segunda-feira, novembro 02, 2009

The Invention of Lying



Muitas vezes perguntamos-nos como seria se não houve mentiras...

Este filme dá uma visão muito interessante, e que faz pensar sobre o que é não existe mentira.. e sobre se ela é necessária ou não.

Neste filme, um homem, apenas um homem no mundo sabe mentir e aprende isso apenas a meio da sua vida...

Neste filme conseguimos ver as situações constrangedoras que evitamos com as "mentiras simpáticas" tornarem-se reais numa normalidade do ingenuamente verdadeiro, que se transforma no cómico pelo genial Ricky Gervais.

Vemos as pessoas num estado mais natural, ou menos socialmente convertido, como se aqueles momentos em que em crianças olhamos fixamente para uma pessoa com alguma deficiência ou dizemos "ele é gordo" tornarem-se banais.

Temos as situações caricatas em que dizemos coisas do foro intimo que nunca revelaríamos...

Percebe-se por ele que a mentira, mais que uma opção pessoal, é uma escolha social, que é usada na generalidade para evitar situações consideradas inconvenientes.

Se os meios justificam os fins... cabe a cada um julgar... eu diria que não, mas não sou ninguém para o dizer sendo que eu próprio o faço.


Viver neste mundo seria ao primeiro olhar muito "violento"...

...mas acho que preferia viver lá...

2 comentários:

An@ disse...

Adorei a ideia mas sim, seria meio "assustador" algumas coisas serem ditas com toda a sinceridade e "frieza" que, muitas vezes, a verdade tem. :) mas espero bem ver este tesouro comico :)

mp disse...

ana, ninguem disse que seria facil, mas se calhar, ser verdadeiro com o outro, faz olhar para dentro de uma outra forma..
não há mascaras, não há mentira, não há rodeios, nem faz de conta, e sabes perfeitamente com o que podes contar e com o que podes ter...mas tb há medo de falar, há susto, há frieza drastica, há dificuldade em não dizer tudo..e há im/compreenção...

tal como diz o pedro, é duro e cada um sabe de si, mas eu perferia viver lá..