terça-feira, julho 14, 2009

Quando algo é de todos...


Hoje enquanto pensava no campo de férias que vou fazer no verão e em como deve formar os futuros animadores pensava em como o material é mal tratado, descurado, pouco valorizado e se degrada...quando sem ele não poderiamos acampar...

Lembrei aquela velha máxima do que é de todos não é de ninguém...

É engraçado como o que é de todos, pelo menos no sentido de que todos podem usar, mesmo que tenha um dono, por exemplo uma instituição, se degrada mais rápido... e não me digam que é por ter mais uso.

Simplesmente em geral desligamos o botão "ter cuidado" e passamos ao botão "caga nisso"...

Se o carro for meu custa-me se bater com ele.. mas se não houver alguem objectivamente dono... o sentimento de cuidado e até de culpa posterior não cai da mesma forma.

Desmontar uma tenda é aborrecido, e como não é minha e acho que tenho os ferros todos não vale a pena verificar...

É o nosso comodismo a não ser vencido pela falta de necessidade da nossa parte em faze-lo... "se fosse meu, ai já verificava... mas assim deixei passar..."

Parece que regredimos à nossa fase de criança quando ao pegar nos brinquedos que não eram nossos não ligavamos se os estragava-mos, não são nossos...

A educação no sentido de cuidar, pelo menos com tanto cuidado do que é dos outro(s) como do que é nosso parece-me essencial numa sociedade que quer andar para a frente, que quer ser civilizada...

Nessa sociedade podiamos, por exemplo, ter Bugas em Aveiro sem as pessoas as levarem para casa e lentamente desaparecerem dos locais onde foram disponibilizadas...


Por agora para que em muitos casos cada um cuida de si e no máximo dos amigos...

...deve ser da crise... as doses de civismo devem estar caras...

Sem comentários: