domingo, março 25, 2007

Páscoa (Inaciana)

Este ano tive a sorte de ser convidado para passar uma Páscoa diferente...

Uma Páscoa Inaciana *, alguns dias antes do dia de Páscoa, mas simbolizando esse mesmo dia.

É bastante raro falar sobre as minhas crenças de fé neste blog, talvez porque não ache que faz muito sentido dizer "Olá, sou o Pedro e sou católico", (porque no fundo este blog é apenas uma "camada da minha cebola", (analogia do Shrek :-) )... talvez também porque considere a minha fé algo que bastante intimo.

Opções à parte, hoje optei por partilhar uma reflexão que tive durante os 4 dias que tive o privilégio de estar a "animar" esta Páscoa.

Para quem eventualmente não saiba a Páscoa são os últimos momentos que Cristo vive, até ser crucificado e segundo as crenças católicas ressuscitar.

Dado isto, a minha reflexão foi um pouco mais generalista, partindo da Páscoa, e tendo como ponto assente que Jesus Cristo existiu, independentemente do que cada um acredite, como homem, está provado que existiu, pensei o que levaria alguém a lutar tanto por um ideal que o levasse a ser morto por isso...

Imediatamente surgiram-me ideias actuais de bombistas suicidas a matarem-se pelo que acreditam... mas rapidamente pus a ideia de parte, porque embora a morte esteja em comum acaba ai, um bombista pretende matar-se e causar dano, Jesus foi morto.

Dai continuei a pensar... pensei em Galileu, que sabia, ou acreditava que a Terra era redonda, mas que negou a sua ideia para não ser morto. Ele optou viver, continuando a acreditar.. preservar-se, preservando também a sua ideia, mas tendo como objectivo principal a sua própria vida. Era de certo também a minha opção...

Voltei a focar-me em Jesus... de certo era louco, podia ser um louco, esquizofrénico sem mínima noção das consequências, ou podia ser um louco pelo seu ideal, neste caso a humanidade.

Dado que gosto bastante de ser racional, e achei que o pensamento até aqui tinha alguma coerência, achei interessante continuar. Foquei-me nos momentos principais de sofrimento... e reparei no pormenor que Jesus podia ter optado por negar também a ideia que o levou a morrer, negar o que tinha antes dito que era filho de Deus bastaria para não ser morto... no entanto estranhamente, e contrário ao que provavelmente todo o homem actual e lúcido faria, não o fez, manteve-se em silêncio quando poderia salvar-se.

Isto fez-me confusão...

Mesmo sem pensar em termos de fé, é uma decisão estranha... mesmo um louco, ao levar chicotadas iria com a dor lutar para que ela não se repetisse... mas Ele aparentemente não o fez...

Bem, assumamos que era um louco total, podia ter sido, e que embora aparentemente eloquente a falar com o povo, tão eloquente que reunia imensa gente que o faz ainda ser falado hoje, e marcamos o ano pelo sua possível data de nascimento, assumamos que ele apenas não negou por não estar ou ser lúcido.

Então, continuei o meu raciocinio, e foquei-me noutras pessoas, os seus seguidores que aparentemente o negaram inicialmente, mas que após algo, espalharam-se pelo mundo para ensinar o que Ele lhes ensinava... o que poderia ter despoletado isto?

Dado que com medo inicialmente nenhum deles disse nada o que poderia ter despoletado essa vontade que poderia também para eles dar em morte... a qual era quase certa... No entanto todos avançaram para vários países do mundo, e alegadamente 11 dos 12 foram mortos pela sua convicção, provavelmente crucificados...

O que faria 12 homens arriscarem a sua vida apenas por um louco?

O que faria o mundo acreditar em 12 loucos que acreditaram num louco?

A fé pode não ser racional, mas as conclusões para um lado ou para o outro creio que podem bem ser, e esta pode ser uma base, para qualquer uma das conclusões.


Pessoalmente acredito, no entanto, acho tão valida a minha crença como todas as outras fundamentadas em algo histórico que existem. Talvez dai também um pouco a minha opção de não falar muito sobre fé.

Fé aparte, as "igrejas" são normalmente as coisas polémicas, mas acho que isso é secundário quando temos uma questão central como esta que envolve a nossa própria história enquanto humanidade e a maneira como vemos actualmente o mundo...


Achei que devia partilhar isto...

...embora obviamente aceite opiniões contrárias.


* Páscoa Inaciana: É uma actividade feita por alunos dos colégios da Companhia de Jesus, em que passam 4 dias a aprofundar o seu conhecimento sobre o que é a Páscoa para os católicos.
Junto destes alunos vão ex-alunos para "animar", (meu caso), e alguns jesuítas.

Sem comentários: