terça-feira, abril 01, 2008

Dia das Mentiras


"Há muitas explicações para o 1 de Abril ter se transformado no Dia da Mentira ou Dia dos Bobos. Uma delas diz que a brincadeira surgiu na França. Desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado no dia 25 de Março, data que marcava a chegada da primavera. As festas duravam uma semana e terminavam no dia 1 de Abril.

Em 1564, depois da adopção do calendário gregoriano, o rei Carlos IX de França determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1 de janeiro. Alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano iniciaria em 1 de Abril. Pessoas a gozar passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Essas brincadeiras ficaram conhecidas como plaisanteries.

Em países de língua inglesa o dia da mentira costuma ser conhecido como April Fool's Day ou Dia dos Tolos, na Itália e na França ele é chamado respectivamente pesce d'aprile e poisson d'avril, o que significa literalmente "peixe de Abril". "



Introduções à parte, confesso que nunca gostei muito do dia das mentiras... gosto demasiado de ter noção de tudo e perceber a realidade das coisas para me sentir bem num dia em que a verdade não é, pelo menos, tida como objectivo, teoricamente para a maioria.

Embora, como todos, acho que algumas mentiras tiveram piada, gosto particularmente de uma das mais famosas e também antiga, em que a BBC fez uma reportagem sobre arvores onde crescia esparguete... passado algum tempo as pessoas estavam a telefonar interessadas em terem arvores daquelas...

De qualquer maneira, este dia, como em qualquer outro tentaram pregar-me uma, (ou talvez mais), partidas, e curiosamente, embora logo à partida imaginasse que era uma partida acabei por aproveitar para reparar no meu comportamento...

A partida tinha a ver com consequências para um grupo do qual eu fazia parte. Desde logo o meu cérebro disparou opções de fuga às consequências, de negação do grupo, de opções de defesa...

...rapidamente me apercebi disto e percebi o quão é difícil para mim muitas vezes enfrentar algumas consequências, e obviamente, não é de agora, provavelmente agora é menos acentuado.

Provavelmente é uma das coisas que me tenho de concentrar...

..se quero continuar a crescer...

Sem comentários: