domingo, dezembro 09, 2007

Compromisso



Compromisso é a forma, pública ou não, de se comprometer com alguém, com algum objectivo ou causa. Há diversos tipos de compromissos: compromisso religioso, compromisso amoroso, compromisso de negócios etc.Compromisso é um acto de se unir com alguém , estar devendo isso à ele (ou à pessoa) isso pode ser formal ou não. Promessas mais ou menos solenes; contrato; dívida com prazo marcado; acordo político; convenção. (Wikipédia)


Andava há algum tempo a pensar sobre este pensamento (post).

Senti que a minha conclusão não era suficiente.. faltava qualquer coisa que eu não estava a conseguir exprimir..

Percebi passado algum tempo que a palavra que me falhava era compromisso.
Percebi que quando assumo um compromisso faço tudo para não o quebrar.
Percebi que nos projectos em que estava era isso que marcava a diferença de alguns.

Quando assumo alguma coisa, para mim é impensável falhar, ou pelo menos não me esforçar até à última para que tudo corra bem.

Fez-me alguma confusão perceber que tipicamente as pessoas à minha volta não percebem isto, ou não sentem que isto é uma verdade para todas as coisas em que estão. Tem compromissos sérios, como o curso, e outros que se fazem quando há tempo...

Para mim isto não faz muito sentido, tenho prioridade obviamente, mas os compromissos são praticamente indistintos, se os assumo tenho que tomar com seriedade qualquer que seja...

Já comentaram comigo que isto me prejudicava... no entanto eu sinto que me fortalece, enquanto pessoa, fortalece os meus valores e a minha responsabilidade.

Tento ser integro...

...seja para o que for!

Post scriptum ao "Compromisso"

Quando comecei a entrar em projectos, comecei a sentir uma realização pessoal que senti como vital para mim, e tomei como vital estar neles.

Com o passar dos anos fui acumulando projectos, cargos, ideias a fomentar e outras já a crescer...

Percebi finalmente o quão importante é saber sair. Sair no tempo certo, quando é altura de passar o testemunho, quando percebemos que dali para a frente já não teremos o mesmo rendimento. Sair quando já não é saudável.

Aprendi o valor das prioridades para discernir em conjunto com as restantes variáveis quando é altura de sair, e que não consigo conjugar tudo, pelo menos não com a mesma qualidade.

Percebendo isso, tomei decisões que para mim foram extremamente difíceis, (acho que sair de algo que sentimos que faz parte de nós nunca é fácil), e após alguns suspiros e interrogações percebo que foi o caminho certo, e que é por ele que devo continuar.

Sou um construtor de ideias, boas ou más o tempo o dirá, bem como se as construi bem o suficiente para durarem.

Sem comentários: