segunda-feira, dezembro 31, 2007

Ano novo...caderno novo!


Apresento-vos, o meu caderno!

À algum tempo em conversas com uma amiga comentava que gostava de ter um caderno de bolso para anotar ideias e coisas que me fossem passando pela cabeça... algum tempo depois recebi dela um caderno que me acompanhou durante o ano passado.

Achei engraçado marcar o novo ano com um novo caderno, que "cuidadosamente" comprei nos chineses e rasguei até ao meio (para não ter a parte dos contactos telefónicos).

Ano novo...

...caderno novo!

sábado, dezembro 29, 2007

Coach Carter



Vi este filme.
Arriscando um cliché, ele é baseado em factos reais, num treinador chamado Ken Carter.




Ficou-me a frase...

"Our greatest fear is not that we are inadequate,
but that we are powerful beyond measure.
It is our light, not our darkness, that frightens us.
...

Your playing small does not serve the world.
There is nothing enlightened about shrinking
so that other people won't feel insecure around you.
...

It is not just in some; it is in everyone.
And, as we let our own light shine, we consciously give
other people permission to do the same.
As we are liberated from our fear,
our presence automatically liberates others."

(Originally from Nelson Mandela - 1994 Inaugural Speech)

quarta-feira, dezembro 26, 2007

Uma piada... de caixão à cova!


Escrevi à algum tempo atrás sobre o funeral de Grahan Chapman e como foi diferente.

Foi algo que animou as pessoas, abanou-as do estado de letargia que se apodera quando perdemos alguém que gostávamos... contra todas as expectativas fe-las rir!

Acho que isso é o expoente máximo do humor, inverter a tristeza para uma alegria saudável, no momento mais difícil possível!

Acho que gostava de passar a vida a conseguir fazer isto as pessoas, alegra-las quando parece menos provável!

Li hoje uma notícia de alguém que provavelmente conseguia fazer isso... não era ninguém famoso como Grahan, apenas um anónimo com muita imaginação....

"ASHLAND, Ore. — Even in death, Chet Fitch is a card. Fitch, known for his sense of humor, died in October at age 88 but gave his friends and family a start recently: Christmas cards, 34 of them, began arriving - written in his hand with a return address of "Heaven."

The greeting read: "I asked Big Guy if I could sneak back and send some cards. At first he said no; but at my insistence he finally said, 'Oh well, what the heaven, go ahead but don't (tarry) there.' Wish I could tell you about things here but words cannot explain.

"Better get back as Big Guy said he stretched a point to let me in the first time, so I had better not press my luck. I'll probably be seeing you (some sooner than you think). Wishing you a very Merry Christmas. Chet Fitch"

A friend for nearly 25 years, Debbie Hansen Bernard said, "All I could think was, 'You little stinker.'"

"It was amazing," she said. "Just so Chet, always wanting to get the last laugh."

The mailing was a joke Fitch worked on for two decades with his barber, Patty Dean, 57. She told the Ashland Daily Tidings this week that he kept updating the mailing list and giving her extra money when postal rates went up. This fall, she said, Fitch looked up to her from the chair.

"You must be getting tired of waiting to mail those cards," he told her. "I think you'll probably be able to mail them this year."

He died a week later.

Copyright 2007 by The Associated Press. All rights reserved. "

Notícia original aqui.

Quero conseguir ter esta capacidade...

...ser sério é engraçado, mas ser engraçado é engraçado a sério!

Música associada: Jerry C - Canon

segunda-feira, dezembro 24, 2007

Feliz Natal!

2007 anos depois e tradições sobre tradições...

...hoje, volta a ser NATAL!

Música associada: Gianna Nannini - Meravigliosa creatura

domingo, dezembro 23, 2007

Em Português correcto!


Encontrei este blog hoje...

Aprendi logo de inicio algumas coisas, e esclareci algumas dúvidas que tinha. (Isto de homem era rever os posts antigos, porque devo ter uns erros, mas... tenho preguiça :-P)


Espero que vos ajude em dúvidas que possam ter...

...senão, pelo menos vai confirmar a vossa sabedoria!

Música associada: Tokio Hotel - Monsoon

sábado, dezembro 22, 2007

365



Demorou, mas foi!

3 anos, 6 meses e 10 dias depois de começar este blog tenho 365 posts.

Por algum tempo a minha ideia foi tentar escrever um por dia, mas a falta de tempo e qualidade do que escrevia apenas por escrever levou-me a escrever apenas quando sentia necessidade disso.

Demorou...

...mas realmente foi, 3 anos e meio depois, escrevi "1 ano"!

sexta-feira, dezembro 21, 2007

Prenda de Natal


Provavelmente alguns de vocês já conhecem o Hulu, o novo site sensação no que toca a séries, dado que é totalmente legal e tem já uma centena de séries tais como Heroes ou Prison Break completas.

O site ainda está em versão "Beta", mas permite o registo, sendo que os utilizadores vão recebendo gradualmente acesso às contas conforme existem mais vagas.

Infelizmente, os que conhecem devem também já ter tido a notícia que os vídeos estão bloqueados a IPs dos Estados Unidos... (tal como os do site da ABC, FOX....etc).

Deixo-vos aqui a minha prenda para este Natal...



Como já viram chama-se HotSpot Shield, é grátis, e simples... e faz com que o vosso IP passe a "ser dos EUA".

Bastante instalar, ligar (ou seja ir ao lado do relógio, ir ao icone do HotSpot e escolher Connect), e ir a www.hulu.com (quem diz Hulu diz Fox, ABC, etc... todas os grandes produtores tem os episódios online das suas séries para IPs norte-americanos).

Quando já se tiverem empanturrado em séries, basta ir ao lado do relógio e desactivar (porque deixa a net um bocadinho mais lenta e as vezes aparece publicidade).


Ide empanturrar-vos em séries...

...que eu sigo-vos! :-P

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Ladrão de Relações


Sendo o título anterior, "Polícia de Relações" não achei título mais adequado do que "Ladrão de Relações" para este.

"A polícia existe porque há gente a violar as regras."

O que é uma relação saudável? Mais do que isso, o que é uma relação saudável, em público?

Ultimamente existe uma hiper-sensibilidade a qualquer coisa relacionada com relações, a piada sobre o homossexual está mais do que nunca sempre pronta a ser disparada... em reacção a geração jovem responde sendo cada vez mais surda às indicações de ferimento de susceptibilidades.

Eu próprio ligo e também faço por ligar pouco ao que as pessoas pensam, mas tenho ganho uma sensibilidade grande à falta de "à vontade" que se cria nas pessoas próximas, se me alienar do mundo,com alguém, num sítio com mais gente... as outras pessoas deixam de ter vontade de estar connosco ao ir ao cinema, ou a fazer qualquer outra coisa por ser desconfortável.

Vivemos curiosamente numa sociedade paradoxal, que já não estranha e conhece bem toda a sexualidade, já não tem, em geral, atitudes discriminatórias com pessoas com opções sexuais diferentes... no entanto há sempre a boquinha pronta a mandar "eu dou-te com um pinheiro no...", "oh rabeta!".. coisas que já são ditas não com o sentido de ofender, mas a brincar com algum amigo numa situação particular.

É semelhante à expressão "nigger" que começou por ser usada por brancos para insultar negros nos Estados Unidos, mas agora é usada entre comunidades de negros como palavra não ofensiva, entre amigos. Curiosamente, se alguém que não seja amigo a usar para um negro, já é tida como uma ofensa.

Estamos tão inundados de sexualidade por cada anúncio nos meios de comunicação que cada coisa parece ser uma insinuação sexual... À dias via uns desenhos animados antigos e numa cena dizia-se a uma rapariga algo como "já marchavas!"... despertou-me logo a atenção, insinuação sexual no meio dos desenhos dos anos 80 ?! Era literal... marchar apenas.

Tornei-me num dos hiper-sensíveis... mas pior do que isso é perceber que todos nos tornamos.

Pergunto-me como poderia estar a situação melhor...

se somos nos os "retrógradas", ou algo afectivamente vai mal em geral...


Música associada: Trabalhadores do Comércio - Chamem a Polícia

domingo, dezembro 16, 2007

Polícia de Relações


Acho que se inventou uma nova profissão, o polícia de relações!

Tipicamente é uma profissão gananciosa, é sempre acumulada em conjunto com outra, não consegue subsistir sozinha, perde a força e o sentido que acredita ter.

É a prisão à ideia que "antigamente é que era", a ideia de que os jovens são irresponsáveis, ou pelo menos mais que "antigamente". É a ditadura da falta de afectividade pública por repressão.

Do extremo de relações demasiado chocantes a sociedade reage com a censura inicial de beijos, depois abraços... o que virá a seguir?

Será o namorar uma aberração a expulsar de espaços públicos?

Quando ao serviço duma instituição sinto-me, por obrigação, um destes polícias...

Estas medidas de choque nunca resultaram...

... o fruto proibido é o mais apetecido!


Elucidação:

Para quem não percebeu refiro-me as escolas actualmente, cada vez mais a fecharem o cerco as relações, respondendo aos exageros com censura em vez de educação e conversa. Há exageros, na minha opinião, nas relações, mais do que era notório à uns anos, mas a resposta não é de toda a adequada...

Deixa-se de procurar a origem das atitudes para as tentar reprimir. *fools*

E cá vamos andando com um mundo cada vez mais sensível a parvoíces, como a alegação que o Egas e o Becas da Rua Sésamo são homossexuais e por isso a Rua Sésamo é só vendida a maiores de 18 anos (isto no EUA, claro!)... apetece-me abanar a cabeça a quem tem estas belas ideias.. só para ver se ouço qualquer coisa a chocalhar claro!

Post de resposta a possíveis comentários aqui! (Ladrão de Relações)

sábado, dezembro 15, 2007

Mitos


Desde há algum tempo circula, inicialmente pela blogoesfera, e agora para além disso, a alegação que o Google por ser a página inicial de milhões de pessoas adiciona pelo seu fundo branco, um custo energético muito maior do que se tivesse um fundo preto.

Fui investigar... achei bastante estranho caso isto fosse verdade o Google não disponibilizar a opção nem emitir um comunicado sobre isso.

Para quem está agora a pensar: "Mas então não disponibiliza, em blackle e outros sites assim?"

Resposta: Não, isso são outras empresas que usam o motor de busca Google, mas com outra "cara". Algumas têm inclusive mais anúncios, com os quais ganham dinheiro...


Isto foi o que achei:

- Alegação inicial, do blog ecoIron

- Comunicado do Google

Conclusões?

Cada um tire as suas!


Ps: Este blog tem fundo escuro porque... eu gosto :-)

sexta-feira, dezembro 14, 2007

Hierarquia


Desde há bastante tempo que reflicto bastante sobre liderança... começou por ser um passatempo, para me cultivar pessoalmente por estar à frente de alguns projectos, passou a ser uma matéria de estudo a nível profissional, com cadeiras a sucessivamente me indicarem o que deve um líder ser e fazer. Por fim tornou-se essencial para me equilibrar.

Numa conversa dizia que com o meu estudo da liderança adquiri uma consciência forte da hierarquia. Nos projectos em que estou, ou sou líder ou não, se não for concorde ou não subjugo-me ao líder, indicando por conversa discreta que não estou de acordo, seguindo no entanto as indicações. Se for espero um bocado isto, que confiem em mim e me sigam, mesmo quando é mais difícil.

Relembro-me sempre dos livros que li sobre organizações, em que as mais brilhantes são aquelas que dão mais liberdade e onde a hierarquia está menos visível, permitindo a cada entidade dar o seu melhor, no entanto, por algum motivo continuo a acreditar num misto de ambos, em que é possível haver uma cabeça que dá indicações gerais, e que ouve todos, mas à qual todos respeitam e obedecem quando tal lhes é pedido.


Não sei se é a atitude mais correcta ou mais sensata...

...mas tem sido a que segui, respeitar a hierarquia, se correr mal, avaliar-se-à mais tarde e alterações serão feitas.

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Frases


Vi uma frase num messenger de um amigo que dizia:

"É um movimento porque faz andar para a frente, logo que pare torna-se uma organização e não será mais escutismo."

Não sei se a frase é original dele, mas gostei imenso, ficou-me presente.

O escutismo de facto adequa-se, mas poderá ter tantas outras coisas que fariam também a frase ter sentido.

Pequenas coisas...

...que fazem imenso sentido!

domingo, dezembro 09, 2007

Compromisso



Compromisso é a forma, pública ou não, de se comprometer com alguém, com algum objectivo ou causa. Há diversos tipos de compromissos: compromisso religioso, compromisso amoroso, compromisso de negócios etc.Compromisso é um acto de se unir com alguém , estar devendo isso à ele (ou à pessoa) isso pode ser formal ou não. Promessas mais ou menos solenes; contrato; dívida com prazo marcado; acordo político; convenção. (Wikipédia)


Andava há algum tempo a pensar sobre este pensamento (post).

Senti que a minha conclusão não era suficiente.. faltava qualquer coisa que eu não estava a conseguir exprimir..

Percebi passado algum tempo que a palavra que me falhava era compromisso.
Percebi que quando assumo um compromisso faço tudo para não o quebrar.
Percebi que nos projectos em que estava era isso que marcava a diferença de alguns.

Quando assumo alguma coisa, para mim é impensável falhar, ou pelo menos não me esforçar até à última para que tudo corra bem.

Fez-me alguma confusão perceber que tipicamente as pessoas à minha volta não percebem isto, ou não sentem que isto é uma verdade para todas as coisas em que estão. Tem compromissos sérios, como o curso, e outros que se fazem quando há tempo...

Para mim isto não faz muito sentido, tenho prioridade obviamente, mas os compromissos são praticamente indistintos, se os assumo tenho que tomar com seriedade qualquer que seja...

Já comentaram comigo que isto me prejudicava... no entanto eu sinto que me fortalece, enquanto pessoa, fortalece os meus valores e a minha responsabilidade.

Tento ser integro...

...seja para o que for!

Post scriptum ao "Compromisso"

Quando comecei a entrar em projectos, comecei a sentir uma realização pessoal que senti como vital para mim, e tomei como vital estar neles.

Com o passar dos anos fui acumulando projectos, cargos, ideias a fomentar e outras já a crescer...

Percebi finalmente o quão importante é saber sair. Sair no tempo certo, quando é altura de passar o testemunho, quando percebemos que dali para a frente já não teremos o mesmo rendimento. Sair quando já não é saudável.

Aprendi o valor das prioridades para discernir em conjunto com as restantes variáveis quando é altura de sair, e que não consigo conjugar tudo, pelo menos não com a mesma qualidade.

Percebendo isso, tomei decisões que para mim foram extremamente difíceis, (acho que sair de algo que sentimos que faz parte de nós nunca é fácil), e após alguns suspiros e interrogações percebo que foi o caminho certo, e que é por ele que devo continuar.

Sou um construtor de ideias, boas ou más o tempo o dirá, bem como se as construi bem o suficiente para durarem.

domingo, dezembro 02, 2007

Nevoeiro



Gosto de nevoeiro.

Sempre desencadeou em mim uma sensação de mistério e aventura... lembra-me sempre histórias como a de Avalon que ao entrar lá passa-se por brumas densas..

Hoje à noite apanhei uma das noites de maior nevoeiro que já vi, tenho noção que se torna mais perigoso de conduzir, mas nao resisti a deliciar-me em andar devagar ao entrar pela ponte de Coimbra e ver uma ponte sem fim, depois umas luzes vagamente, e do meio da bruma surgiu lá muito longe a torre, e um par de luzes que se converteram em dezenas e rapidamente em centenas...

Acho que o nevoeiro ajuda-me a ver mais magia nas coisas quotidianas da vida...e talvez seja isto que me faça gostar tanto dele..


Foi uma noite cansativa...
...mas teve as suas coisas boas!

quinta-feira, novembro 29, 2007

Nome



Há dias quando algumas das coisas que eu estava à frente começaram a correr mal, uma pessoa interpelou-me sobre uma delas...
A minha resposta reflexa foi simplesmente, "Eu estou a organizar acho que não é preciso dizer mais nada.".

A resposta pela rapidez, imagino que também tenha sido sem pensar , "Sim, tens razão, tu nestas coisas não falhas.".

Foi estranho perceber a força do meu nome...

Mais tarde dei comigo a pensar o quanto cuido as coisas que organizo, para nada falhar... o quanto cuido desta "força" e dou valor ao meu nome como símbolo de absoluta confiança.

Percebi que é das coisas com que tomo mais cuidado..

Espero que esta força nunca desapareça, seria mau sinal...


Muitas vezes ando exausto mas...

...são estes momentos de confiança e claro as coisas correrem bem
que fazem tudo valer a pena!

sábado, novembro 24, 2007

Choque


Sempre me deu um prazer especial chocar as pessoas.. fazer o inesperado...

Não sei porque, mas sempre foi algo que não resistia muito, muitas vezes para fazer rir, outras apenas para demonstrar um ponto de vista, ou outras porque me dava um gostinho especial...

Acho que isto tem muito a ver com a minha fobia a pre(con)ceitos sociais... ainda há dias numa brincadeira diziam-me que eu usava sapatilhas brancas, "já ninguém usa sapatilhas brancas"... ri-me, é daquelas coisas que me faz ainda mais querer usar..

Enfim, é um bocado criancice minha, uma coisa associada à minha teimosia, mas as vezes não consigo resistir. É também uma resistência minha ao efeito de rebanho, não gosto de me sentir levado a fazer uma coisa, apenas porque outros a fazem, seja o que for, mas em especial vestir-me de alguma forma.

Como tenho alguma fobia a andar às compras acabei por me acomodar a não comprar roupa para mim, e a serem outros a fazerem-no, e isso faz com que vincule ainda mais a minha vontade de não seguir normas. Uso o que tenho, embora tenha algumas preferências, evito fazer delas um ponto central.


Tenho plena noção de que quando quero transmitir uma ideia o choque é dificilmente a melhor hipótese, assim tenho aprendido a controlar esse impulso e normalmente quando a ideia surge esboço um sorriso, e não a faço, até porque com muitas pessoas faze-lo seria um grave erro..

No fundo isto é a minha reacção de afastamento do que acho superfluo, no entanto acabo por ser radical...

Por agora mantenho apenas um pequeno choquezinho...

...o de não ligar puto aos preceitos,
e sim apenas às pessoas que gosto!


Música associada: Tiago Bettencourt & MANTHA - Labirinto


quinta-feira, novembro 22, 2007

Sun Tzu



Há imenso tempo que estava curioso para ler este livro... tinha visto em bastantes apresentações referências a ele, e citações dele. Era prometedor!

A Arte da Guerra (chinês: 孫子兵法; pinyin: sūn zĭ bīng fǎ literalmente " Estratégia Militar de Sun Tzu" ), é um tratado militar escrito durante o século IV a.C. pelo estrategista conhecido como Sun Tzu . O tratado é composto por treze capítulos, onde em cada capítulo é abordado um aspecto da estratégia de guerra, de modo a compor um panorama de todos os eventos e estratégias que devem ser abordados em um combate racional. Acredita-se que o livro tenha sido usado por diversos estrategistas militares através da história como Napoleão, Adolf Hitler e Mao Tse Tung. [Wikipédia]

Embora o nome seja "A Arte da Guerra", e a intenção seja orientar o leitor para ganhar uma guerra, o interessante é que as citações ajustavam-se a situações da vida, muitas vezes à liderança de grupos... actualmente passou a ser uma "bíblia" dos gestores e administradores.

Recebi-o como prenda!

Fiquei espantado pelo modelo do livro, devorei-o rapidamente...

A frase que me ficou mais foi:

Aquele que conhece o inimigo e a si mesmo lutará cem batalhas sem perigo de derrota; para aquele que não conhece o inimigo, mas conhece a si mesmo, terá as mesmas hipóteses para a vitória ou para a derrota; aquele que não conhece nem o inimigo e nem a si próprio, será derrotado em todas as batalhas

Outras tantas me fizeram pensar bastante...

...obrigado pela prenda!

Ps: Para quem tem curiosidade de ler o livro, pode ver neste blog. Eu preferi comprar o livro, é daqueles que faço questão de ter na estante.


Música associada: Gianna Nannini - Meravigliosa creatura

quarta-feira, novembro 21, 2007

Viagem a Lisboa



12:00, Inter-cidades rumo a Lisboa.

Plano: Estar!

Comecei o diabo bastante frustrado, "porra p'ro iPod"... tinha deixado o portátil toda a noite ligado para passar para lá as coisas para me entreter na viagem... mas o iTunes tem caprichos e planos próprios... como sempre a viagem até à estação foi em fast-forward...

Cheguei ao destino, como tinha algum tempo fiquei absorvido por uma feira de livros, lá vi alguns livros que faziam referência ao livro de Sun Tzu, um livro de já andava para comprar há algum tempo porque tinha imensa curiosidade.

Chegou a pessoa que deu propósito à viagem...

O fim do dia chegou a correr... tendo ainda estado com um grande amigo desaparecido no meio dos livros...

Conheci o sitio dos meus sonhos... foi um dia especial...

E no fim do dia recebi como prenda o livro que procurava e por uma coincidência enorme não tinha visto...

...AZUL :-D!

Música associada: Vanessa da Mata e Ben Harper - Boa Sorte (Good Luck)

sábado, novembro 10, 2007

Knocked Up


Hoje fui ver este filme.

Não, não é para maiores de 18 anos, se bem que o cartaz é... adulto.

É sobre uma "one night stand", que acaba em gravidez... e sobre como duas pessoas que não parecem ter nada a ver se aproximam.

Mostra as dificuldades de uma relação, e como duas pessoas totalmente diferentes e que não parecem ter nada em comum se podem complementar.

Achei piada pela realidade engraçada da "javardice" dele em contraste com o estilo "arrumadinho" dela.

Foi giro e com a companhia a ajudar...
...valeu a pena!

terça-feira, novembro 06, 2007

Serei uma parede?


O título é algo estranho.. mas por algum motivo lembrei-me de "falar com uma parede"... e fiz uma associação, com ser bom ouvinte... foi talvez, (alias de certeza), bastante estúpida, mas pronto...

E o que estava a pensar eu? Estava a pensar se era bom ouvinte, se era bom conversador... se era boa companhia...

Há dias conversava com uma pessoa muito especial, e contava-lhe que ultimamente sinto-me a afastar das pessoas. Estou a retomar alguma da minha pseudo-piada, (o que está a ser uma batalha), mas sinto muito que por estar muito ocupado, e por estar pouco com pessoas, estou a perder capacidades...

Capacidade de tocar as pessoas, numa conversa, num desabafo, num olhar, numa risada...

Ela mostrou-me o outro lado, que a proximidade não é uma algo de multidões... que tenho pessoas que confiam em mim... que se abrem a mim...

Ainda estava a meditar sobre isto... por coincidência, (ou não), hoje num jantar tive uma conversa daquelas, quando não estava nada à espera...


Foi mesmo, toma lá morangos! É para não dizeres coisas estúpidas, e dares valor as coisas...

...o patrão lá em cima não dorme...


Música associada: Nickelback - Rockstars

segunda-feira, novembro 05, 2007

E tu, que tipo de cérebro tens?


Achei esta curiosidade num jornal online..

Aparentemente consoante o teu hemisfério dominante ves a bailarina a rodar num sentido...

-> Direito: Sentido dos ponteiros do relógio
-> Esquerdo: Contrário aos ponteiros de relógio

Se te concentrares, podes as vezes mudar o sentido.

A parte direita do cérebro é responsável por:

uso dos sentimentos
orientado a "big picture"
imaginação
símbolos e imagens
presente e futuro
filosofia e religião
acredita
aprecia
percebe o significado
presente e futuro
percepção espacial
baseado em fantasia
apresenta possibilidades
impetuoso
arrisca

Parte esquerda:
usa lógica
orientado aos pormenores
factos dominam
palavras e linguagem
matemática e ciência
consegue compreender
presente e passado
sabe
conhecimento
percepção de ordem e padrões
sabe o nome dos objectos
baseado na realidade
pratico
seguro



Parece-te rebuscado? Junta um grupo de pessoas... provavelmente haverá lá mais do que uma a verem num sentido diferente do teu...


A maioria das pessoas tem a parte esquerda como dominante, e tu qual tens?

...eu vejo-a a rodar no sentido dos ponteiros...

Retirado de: http://www.news.com.au/heraldsun/story/0,21985,22556281-661,00.html

domingo, novembro 04, 2007

Curiosidade do dia

(Speak English? Go here)

Várias pessoas me tem perguntado se é possível sacar vídeos do YouTube, e se é, como...

Resumi as respostas e assim estão aqui as indicações:

A primeira coisa a fazer é instalar o Mozilla Firefox, é um browser, (tipo Internet Explorer), e é grátis, pode ser encontrado em: http://www.mozilla.com/en-US/firefox/

Depois vai a: http://javimoya.com/blog/youtube_en.php pelo Firefox e instala o plugin para sacar vídeos.

Agora basta ir à página do vídeo que queres sacar, e carregar no ícone "video downloader" que aparece na barra de estado em baixo à esquerda, e saca-lo!

Será sacado num formato de flash, mas facilmente pode ser convertido para o formato que queiras com este programa: www.effectmatrix.com/total-video-converter

Shazaam!

It's done!

Nota: Ve os comentários para ver outras opções ou para saber como sacar vídeos/música de streams.

UPDATE: Estes programas creio que deixaram de funcionar, dai aconselho o uso de: www.downloadyoutubevideos.com ou http://catchvideo.net

sábado, novembro 03, 2007

Desafio


Há alguns anos, foi-me proposto escrever uma carta para mim mesmo, mas para o futuro...

Parece algo bastante estranho, escrever a nós próprios...

A verdade é que já fiz isto, em 2002 foi-me feito o desafio de escrever uma carta a mim mesmo, que seria guardada pelo mentor do desafio e seria enviada exactamente um ano depois...

Na altura achei engraçado, mas perguntava-me se não me lembraria do que tinha escrito, ou qual seria realmente o efeito.

Escrevi... contei o que estava a pensar na altura, planos, paixões, desejos e questões... falei o que pensava que ia acontecer, e o que não sabia.. na minha mente no entanto pairava a dúvida se não iria lembrar-me perfeitamente do que estava ali a escrever... como seria receber essa carta?
Nunca pus em questão se me ia lembrar de a ter escrito ou não, era perfeitamente claro para mim que ia estar perfeitamente consciente que por volta de um ano depois a ir receber, e nessa altura ia estar à espera...

Enganei-me redondamente... um ano depois recebo uma carta, com a minha própria letra, demoro ainda alguns minutos a perceber que carta era aquela... abro-a... com ela abro uma parte da minha vida, pensamentos esquecidos, observações que não me lembrava, planos passados e questões...

Ao inicio foi bastante estranho, havia um certo frio na barriga enquanto lia avidamente a carta.. mas foi brutalmente marcante..


Dois amigos que tiveram experiências semelhantes decidiram facilitar esta experiência com os meios virtuais..

Desafio-te a escrever aqui um email para ti mesmo, para daqui a 1 ano!



E desafio-te também a daqui a um ano vires aqui deixar um comentário à tua experiência....

...tens coragem para o fazer?

quinta-feira, novembro 01, 2007

ENAAAAAAAA


Trabalho sem parar, dias que deviam ter mais horas... *STOP*...

Respirei fundo, é hora de arriscar... e as 18h rumavamos para Aveiro.

Objectivo: Conviver.
Colegas de missão: AMP - Amigos do Movimento Pináciano.
Rules of Engagement: Mudar de registo, divertir-me, divertir, RIR!


A mudança de registo para mim é sempre algo muito difícil, especialmente quando tenho algo no fundo do meu consciente a dizer "devias ter ficado a trabalhar, tens coisas para fazer!", mas se no inicio ouvia esta voz irritante.. pouco depois já estava a rir-me...

Voltei a meu espírito de parvoíce, LIGUEI GENTE HÁ FICHA... (nem perguntem)! Senti o meu espirito a rejuvenescer anos em horas...


ENAAAAAAAAAAAAA...


...liguei-te há ficha!

Música associada: Skank - Garota Nacional

quarta-feira, outubro 31, 2007

A história continua...



"Estou sim, é da RCP, estou-lhe a ligar para lhe perguntar se é possível dar uma entrevista. Pelo que sei fez uma tese de doutoramento sobre escutas telefónicas, é correcto?"


A surrealidade não para...

...e pareço estar no centro dela...

terça-feira, outubro 30, 2007

Latada 2007


Festa das Latas, Latada 2007, Coimbra 2007!

Já tinha passado por lá enquanto doutor com os meus caloiros a morder nabos, com o meu nabo a ser mordido... e agora, quando eu próprio não estava à espera, voltei com outro caloiro...

Sem nada planeado, nada pensado, mas um compromisso de ser padrinho pensei "que se dane, dou lá um salto e em 2 ou 3 horas volto..."

Entrei noutra viagem surreal... começou tudo a ir para casa dum amigo....vestir o caloiro de Super g33k... sair de casa...

Em frente estava um carro da policia de intervenção, que pediu abastecimento de sangria... risada... continuamos rua abaixo... a carrinha acompanha-nos e pede novo abastecimento... risadas e de repente estamos todos dentro da carrinha de capacetes de intervenção e trajados a tirar fotos...

A surrealidade continua, entrevista à MegaFm:
"Estes caloiros estão vestidos de que?"
"Super g33ks!" (olhar da jornalista tipo HUM?!)
"Ah claro.. e vocês são mesmo de que curso?"
"ENG. INFORMÁTICA!"
"Ta esclarecido!"

Muitos nabos depois, e algumas horas também, um caloiro era baptizado...

... começou um novo ciclo!

segunda-feira, outubro 29, 2007

Livro?


Convidaram-me para escrever um livro...

... está a ser uma semana muito...

...INVULGAR!

RTP

O título podia ser RTP por ser algo como Reles Treta e Peta ou Rasca Tentativa de Peta... mas não é mesmo Rádio Televisão Portuguesa...




Depois de surrealmente ter aparecido no Expresso, ainda mais surrealmente recebo um telefonema, mal acordei: "Estou sim...É do departamento de Assessoria de Media e Conteúdos da UC, a RTP quer contacta-lo, posso dar o seu contacto? ... Boa sorte!"

Fiquei uns segundo sem reacção, o que raio está a acontecer?

Subiu-me um frio ao estômago, como é possível a RTP querer-me entrevistar-me a mim? Por outro lado, ainda bem que a RTP me quer entrevistar!

Novo telefonema: "Estou sim, Dr. , gostaria de fazer-lhe uma entrevista nos estúdios da RTP, ainda hoje, é possível?" ...

Enquanto me despachava para ir para as aulas pensava o quão surreal tem sido os meus últimos dias... e pensava também o quão rápido se pode subir ao palco das luzes sem sequer se ter noção de como...

Umas horas depois estava a entrar no estúdio...

...surreal...

sábado, outubro 27, 2007

Rasganço


«Para o acto de formatura leva o estudante a sua pasta com as fitas pendentes. No final, se o resultado for positivo, os colegas e amigos rasgam as vestes ao novo doutor: a batina, as calças, o colete, a camisa, as roupas brancas, ficando o recém-licenciado com o colarinho, gravata, meias e sapatos, embrulhado na capa.
A praxe de rasgar o traje académico após a licenciatura deverá ter surgido com a "Farraparia". A "Farraparia", que durou até cerca de 1910, era feita na Faculdade de Direito após o "Ponto" - anúncio do último dia de aulas - em que os alunos do 1° ano faziam espera aos do 5° ano, que perseguiam com a finalidade de lhes rasgar as batinas e as capas.

(A Academia de Coimbra; Lamy, Alberto Sousa )


Fui ao meu primeiro rasganço, comecei com um amigo de longa data...

Confesso que estava algo curioso, o rasganço é algo já pouco comum, e que devido a sua falta de pudor, na maioria das vezes, muita gente não faz...

Foi uma noite para lembrar, embora tenha sido também de guerra, ou pelo menos de ferimentos :-P

Um amigo disse-me que o rasganço pode ser degradante, ou porreiro... depende da pessoa que está a ser rasgada... ainda não percebi bem qual é o meu tipo...


Confesso, no entanto, que já me cativou mais o rasganço...

...mas a seu tempo logo se verá...

Expresso - Quem diria?


Quem diria...

...que alguém seria contactado por um artigo que fez em 2005, e nem sequer publicou?
...que esse artigo é das primeiras referências sobre Escutas Telefónicas nos motores de busca?
...que esse artigo foi feito para uma cadeira não tecnológica e o tema escolhido por diversão?
...que esse alguém seria entrevistado para um dos grandes jornais Portugueses?
...que o artigo sairia este Sábado, na secção de Justiça - Escutas Telefónicas?


E esta hein?

terça-feira, outubro 23, 2007

Piada do dia



Confesso que nem costumo gostar muito de ventriloquistas...

...mas este achei que valia a pena :-)

segunda-feira, outubro 22, 2007

Sorriso


Há dias vi um programa, tinha a ver com a beleza, e em como a simetria era o truque para parecer belo, ou melhor, como o número divino conjugado com a simetria era.

Parecia uma coisa banal, normalmente escolhia-se para parceiro os mais simétricos porque isso teoricamente era indicador de saúde, ou seja imperfeições era factor de "discriminação"... nada de invulgar.

A coisa que achei curiosa foi quando o apresentador disse que só conhecemos mesmo uma pessoa quando ela envelhece, porque a sua expressão fica marcada na cara... e foi mostrando exemplos de pessoas idosas com um sorriso demarcado, ou uma expressão triste demarcada.. fascinou-me.

Procurei fotos.. e pensei em pessoas, e é realmente verdade...



Qual será a minha cara...

...quando tiver mais umas dezenas de anos...

quinta-feira, outubro 18, 2007

Sacrificio



Sacrifício, do Lat. sacrificiu: Metaforicamente serve para descrever actos de altruísmo, abnegação e renúncia em favor de outrem.


Ultimamente tem reparado muitas vezes que algumas pessoas não tem a mesma visão que eu dos projectos em que estão, o que provavelmente é normal...

Eu sempre tive a pancada de ser o John McClane, o herói que se sacrifica pelos outros... e curiosamente tenho visto que essa pancada de criança acabou por se reflectir em decisões de adulto.

Quando era mais pequeno e estava na cama fechava os olhos, e imaginava-me no meio duma cena de filme de acção, em que "salvava o dia", mesmo quando isso implicava levar uma bala.. sabia no entanto os sacrifícios não se faziam só em situações dessas, via a minha família a faze-los, muitas vezes por mim..

Acho que passei essa pancada para o dia-à-dia, quando me comprometo com algo, muitas vezes sacrifico-me por isso, sem ninguém reparar, de uma forma natural, tentando agilizar coisas que só um louco tentaria agilizar... faria-me confusão faze-lo de outro modo...

Muitas vezes faz-me confusão quando vejo uma atitude radicalmente oposta..

... ou uma opção que para mim não faz sentido...


Mas provavelmente sou eu que não tenho muito juízo...

...mas afinal de contas eu até gosto de ser louco!

quarta-feira, outubro 17, 2007

terça-feira, outubro 09, 2007

Rir





Aquela aventura dos 4 fantásticos deu-me muito mais do eles imaginam...

Devolveu-me uma coisa que há algum tempo tinha perdido, ser apenas eu...

Vinhamos num regional, totalmente apinhado, cheio de gente desconhecida, numa daquelas situações em que estar rodeado de gente é muitas vezes o mesmo que estar sozinho... um silêncio ensurdecedor rebatido por histórias nossas e risadas...

A medida que os quilómetros passavam, o "público" aumentou, de apenas 5 pessoas a partilhar histórias, tínhamos agora imensas a ouvir e a rir connosco... havíamos ultrapassado a barreira do silêncio, criado um viagem que poderão não se lembrar daqui a algum tempo, mas que os fez rir arriscando ultrapassar a barreira dos desconhecidos e estando ali como amigos num café a ouvir o que um amigo que já não viam à algum tempo tinha vivido...

Fez-me voltar a sentir eu, duma maneira que era pouco frequente... fez-me desejar que fossem mais 500 quilómetros de viagem, para partilhar a minha alegria e sentir risadas ao início timidas e disfarçadas e depois olhares brilhantes e sorrisos abertos...

Alegrar as pessoas é algo uma das coisas que tenho como mais marcantes para mim... estravazar toda a minha parvoíce e vida em algo que faça as pessoas sentirem-se bem... quando consigo faze-lo, subo alto na minha escada da consideração... fecho os olhos hoje à noite ainda a sorrir...

Aquela viagem fez-me voltar a ser aquele Pedro que gosto, que quero ser...

Voltei a ser eu...

...e agora que sei que sou capaz, não vou desistir de o ser!

Música associada: Da Weasel feat. Maestro Rui Massena & Czech N.S.Orchestra - Mundos Mudos

segunda-feira, outubro 08, 2007

Arriscar confiar!


"Filho não apanhes boleia de estranhos, alias não apanhes boleias de todo."

É assim que começamos a vida, num mundo que se diz cada vez mais perigoso e onde aparentemente se pode confiar cada vez menos...

Gostamos de viver, optamos pela segurança, recomendamos a segurança, confiar torna-se num preço demasiado alto a pagar quando a televisão imprime violência a cada minuto...

Vivemos acomodados nesta realidade... o que acontece quando rompemos com ela?

Há algum tempo vi o filme "Diarios de motocicleta", que conta uma parte da vida de Che, em que ele parte pela América Latina, numa mota, com um amigo, sem muito dinheiro, a confiar que as pessoas o irão ajudar na viagem.
Isto lembrou-me uma experiência totalmente diferente, mas que assenta na mesma confiança, os jesuítas numa fase da sua formação, passam 15 dias em viagem, sem dinheiro, a pedir comida, agua e sitio para dormir...confiando, tendo apenas um ponto de partida, um de chegada e uma mala às costas, e pernas para andar. Lembrou-me também a minha mini-experiência de passar um dia nessas condições...

No fim-de-semana a 4 houve um momento em que estávamos a andar, de mochilas, cansados, sem conhecer o caminho, com calor e após ter perdido um comboio... confiamos, pedimos boleia. Algum tempo depois, para um senhor já de idade, que nos dá boleia e após alguma conversa inicial diz uma frase duma sinceridade que me ficou "eu normalmente não dou boleia a estranhos,mas..."

Renasceu em mim o bichinho da ousadia...

Quero confiar!

Marquei na agenda, no verão serei louco, confiarei! Quero por 4 dias confiar nas pessoas, e comer, beber e dormir onde a generosidade de alguém me permitir... desafiei os 4 fantásticos...

Um dia voltarei a escrever sobre isto...


Confiar...

...uma palavra tão simples, no entanto uma coisa tão complexa!

Música associada: Switchfoot - I Dare You to Move

domingo, outubro 07, 2007

Fantastic 4



Uma proposta, um fim-de-semana a 4:

- 4 amigos
- 4 cúmplices
- 4 loucos
- 4 fantásticos!

Objectivo:

- Arriscar! Estar! Sonhar!


Um almoço a correr, uma longa viagem com boa companhia... tinha começado!

Entre encontros fortuitos, a brincadeiras com um pastor alemão chamado Siger, a procura de um "Retiro" ao lado do mini-preço, a Shaolin Soccer eggs e risadas... foi assim que se adormeceu no primeiro dia...

Arrancamos para o norte profundo... para viagens de comboio surreais e passagens divinais... para a primeira paragem e uma viagem de barco e jogo de matraquilhos, um comboio centenário... e um portátil centenário.... de peso.

"Retiramo-nos" e fomos em busca de uma cozinheira ainda em serviço, passando por *coisas* no meio da rotunda.. o dia fechava em grande.

Get uppppppppp... é hora de perder o primeiro comboio, andar a pé, seguir atalhos que são tudo menos isso... e apanhar boleia de alguém com uma generosidade sincera. Almoçar, desesperar por comboios, por pequenos presentes de pedra nas mochilas... e partir na ultima das viagens.... que fechou em chave de ouro em risadas divinais de um grupo bem para lá dos 4.

Foi um fim-de-semana...

... 4 vezes fantástico!


Música associada: The Proclaimers - I'm Gonna Be (500 Miles)

domingo, setembro 30, 2007

Humor


Já à alguns dias que andava a imaginar este post, e sorri quando recebi por RSS este, do blog de uma amiga, que tem muito a ver.

A minha imagem também mudou muito ao longo dos anos, fui de bom aluno, a estranho, a louco, a excêntrico, a certinho, a divertido e finalmente sério.

Conforme vou estando com as gerações de cada fase, sinto-me um bocado de volta a esse ponto, para elas ainda sou assim... o que tem coisas más e irritantes, mas tem algumas bastante boas. Posso voltar a ser o Pedro divertido e sem papas na lingua que faz o que se lembra, quando se lembra, se ter qualquer receio do que as pessoas vão pensar ou da imagem que vai passar.

Com limites, (pouco visíveis, mas muito claros para mim), o importante é fazer rir, divertir as pessoas, ve-las sair de perto de mim com uma cara perplexa mas risonha....

Sinto saudades disso...

Sinto saudades de não representar algo maior, de não me sentir à vontade por algum motivo de ser espontâneo, de ter que ser sério e "profissional".

Lembrei-me muito disto por várias coisas, todas elas aconteceram neste dia 30:

A primeira foi uma situação hilariante... uma almoço de uma reunião com alguma seriedade, à saida do restaurante, dois dos que estavam comigo entram num autocarro que lá estava parado, prestes a arrancar, perante a perplexidade dos ocupantes, quase todos da terceira idade, e acenam de dentro do autocarro, sentados.... absolutamente inesperado e genial... logo de seguida a cereja, uma terceira pessoa vai ao microfone e deseja "Boa viagem"... mencionando o sítio... e aqui vem ainda mais cereja... o destino não era esse... assim ouviram-se várias pessoas "Mas nós não vamos para...".

A outra... um jantar de anos, apenas duas caras conhecidas, de velhos tempos... a oportunidade de ser o palhaço, sem preocupações. Descontracção total. Olhares atónitos, risos...

...talvez esteja a recuperar o jeito...

...ou talvez nunca o tenha perdido...

Música associada: Creedence Clearwater Revival - Have You Ever Seen The Rain

domingo, setembro 23, 2007

Praxe


Porque acho que a praxe pode ser algo com piada, sem ofender ninguém e onde todos se divertem... excepto os que estão à espera, no entanto, são apenas 3 minutos. Podendo haver mil argumentos contra... e pensando várias vezes se devia aqui por o vídeo... achei que sim!

Música associada: The Proclaimers - I'm Gonna Be (500 Miles)

sexta-feira, setembro 21, 2007

Partilha


Durante o campo de verão que animei este ano fiz uma das partilhas que mais me marcou... pela reflexão e pelo reacção que vi nas pessoas com as quais partilhei... desde ai esteve sempre presente, decidi então deixa-la aqui... não me lembro de tudo que falei de certo, nem deverá ter a magia que sinto daquela tarde... mas não resisti. Esta foi feita por mim e por um grande amigo, o Bernardo, vou tentar partilhar convosco como foi...



Discriminação & Generosidade

A ideia era falar sobre discriminação... e depois falar da generosidade das pessoas.

Parece algo bastante batido, falar sobre isso torna-se então bastante duro, falar sobre algo que já toda a gente ouviu falar... decidimos falar sobre experiências nossas... que fossem mesmo reais...

Começamos por um exercício simples, toda a gente sentada em roda e vendada, as pessoas eram trocadas de sitio por nós, já vendadas, e púnhamos as suas mãos na cara da pessoa ao lado... tinham que descobrir sem falar quem era... propositadamente alguns não tínhamos trocado... grandes amigos tinham ficado lado a lado... curiosamente, mesmo assim, não conseguiram descobrir quem era a outra pessoa... quando tiraram as vendas nem podiam acreditar...
Quanto aos restantes que tinham alguém "menos conhecido" foi giro ver as suas reacções a viverem alguns minutos como cegos...

Vendas tiradas, passamos para outro espaço, era espaço de oração... sentamos-nos... meia lua virada para mim e para o Bernardo.

Comecei a falar com um sabão azul, coberto de terra, na mão, perguntei o que era aquilo... depois das primeiras respostas tímidas começaram a surgir algumas confiantes.. afinal era mesmo um sabão azul... retirei a terra que o cobria, mostrando realmente o sabão e parti-o ao meio, mostrando o "coração do sabão" realmente provando que era um sabão azul...

- É assim que fazemos na vida muitas vezes, temos uma imagem de uma pessoa, nublada, com terra, sabemos que lá no fundo pode estar uma pessoa interessante, mas não nos damos ao trabalho de tirar a terra...

- É muito mais fácil gozar do que arriscar... uma pequena história verdadeira sobre isto, vem de um dia que estava na faculdade e um senhor, já com alguma idade, que estava a concertar algumas coisas lá, estava a tentar abrir uma porta de vidro para passar... com a quantidade de coisas que tinha nas mãos não conseguia. Muita gente assistia à cena, sentada nos bancos... no entanto ninguém se levantou.. olhei à volta, fez-me imensa confusão.. levantei-me abri a porta e vi um sorriso de agradecimento... Não sou de todo melhor que os outros, mas as vezes todos nós acho que podemos ter atitudes cristãs que nos fazem sentir bem, esta foi uma das minhas...

O Bernardo começou então a falar sobre um experiência que ambos tínhamos tido, na prisão de Coimbra, a visitar os presos da ala dos crimes mais graves:

- Foi num fim-de-semana chamado After-Xav, organizado pelos jesuítas, numa tarde haviam vários desafios, um deles era visitar uma prisão... achamos piada a esse, uuuhhh visitar uma prisão, que medo.. quando tomamos consciência já íamos na carrinha em direcção à prisão de Coimbra... depois da brincadeira inicial, agora era a sério... começaram por nos explicar a única pergunta que não podemos fazer a um preso "Porque foste preso?"... as dúvidas surgiam "O que vamos falar com eles?", "Eles tem acesso a informação do exterior?"... e com calma os noviços que nos acompanhavam diziam-nos que eles eram como qualquer pessoa, falavam de tudo, de futebol, de politica... Por conselho deles deixamos os nossos bens materiais no carro, entramos e logo à porta fomos revistados e deixamos o BI... começávamos a ter um nervoso miudinho conforme as portas de ferro se fechavam depois de passarmos... começamos a ter as primeiras exclamações de surpresa a ver presos a andar "livremente" pela prisão.. percebemos que o que vemos nos filmes não é a realidade... pelo menos não a portuguesa... não a daquela prisão...

Passamos pelas celas, e tivemos uma visita guiada feita por alguns guardas, e outros presos... rimos com as piadas, ficamos sérios com as exclamações de "falta de integração social e oportunidades" e especialmente absorvíamos cada momento ainda incrédulos de ali estar... finalmente fomos para uma pequena sala, sem cadeiras nem mesas como nos filmes, vazia e ao nosso encontro vieram os presos que desejavam conversar... conversamos, sobre a vida, sobre integração social, sobre como se vive numa prisão... sobre imensa coisa... percebemos que eram mesmo seres humanos como nós... houve um impacto fortíssimo em nós... aquilo não era uma realidade alternativa, poderíamos ser nós ali...

Houve um momento de silêncio, pedimos para cada um em silêncio pensar nas situações em que tinha discriminado alguém...

... algum tempo depois, pedimos sentimentos e palavras que surgissem na pequena reflexão: "Arrependimento, tristeza, mudança, estupidez.." o ambiente era pesado... sentimos o peso da discriminação em nós..

Tomei novamente a palavra...

- Vou-vos falar de uma experiência que tive, a não muitos anos, num campo de férias, fiz uma caminhada diferente... fui deixado com o meu grupo de 5 pessoas, num sitio que não conhecia, apenas com 1 mapa, 1 cantil, sem dinheiro e um telemóvel apenas para emergências. As regras? Chegar ao sitio de campo às 8 da noite, pedindo comida e água, e boleia em parte do caminho dado que eram quilómetros a mais para ser possível percorrer apenas a pé. Motivação? Confiar nas pessoas.

- Começamos, sujos de pó e terra, mas animados, apetecia-nos correr até ao campo... aquele desafio era no mínimo estranho, nunca tínhamos feito nada assim... andamos, andamos, andamos... o sol era escaldante, cedo a água acabou, perguntávamos e pedíamos agua, ao longo da manhã avançando a pé, estava a ser duro. A fome atacava. Pedimos em algumas casas... numa delas uma senhora já de idade queria dar-nos o seu almoço... ficamos abananados... alguém queria dar-nos o SEU ALMOÇO, não era brincadeira... alguém que nem sequer nos conhecia... generosidade... recusamos, tinhamos fome, mas estávamos cheios por dentro... continuamos a andar, nunca me esquecerei desse momento...

Nesta altura, vi sorrisos entre as pessoas para as quais falava.. também nunca me esquecerei desse momento.

- Andamos mais, pedindo... até que chegamos a um restaurante, e ai entrou apenas 1 de nós, estávamos mesmo sujos e não queríamos constranger ninguém... oferecemos-nos para lavar a loiça ou fazer outra coisa em troca de 2 refeições que dividiríamos entre nós. A senhora disse para aguardamos na esplanada, pediu desculpa, mas explicou que tinha receio que os seus clientes se afastassem devido ao nosso aspecto, rimos e aceitamos, estávamos de facto com um terrível mau aspecto e suados devido a passarmos o dia a andar...

- Conversamos alegremente, sentados na esplanada, quando vimos 5 pratos de sopa a chegarem... ficamos novamente abanados... agradecemos, explicando que podiam ser menos, iríamos com todo o gosto partilhar entre nós. A senhora disse para não nos preocuparmos, e comermos. Fomos comendo, alegremente, já preparando para o trabalho que viesse, era com gosto que o iríamos fazer... quando chegam mais 5 pratos com bitoques... nem tivemos palavras, conversamos novamente, dizendo que a sopa era mais que suficiente, ou que podiam ser menos pratos.. novamente a senhora sorriu e deixo-nos com 5 pratos... e daqui a nada voltava perguntando se queríamos café... levantamos-nos, tínhamos bem presente que isso já seria abusar. Perguntamos o que precisava que fizesse... e ela sorridente disse que não era preciso nada...

- Estávamos novamente a andar, e a pedir boleia... estava ser dificil, decidimos dividirmo-nos, combinamos um ponto de encontro e foram 3 para um lado, 2 para outro... pouco tempo depois estávamos a andar na mala de um carro, eram os organizadores de um festival de verão, que vendo o nosso aspecto pensaram que íamos para lá e pararam para nos levarem... fomos conversando ao longo da viagem a rir e a explicar o que estávamos a fazer, foi uma empatia rápida.. pouco tempo depois estavam a oferecer-nos os contactos e a dizer para se fossemos ao festival os procurássemos que íamos para os bastidores com eles... entretanto deixaram-nos e mais tarde apanhamos novamente outra boleia, já os 5 juntos. Esse senhor quando soube o que estávamos a fazer, ofereceu-se logo para nos ir levar ao sitio... recusamos muito agradecidos, a ideia era levarem-nos através dos caminhos que se cruzassem com os nossos...

- Chegamos! Depois de algum tempo a pé... e tínhamos um lava-pés à espera... feito pelo grupo que tinha chegado antes de nós... algum tempo depois éramos nós a receber a equipa seguinte... para quem ficou curioso, chegamos antes da hora limite :-).

Houve um silêncio grande... pedimos-lhes para pensarem nisto e o que poderiam fazer para o futuro...

...pouco depois pedimos para dizerem que palavras surgiam agora: "Mudança, coragem, alegria, generosidade"



Acabou aquela tarde...

...no entanto ficará para sempre gravada em mim...


Música associada: Switchfoot - Only Hope

quinta-feira, setembro 20, 2007

Liderança - Guerra dos sexos


Hoje vi um programa sobre a diferença entre os sexos, quando em posições de liderança...

Gosto bastante deste tipo de coisas, ver as pessoas e perceber os seus comportamentos, e liderança é algo que gosto imenso de estudar... por isso acabei por ficar colado à televisão...

Vários homens e mulheres disponibilizaram-se para estar a liderar um grupo de soldados, em várias situações. Haviam dois grupos, um que a liderança era masculina, rodando esta por 4 homens consoante a situação; o mesmo acontecia no grupo da liderança feminina....

Foi engraçado ver o quão diferente era... normalmente as mulheres não tinham problemas em tocar umas nas outras quando era necessário, conversavam entre si antes de fazer algo, não se denotava grande hierarquia, normalmente tentava-se sempre a concordância de todos antes de fazer algo. Eram extremamente receptivas a sugestões e ligavam imenso ao que as outras pensavam, normalmente as atitudes mostravam que tentavam sempre que toda a gente tivesse uma opinião positiva acerca dela (da pessoa que mandava). A liderança era menos hierarquia e mais contactos ramificados. A segurança das pessoas era muitíssimo valorizada.

Nos homens, havia uma hierarquia extremamente visível, o líder encarregava cada um de fazer certas coisas, não havia muita proximidade física e o líder falava não ligando minimamente se os restantes tinham boa ou má opinião dele, o importante era fazer as coisas bem, pelo menos do seu ponto de vista. A segurança nem sempre era primeiro ponto, quando construiram uma pista de obstáculos, tentaram faze-la o mais "divertida" possível, tendo alguns riscos.

Depois no balanço geral que todos fizeram, as mulheres mostraram preferir uma liderança de mulheres, e para os homens era indiferente. Consoante as situações, uma e outra equipa foram melhores..no balanço geral foram iguais...

Não deixa de ser curioso as diferenças abismais...

...em pequenas coisas...

quarta-feira, setembro 19, 2007

Relações

Enquanto andava a bloggar por ai, li este post:

CITANDO



Proximidade?

“I love him. I love him for the man he wants to be. And i love him for the man he almost is”

Lembro-me de ouvir isto numa sala de cinema… (há cerca de 10 anos atrás)!
Lembro-me de ser pequena...
Mas lembro-me bem da empatia que o filme (Jerry Maguire) suscitou em mim!
Não o voltei a rever mas é mesmo giro aperceber-me que ele foi um filme que “ficou” (não que seja um filme de topo, mas pela simplicidade) – não sei se hoje pensaria assim ao revê-lo mas acho que se o fizesse estaria demasiado influenciada pela memória que me deixou, no despertar das sensações do passado…
É que é basicamente isto! Amar pelo que o outro é, pelo que quer ser e pelo que quase é. Amar também no que falha portanto.
E dizem eles que um grande amor sobrevive à distância… Eu diria que um grande amor sobrevive à proximidade…
Gostaria de dizer que aprendi isto na tela de cinema, lembrando-me de Jerry Maguire…
Mas estas coisas não se aprendem assim!

FIM DE CITAÇÃO


Esta frase, "um grande amor sobrevive à proximidade" ficou na minha cabeça... achei curiosa, por não se ouvir frequentemente... pela sua invulgaridade...

Mas não ficou apenas por ser estranha, mas porque percebi o sentido dela.... de que é difícil conviver com alguém 24h/7 dias por semana... os defeitos aumentam dramaticamente, algo que numa pessoa "vulgar" é algo que nem ligamos, passa a irritar-nos... exigimos a perfeição, mas perfeição em relação ao que somos...

Acho que a grande diferença começa a ser a partir do momento que abdicamos de algumas coisas, e cedemos... e isto é mútuo... deixamos de ser perfeitos ao espelho... e passamos a ser humanos.

Subitamente vemos perfeição... perfeição na outra pessoa que viamos tantos erros.. perfeição, não por não errar, mas apenas por a conseguirmos aceitar assim, e não termos desejos de a mudar...

Aceitamos a outra pessoa, tal como ela é...

... finalmente percebemos o que é uma relação!

terça-feira, setembro 18, 2007

Um funeral, diferente...



Este é o discurso do John Cleese no funeral de Grahan Chapman, ambos dos Monty Python.

Música associada: Monty Python - Always Look on the Bright Side of Life

segunda-feira, setembro 17, 2007

Banda sonora da vida...


Hoje vi um episódio de "Stargate Atlantis"... é uma série que sigo à alguns anos, spin-off da original "Stargate" que segui por 10 anos.

O episódio que vi era um "preview" para os críticos, ainda sem efeitos sonoros... foi de facto estranho, havia imensos momentos de silêncio... era tudo muito... normal.

Fez-me perceber uma coisa que já tinha reparado as vezes... em todos os momentos da minha vida, imagino qual seria a música que se adaptaria a ele...

Curiosamente foi o silêncio que me mostrou isso...

...se bem que normalmente o silêncio é a mais forte de todas as músicas...


Ps: A partir de agora, sempre que tiver uma música especial que tiver associado a um dos posts, referirei...

quarta-feira, setembro 12, 2007

Mudar o mundo!


Hoje vi este filme.

O filme não é f-a-n-t-á-s-t-i-c-o e a crítica realçou isso...mas bastante gostei da mensagem... e ultimamente isso é o mais importante para mim, não consigo ver filmes sem conteúdo...

Mas o que me ficou mais depois de o ver, nem foi o filme ou a mensagem em si, foi uma linha de pensamento que tive enquanto o via.

Devido a uma das personagens principais fui meditando sobre o que era a timidez...

Comecei a pensar em quando somos bebés, ou muito pequenos, que achamos que é o mundo que se tem que adaptar a nós. Nós somos o centro do mundo! Os nossos pais à nossa volta, bem como imensa gente a olhar e a dar-nos imensa atenção só pode querer dizer isso!
Choramos porque temos fome...estando no centro do mundo isto não pode acontecer! Venha a mãe ou o pai dar-me comida, isto é intolerável! Choramos porque temos frio, ou então porque queremos colo...


Crescemos e tornamos-nos adolescentes... afinal se calhar não somos o centro do mundo, afinal somos nós que nos temos que adaptar ao mundo, ao seu conceito de beleza, de amizade, de estar na vida... senão o mundo dá-nos um pontapé no traseiro! Não podemos ser populares se não nos adaptarmos cada dia, se nos adaptarmos tão bem que até parece que o mundo se adapta a nós... e em breve algumas pessoas desse mundo começam realmente a adaptar, ou deverei dizer imitar? Sendo camaleões vencemos dia-à-dia!


Damos um novo salto e de repente deixamos de ligar ao que a maioria das pessoas diz, não achamos que o mundo se deve adaptar a nós, mas adaptamos-nos apenas conforme o feedback dos que consideramos realmente amigos próximos. Não somos o centro do mundo, mas também não somos o extremo da galáxia... tornamos-nos adultos!
Cada um de nós, vai encontrando o modo de estar, com mais ou menos tendência para a infância ou adolescência, e respectivas maneiras de estar... a nossa personalidade fixa-se por fim.

É curioso como vamos de extremo a extremo.. até chegarmos ao que achamos que é o meio, e encontramos a nossa paz.

No meio desta viagem temos mil aventuras... a apresentação para a turma que nos fez tremer, o 100% no teste que nos fez encher de confiança e orgulho, um sorriso amigo que nós fez acalmar ou um beijo sentido que nós fez balançar!

Fechamos os olhos à noite, a sorrir, lembrando cada momento, de timidez ou de ousadia...

...e adormecemos sabendo que amanhã haverão mais!


Música associada: Switchfoot - I Dare You To Move

domingo, setembro 09, 2007

quinta-feira, setembro 06, 2007

Quase voei...





Um fim-de-semana bem passado, com viagens, conversas, amigos, risadas e muita alegria!

Um desafio radical... e....


...senti-me a voar...

sábado, setembro 01, 2007

Paz


Nunca peguei numa arma, pelo menos não numa a sério, no entanto há muito tempo sentia-me em guerra.

Como todas as guerras, começou de uma maneira estúpida e não beneficiava ninguém, mas alimentava-se facilmente de mal entendidos e segredos.

Não era feita de tiros, mas de palavras e sentimentos.
Não matava fisicamente, mas destruia psicologicamente.
Não tirava a soberania a países, mas conseguia criar cisões.
Não separava famílias, mas separava amigos.

Como todas as guerras, depois de começar, o fim não estava à vista.

Ponto final.

O passado lá foi...finalmente sinto-me tranquilo por ter recuperado a paz.


Começou um novo mês...
...e com ele uma nova fase.