pessoas próximas às quais de facto "exigimos" atenção, a atenção necessária para nos sentirmos bem, são aqueles que mais tarde percebemos que são realmente os nossos amigos... e claro à nossa família próxima.

Começamos de facto a ver que o mundo vai muito para além de nós, que existem milhões de pessoas, que são tão importantes como nós, muitas das quais são mais inteligentes, outras mais ricas, provavelmente muitas mais pobres... mas isto não interessa nada, porque deixamos de ter a necessidade de ter tudo o que vimos na TV, ou o que os nossos amigos têm...

Começamos a ter realmente a noção que o importante são as pessoas... percebemos o voluntariado, experimentamos, vemos que é das melhores sensações... ajudar alguém...

Crescemos e deixamos de ter necessidade de ter um carro igual ao do vizinho, porque o importante não é isso... não é necessário para nós sentirmos integrados, para nos sentirmos ao nível das outras pessoas, para não nos sentirmos abaixo de quem tem.

Percebemos algumas das coisas mais difíceis: que cada um de nós tem um lugar na sociedade, e talentos para o exercer, o gosto ao fazermos aquilo que gostamos mesmo é indescritível.

Finalmente, sentimo-nos bem, estamos lado a lado com as outras pessoas, continuamos a ter um mundo interior talvez, onde somos senhores e mestres, mas é um mundo que temos consciência que é um resto de criança em nós, e no mundo real, somos e tratamos todos como iguais independentemente do que tenham ou sejam...



Nascemos no centro...

...e crescemos ao integrar o circulo do mundo!

segunda-feira, dezembro 25, 2006

Prendas... estranhas...



Hoje ofereci este livro a uma pessoa especial.

Identifico-me bastante com a personagem do livro, um miúdo autista com uma visão peculiar do mundo...

Espero que tenha gostado da prenda...

...no fundo ofereci um pouco do meu mundo :-)

sábado, dezembro 23, 2006

Thanks for smoking



Ficou-me uma frase...

"See, Joey, that's the beauty of argument. When you argue correctly, you're never wrong."


Um filme para despertar atenção...

...para algumas coisas interessantes :-)

sexta-feira, dezembro 22, 2006

Momento Nostálgico


"Empty your mind. Be formless. Shapeless. Like water. Now you put water into a cup, it becomes the cup, you put water into a bottle, it becomes the bottle, you put it in a tea pot, it becomes the tea pot. Now water can flow or it can crash. Be water, my friend... " - Bruce Lee

quinta-feira, dezembro 21, 2006

É natal...


Chegou o natal...

Afinal o que é o natal?

Começou por ser o nascimento de Cristo, provavelmente teve antes disso ainda outra qualquer festa pagã associada...

E agora...é a data onde aparece o Pai Natal, um senhor criado pela Coca-Cola com bases do S. Nicolau, e que distribui prendas...


Será que de facto a sociedade em geral esqueceu a base das actuais comemorações, ou quer esquecer, ou o próprio cristianismo/fé em geral está a começar a ser posta de parte...

...ou é apenas o consumismo a falar mais alto?


Embora o natal neste momento seja realmente vocacionado para as crianças, (pequenas é grandes :-P) e para a família...

... muitas vezes parece que a única coisa que se investe é material...

domingo, dezembro 17, 2006

Fim-de-Semana



Foi bom relaxar...

Estar com pessoas que dão muito de si...

Valeu definitivamente a pena!

Obrigado :-)

quinta-feira, dezembro 14, 2006

Misticismos



Ultimamente tenho pensado em algo que me faz alguma confusão.. a crença em misticismos...

Antes de mais, há a referir que sempre fui uma pessoa fascinada pelo "oculto" e especialmente em tentar ver se existe algo assim... muito derivado do "duelo" entre a minha parte racional que não acredita, e a parte sentimental que gostaria que existisse.

Há então a referir que não encontrei nada até hoje que me faça acreditar que algum dos "misticismos" mais comuns tenham algo de verdadeiro, e com isto não digo que as pessoas são mentirosas, apenas digo que podem de facto realmente acreditar que aquilo é real, e através disso transmitir a crença a outras.

Curiosamente sempre pensei que em parte o misticismo esta associado também às pessoas com fé em alguma religião, porque pensei que era mais fácil para algumas pessoas acreditar em algo, sem provas físicas, era um pensamento lógico, mas ultimamente tenho verificado que embora lógico não é assim tão real...

Vejo pessoas, com formação a não acreditarem em nenhuma religião mas a acreditar em misticismos... isto deixa-me bastante confuso.


Embora as grandes religiões, com os extremismos, entrem em caminhos que lhe retiram credibilidade, continuam a ser, do meu ponto de vista, muito mais fundamentadas e credíveis que qualquer tipo de misticismos...

No entanto, actualmente vejo muito mais estas a serem questionadas que qualquer tirada de tarot, ou vidente...

Confesso que não percebo muito bem este efeito, sempre acreditei que a incredulidade seria coerente, ou seja, se alguém dizia que não conseguia acreditar em algo sem provas físicas não acreditava em nada, fosse religião ou misticismo.

Não tentando defender que acreditar numa religião é melhor ou pior, (porque não acho que seja), acho que depende de cada pessoa, faz-me imensa confusão a fé em algo tão simples de produzir como uma tirada de cartas que qualquer pessoa aprendendo pode fazer tornando as coisas de tal forma adaptáveis que qualquer pessoa pode "colar" a resposta à sua vida, tendo identificações imediatas.

É fácil com algum treino fazer as pessoas irem completando algo que estamos a dizer, de forma a parecer que sabemos algo que não era suposto... até porque, no fundo, todos estamos a "trabalhar" para o mesmo.. ser felizes... e a maioria das vezes passa pelo mesmo, alguém que gostemos, alguém que goste de nós, para uns dinheiro, para outros sucesso...


Embora gostasse de ter "super poderes"...

...continuo a achar impossível.. mas isto sou eu...


Ps: Com este post não quis de todo associar as religiões ao misticismo, mas a relação que pensei haver entre a facilidade das pessoas em acreditar em algo.

sábado, dezembro 09, 2006

Finalmente...


Finalmente...

...consegui passar da ideia à prática.

Viver o dia por pior que corra com alegria, transmitindo aos outros essa alegria e deixando que eles a voltem a transmitir para mim...

...viver é mesmo fish!

quinta-feira, dezembro 07, 2006

0/0



Desta parece ter sido de vez...

O problema milenar da divisão por 0 foi resolvido, pelo Dr. James Anderson.

0/0 = nulidade (novo "número" fora da escala)

Quem tiver curioso pode ler mais aqui.


É uma ideia simples...

...mas afinal quase todas as geniais acabam por ser!