sábado, maio 10, 2008

Vulgaridade


A escala da vulgaridade dita directamente a da aceitação geral.

Provavelmente já não se lembram da primeira vez que viram alguém desfavorecido a pedir na rua.

Provavelmente já não se lembram que puxaram a perna da vossa mãe e perguntaram "o que está aquele senhor a fazer?".

Provavelmente já não se lembram da resposta dela.

Provavelmente já não se lembram de todas as situações chocantes que viram e que se tornaram banais e invisíveis aos vossos olhos com o passar do tempo.

O tempo é um factor curioso, embora não pareça tem o factor de mudar as propriedades físicas... uma em particular, por ser inesperada, a visibilidade.

Se um senhor na rua, sentado, com a mão estendida é algo fácil de olhar para o lado, há situações de fundo, que aparentemente seriam sempre mais visíveis mas que sucumbem face ao relógio.

É difícil de lembrar que à alguns anos as pessoas casavam ainda na adolescência, à mais ainda era combinado pelos pais, (em ambos os casos provavelmente ainda acontece), parece óbvio agora as má opções... na altura a vulgaridade, (e não posso negar, também o contexto), não criava espaço para a questão...

Se há alguns anos (sim já passaram anos), o caso da Casa Pia chocou o país, agora já poucas notícias saem sobre ele, já não faz manchete, já não choca, já poucos ligam como ligaram... já não é novidade... e este é um dos exemplos mais flagrantes...

Será isto uma carapaça de protecção que criamos...

...ou uma indiferença social mascarada pelas surpresas das manchetes ...

Sem comentários: