quinta-feira, outubro 29, 2009

Amas realmente?



Hoje numa formação conclui que o meu desvio predominante de personalidade é o paranóide, seguido do obsessivo-compulsivo com um toque de fóbico.

Ironicamente baste certo com a filosofia de focar um inimigo para o fortalecimento da equipa de Carl Schmitt, que percebi que muitas vezes seguia (e que já tinha falado aqui).

Também percebi que provavelmente comecei por ter predominância de fóbico, passando depois a ter predominância de obsessivo compulsivo e por fim cheguei aqui.


Tocamos também na nossa limitação social lógica do amor.

Social e racionalmente limitamos o máximo de amor que temos por alguém, isto é, se podemos amar 100%, sendo que isso é deixar tudo por esse amor, viver para ele, por ele, ser o centro da nossa vida, darmos a vida por ele se for preciso... hoje em dia consideramos isso um exagero então limitamos essa capacidade para 80, 70, 60, 50%...

É fácil perceber que não chegamos aquele topo, porque se uma relação de 100% terminasse, passaríamos a odiar essa pessoa, segundo Sigmund Freud, duma maneira tão forte e intensa como a amávamos... aquele ponto em que em vez de darmos a vida por ela, apetecia mata-la.

Não chegando a esse ponto, Sigmund Freud diria que nunca amamos realmente.


Obviamente foi uma protecção nossa, social, racional... é curioso pensar nisto.. de como cada vez mais diminuimos as nossas capacidades, quase sempre propositadamente...


Diríamos que é para sermos mais saudáveis... talvez, mas será que também não é isso que está a levar a relações menos fortes, mais levianas que acontecem cada vez mais...



Por hoje chega de psico-análise...

...mas lá voltarei!

1 comentário:

António Valério,sj disse...

Nunca tinha pensado nisso, mas tem alguma verdade. Quando estamos apaixonados, os nossos dias existem em função de quem se ama... é difícil fazer uma gaveta à parte para o amor. Por isso é tão completo. Há uma coragem que nos faz entrar nele, reduzi-lo, mesmo que seja prudente pode ser já traí-lo. Só o amor verdadeiro dá confiança.
Boa semana e gostei muito ;)