quarta-feira, janeiro 30, 2008

Gandhi


Sabia pouco sobre este senhor até ver o filme sobre a sua vida à dias...

A sua politica de não-violência, e a maneira como conseguiu transmiti-la muitas vezes aos que como ele acreditavam que a India devia ser independente é impressionante...

Ficou-me uma cena do filme, onde após Gandhi ser preso, (mais uma vez), há uma manifestação em frente a uma fábrica, e os seus "apoiantes" marchavam e iam caindo sem exprimirem qualquer reacção violenta, conforme a polícia lhes batia com os seus bastões na cabeça...

A maneira como jejuava para conseguir atingir objectivos, nomeadamente a paz entre religiões... usando o seu corpo como única vitima para atingir esse fim...

É sem dúvida uma das pessoas que mais me impressiona na história...

Faz hoje 60 anos que foi assassinado!


Albert Einstein disse um dia...

...que as gerações por vir terão dificuldade em acreditar que um homem como este realmente existiu e caminhou sobre a Terra.

Ps: Quem tiver mais curiosidade como eu em ler sobre Gandhi, veja isto.

terça-feira, janeiro 29, 2008

Apostas


Hoje numa conversa descobri que no passado, uma das pessoas que mais critiquei foi uma das que mais apostou em mim...

Fiquei completamente surpreso... por a pessoa que eu queria ver fora da liderança ser a mesma que dizia que eu seria o próximo líder...

Surpresas...

...inesperadas...

segunda-feira, janeiro 28, 2008

O meu sonho...



O meu sonho depois de ver este vídeo...

...é definitivamente ter um Toyota...

...raios pá, eu ia jurar que conseguia ir até à América sem enferrujar muito o carro!


Ps: A matança continua neste vídeo e neste.

[Adição posterior: O vídeo em cima está agora indisponível, vejam na fonte original aqui.]

domingo, janeiro 27, 2008

Liderança Inaciana


Numa reunião hoje ouvi falar de Liderança Inaciana.

Alguns conceitos deixaram-me bastante pensativo:

- O líder inaciano não ser resistente à mudança, por saber que a mudança é o futuro.
- A indiferença inaciana... que faz com que se consigam tomar decisões para o bem global e não local ou individual.

Estou bastante curioso para aprender mais sobre isto...

...é um tipo de liderança, diferente!

quinta-feira, janeiro 17, 2008

Momento cultural


"Pseudo-intellectual is a type of snob. Such a snob imitates the manners, adopts the world-view and affects the lifestyle of a social class of people to which he or she aspires, but does not yet belong, and to which he or she may never belong."

Retirado da Wikipédia


Curiosidade: Apesar da conotação negativa da palavra snob, na realidade..."A snob, guilty of snobbery, is a person who adopts the worldview that some people are inherently inferior to him/her for any one of a variety of reasons including real or supposed intellect, wealth, education, ancestry, etc."


E esta hein?

[Adição à posteriori: Quando dei nome a este blog e convidei o Fábio para escrever comigo, eu próprio não sabia exactamente o que era um pseudo-intelectual, usava a palavra porque achava piada...]

quarta-feira, janeiro 16, 2008

Hoje


Hoje sinto-me angustiado.

Por nenhum motivo em particular, por vários em geral.

Se não tiver grandes conversas, não estranhem...

...estou a tentar perceber o que se passa.

terça-feira, janeiro 15, 2008

Command in Chief


Hoje estava a ver esta série. Se a vêem na televisão portuguesa (SIC), devem conhece-la por "Sra Presidente"... para quem não conhece basicamente é sobre uma vice-presidente dos Estados Unidos da América que após a morte súbita do Presidente eleito, contra a opinião de quase toda a gente, assume a presidência.. e a partir dai passamos a ver o dia-à-dia da gestão duma das maiores potências da actualidade.

Não é das minhas séries de culto, mas confesso que gosto.

Retomando a linha de raciocínio, a coisa que mais me chamou a atenção no episodeo foram os cuidados que foram tomados para a presidente revelar uma decisão e fazer um discurso ao país...
O discurso, escrito por uma "especialista", foi preparado ao milímetro...

Faz-me alguma confusão esta vertente da politica, em que o que se vê é mais importante do que realmente existe, porque sei que é real. Normalmente as medidas correctas não são as mais populares... mas é essas que deverão ser tomadas... embora haja o grande risco de perda de popularidade...

Este balanço é complicado.. embora ache que seja importante haver uma boa fonte de informação para as pessoas, sobre as decisões, a importância que se dá à maneira como a informação é dada começa a ter o risco de ser mais importante que a decisão em si...

Curiosamente, ao estar na liderança, de um movimento não-politico, tenho-me apercebido cada vez mais da importante que se dá ao marketing de informação. O controle de informação é considerado peça essencial, para que se revelem as coisas na hora escolhida para terem um impacto controlado...

A ideia é que as pessoas são resistentes à mudança, e por instinto reagirão sempre contra. A maneira de ultrapassar isto é conseguir que as pessoas recebam toda a informação necessária para perceberem a mensagem completa, sem que haja tem para reflexos negativos.

Compreendo perfeitamente isto, e sou o primeiro apologista de ter cuidado ao revelar algo. Embora goste de chocar, sei bem qual a reacção das pessoas... é exactamente a que falei acima, rejeição.

Fico altamente constrangido é quando as coisas se invertem, e as decisões não são tomadas em virtude da sua futura pouca popularidade... perde-se o sentido, já não se pensa nas decisões certas, mas apenas nas mensagens certas a enviar...

Creio que hoje em dia esse é o maior risco da política... dai se prometem mundos e fundos, a mensagem vem bonita..é agradável..

A culpa também é nossa, provavelmente é 90% nossa, porque gostamos mais de ouvir algo que nos favoreça do que algo que realmente seja bom na "big picture"... e caimos nas mensagens pré-planeadas, que nunca serão realizadas, ou a serem, causarão a longo prazo efeitos nefastos... passamos a absorver o que nos dizem em vez de usarmos a cabeça.

Tenho pena quando um politico se torna um gestor de marketing...

...quando poderia ter a mais nobre das profissões, melhorar o mundo!

[Adição posterior: Enquanto conduzia hoje lembrei-me de uma das premissas de um bom líder: fazer com que as pessoas sigam voluntariamente o caminho que ele indica. Talvez tenha sobrestimado algumas coisas devido à minha repudiação à cultura da imagem...]

segunda-feira, janeiro 14, 2008

Surreal...



Embora pareça realmente bastante "fish" não aconselho a experimentarem, porque bastantes comentários ao vídeo eram de pessoas que tentaram e... não correu muito bem.

Prevenções à parte...

...teve pinta, ou melhor, chama!

domingo, janeiro 13, 2008

Pintar... não é estragar!


Andava à dias frustrado...

Havia uma ideia que me tinha escapado, e da qual restava apenas a vontade enorme de a passar para "papel", (entenda-se papel virtual), e a frustração de não conseguir lembrar-me, e ainda por cima não ter apontado no meu novo caderninho (era um dos motivos mais fortes para o ter).

Mas numa conversa com uma pessoa 'gótica' lembrei-me!

No "pos-passagem d'ano" que tive vi algo que achei extremamente engraçado, e nada vulgar. Numa das casas em que estive havia uma parede para escrever e desenhar...

Sim leram bem, uma parede onde as pessoas que lá passam podem ir deixando mensagens e desenhos... como as pessoas tem essa liberdade acabam por se esforçar por fazer coisas mesmo interessantes e engraçadas.

Foi algo tão inesperado e tão engraçado que a primeira vez que olhei para a parede achei que era um desenho único, complexo e todo trabalhado...

A minha segunda ideia, algo ridícula, foi "quando eu era puto já queria fazer isto".. isto enquanto me ria sozinho e me lembrava dos riscos apagados por camadas sucessivas de tinta nas paredes da sala dos meus avós.

Conforme fui lendo, e rindo das coisas com piada, ou apenas sem nexo, e admirando os desenhos mesmo bons que lá estavam, alguns dos quais caricaturas de pessoas que tinha conhecido à não muito tempo, ia sorrindo por dentro, e admirando aquela brutal capacidade de ultrapassar as limitações do "vulgar"...

Por fim fiquei a pensar, "quando for grande...

...quero uma coisa daquelas!"

sábado, janeiro 12, 2008

Medo


Ultimamente tenho sentido algum medo...

Nem sou pessoa de sentir grandes receios, normalmente enfrento bem as coisas, algumas mais ou menos nervoso, mas tipicamente enfrento sem medo, com uma confiança em mim e em quem me cerca que as coisas vão correr bem.

Verdade seja dita, tem corrido. Tenho conseguido conjugar tudo o que quero, namorar, amizades, os mil projectos e reuniões mensais e a universidade claro! Mas com o aproximar do fim do curso começo já a projectar os anos mais próximos... ao inicio era extremamente difícil ver-me a trabalhar, era estranho, distante... ultimamente é "apenas" algo aterrorizador...

Sentir que deixo de ter qualquer orientação para ser somente eu a dirigir o rumo do que faço. Que é a sério, como diria o nosso seleccionador "mata, mata"... mais do que isso, penso se estarei à altura das coisas que me pedem...

Sou algo mau e demorado a aprender uma coisa nova, é-me bastante difícil aprender sozinho... por ser tão agreste ao inicio naquela curva de aprendizagem brusca... no entanto pode ser e até é algo provável que é isso que aconteça logo no inicio da minha "vida de adulto".

No entanto, por outro lado, anseio pela vida de adulto, embora tenha tanta coisa mais difícil é o ultimo salto, provavelmente o maior e onde tudo o que está para trás vai ser posto à prova para mostrar o que eu valho. Gosto das coisas que me dão luta, de fazer nascer algo, ou então pegar num projecto e lutar porque chegue a bom porto... espero que isto me dê alento nos momentos que prevejo difíceis num futuro que espero próximo...

A vida de adulto está quase chegar, (espero),...

... mas ainda me estou a mentalizar...

quinta-feira, janeiro 10, 2008

Ordernar o mundo...

Tenho a mania de ordenar o mundo!

Uma amiga minha psicóloga de certo que diria que tenho algum síndroma compulsivo... [Correcção à posteriori: ela diz que é obsessivo, mas segundo ela mesmo assim sou uma boa pessoa, eu engano bem :-D]

Embora não se note pelo meu quarto, gosto de ter tudo muito arrumadinho. Cada coisa no seu sitio, muito certinha.

Se repararem bem nunca tenho, dois posts neste blog no mesmo dia, (exceptuando 2 que relatam 2 situações relacionadas com o mesmo dia especifico).

Podiam pensar que faço uma reflexão diária... isso é o meu objectivo, foi com esse objectivo que as vezes me forço a escrever para pensar nas coisas, é o meu momento de parar e pensar... no entanto mesmo quando consigo todos os dias parar é raro quando consigo imediatamente escrever... vou acumulando ideias, pensamentos...

No entanto, cá estão eles, todos distribuidos por dias, quando na realidade escrevo por "ondas gigantes", aos 3 e 4 posts por dia, e depois passo dias sem conseguir escrever...

Tenho uma necessidade de passar no entanto esta "ordem", fica melhor, menos real, mas melhor, mais bonitinho, mas arrumadinho.

O texto tem que estar com parágrafos bem legíveis, logo separados, tipicamente por blocos de temas mais conexos dentro do tema geral em si, seguindo as regras de escrita de um email.

A imagem alinhada ao meio e no inicio. Eventualmente noutro sitio, se for uma situação muito particular.

O texto final, conclusivo, um fim "à filme" com uma ideia latente.

Sem abreviaturas, sem erros, com a pontuação o mais certa que sou capaz, com o abuso dos 3 pontos, dado que os textos são escritos numa forma mais oral, que recorre mais frequentemente a pausas prolongadas (possivelmente este nem é um uso correcto dos ...)

Títulos ou algo que ache mais piada, com letra maiúscula no inicio de cada palavra.

Post associado ao dia que foi pensado, ou então por uma distribuição o mais normalizada possível.

Etiquetas pensadas por algum tempo, para um dia ser fácil pesquisar. Fúrias de correcção de certo que serão feitas no futuro a apagar etiquetas que nada estão a fazer como a "eu", dado que é um blog centrado em mim, tal como a fúria que tive ao adicionar etiquetas a todos os posts já colocados quando surgiu esta opção.

Preto de fundo escolhido porque se identifica comigo.

Pseudo-intelectuais, porque sempre quis ser um.

Hoje não acabo com a frase final...

...ou afinal sim, mas só p'ra provar que tenho razão sobre mim mesmo!

Ps: Finalmente acabei o "Ladrão de Relações", obviamente deixei-o na "sua" data, mas claro também só p'ra provar que tenho razão sobre mim mesmo.

terça-feira, janeiro 08, 2008

Piratas


Esta é a mais famosa "Jolly Roger", nome dado as bandeiras de navios piratas. Curiosamente a bandeira mais comum era a apenas negra, sem nenhum símbolo. Existiam ainda bandeiras "personalizadas" de capitães famosos tendo, entre outras, um coração em sangue ou um braço com uma espada empunhada.

Curiosidades à parte o que me mais me fascinou num documentário que vi sobre piratas foi o comentário que a democracia, ou uma forma básica dela surgiu nos navios piratas quando tal conceito ainda estava a dezenas de anos de distância das nações mais evoluidas...

Num típico navio pirata as decisões eram tomadas por todos, e todos escreviam o seu nome num documento com a decisão, ainda mais curiosamente, escreviam os nomes em circulo nas pontas do papel, para que não houvesse hipótese de saber quem foi o primeiro a escrever, para que esse não pudesse assumir mais responsabilidade que os restantes.

Também a pilhagem era dividida por todos de igual maneira, excepto pelo capitação que recebia 2 partes. Os bens eram divididos ao milímetro, sendo cortados se necessário.

Também a igualdade era notória, sendo africanos aceites na tripulação como iguais, quando a prática comum da altura era a escravatura.

Ouvi falar de uma citação de alguém famoso que era algo como "a democracia não é boa, mas é o melhor que temos", como não consegui encontrar a citação e por consequencia obviamente o autor deixo aqui em aberto...

Em sítios improváveis...

...nascem sistemas improváveis!

[Citação correcta, (obrigado Flip):

"Ninguém pretende que a democracia seja perfeita ou sem defeito. Tem-se dito que a democracia é a pior forma de governo, salvo todas as demais formas que têm sido experimentadas de tempos em tempos".

Original: Democracy is the worst form of government except from all those other forms that have been tried from time to time.

-Winston Churchill, em discurso na House of Commons, 11 de Novembro, 1947 "]

sábado, janeiro 05, 2008

Argumentos



Numa das "mil" reuniões que tenho tido dum projecto assumidamente cristão argumentava-se sobre a justiça de uma decisão.. sobre o que era correcto e justo.

Após muita argumentação uma das pessoas diz " Mas o amor não é justiça. Amor é amor!".

Se houve argumento que me deixou sem palavras...

...este foi um deles...
...ainda mais, deixou-me altamente pensativo...

sexta-feira, janeiro 04, 2008

Uma conversa...



Esta foi a banda sonora duma conversa que terminou a minha noite de hoje...

... hoje também consegui desaparecer com o vazio ;-)

terça-feira, janeiro 01, 2008

2008!


Arrisquei!

Um convite para uma passagem d'ano duma família que se abriu a mim.

Peace, Love & New Year! - Hippie style!

Arrisquei sabendo que ainda não tinha descoberto a minha passagem d'ano ideal... fui do extremo da reflexão e oração ao da "borga", faltou sempre qualquer coisa... faltava a paz ao deitar num ano novo, a felicidade exprimida nas ruas por uma folia quase sem precedentes nos 365 dias anteriores...

Já me fizeram alguma confusão os festejos, relembrei isso por um texto no MSN de uma amiga "Passagem d'ano? E que tal celebrar a passagem de mês, semana, dia?!"; Lembro-me de pensar com estranheza exactamente o mesmo, porque se celebra este dia?

Pouco a pouco fui respondendo a mim mesmo, perguntando-me "Então porque celebrar o teu aniversário? Também uma celebração anual..."
- Parece que és burro, é uma desculpa!
- Uma desculpa?
- Sim, para juntar os amigos e a família...
- E já agora o que tem isso a ver com a passagem d'ano?
- É outra desculpa... p'ra estar com amigos, e para sonhar com um novo ano.. e olhar para o que passou se tivermos esse à vontade, e essa coragem... e aceitar alegremente a passagem do tempo efémero.

Aquela explosão de alegria é algo que ainda não consegui bem tocar... mas sinto-a muito como um explodir de esperança num futuro já próximo e nos sonhos que este possa realizar...



Entretanto soou a meia-noite, e segundo a tradição está o copo de champanhe erguido e passas contadas (como eu odeio estas tradições, especialmente a parte das passas, podia ser algo mais agradável, tipo chocolate! Acho que me vou empenhar em mudar a tradição :-P).

Menos tradicional, e bastante mais original foi ver um balão de S. João a erguer-se com os papéis dos desejos para 2008, até se ver apenas uma pequena luz e finalmente desaparecer na noite, encadeada por foguetes constantes de todos os tipos e dos festejos eufóricos do país. Isto sim era uma tradição a incentivar, agora passas... eu é que me passo :-P !

Entramos em 2008!

Deitei-me ensonado, mas bem disposto, valeu a pena!

Talvez por não ser muito expressivo ainda não encontrei algo que chame passagem d'ano ideal, mas acho que me ando a aproximar!

Ano a ano, passo a passo estou a avançar...

...e a descobrir para onde vou!

Ps: Lembrem-me: p'ro ano vou implementar a pepita de chocolate ao entrar em 2009! Vou fazer história! Já imagino uma comunidade de apoiantes à pepita!... ou não!