quinta-feira, outubro 29, 2009

Amas realmente?



Hoje numa formação conclui que o meu desvio predominante de personalidade é o paranóide, seguido do obsessivo-compulsivo com um toque de fóbico.

Ironicamente baste certo com a filosofia de focar um inimigo para o fortalecimento da equipa de Carl Schmitt, que percebi que muitas vezes seguia (e que já tinha falado aqui).

Também percebi que provavelmente comecei por ter predominância de fóbico, passando depois a ter predominância de obsessivo compulsivo e por fim cheguei aqui.


Tocamos também na nossa limitação social lógica do amor.

Social e racionalmente limitamos o máximo de amor que temos por alguém, isto é, se podemos amar 100%, sendo que isso é deixar tudo por esse amor, viver para ele, por ele, ser o centro da nossa vida, darmos a vida por ele se for preciso... hoje em dia consideramos isso um exagero então limitamos essa capacidade para 80, 70, 60, 50%...

É fácil perceber que não chegamos aquele topo, porque se uma relação de 100% terminasse, passaríamos a odiar essa pessoa, segundo Sigmund Freud, duma maneira tão forte e intensa como a amávamos... aquele ponto em que em vez de darmos a vida por ela, apetecia mata-la.

Não chegando a esse ponto, Sigmund Freud diria que nunca amamos realmente.


Obviamente foi uma protecção nossa, social, racional... é curioso pensar nisto.. de como cada vez mais diminuimos as nossas capacidades, quase sempre propositadamente...


Diríamos que é para sermos mais saudáveis... talvez, mas será que também não é isso que está a levar a relações menos fortes, mais levianas que acontecem cada vez mais...



Por hoje chega de psico-análise...

...mas lá voltarei!

sexta-feira, outubro 23, 2009

Marketing



O pensamento que retenho de hoje, é algo que já tinha estudado e percebido.

O marketing responde a necessidades das pessoas...



...não as cria.

quinta-feira, outubro 22, 2009

Filosofia perdida


Acabei hoje de ler este livro.

Confesso que já tinha saudades de ler. Estar a desfolhar concentrado num bom livro é das melhores coisas...

Ironicamente foi uma série que gosto bastante, (vá MUITOO), que me puxou para ler. Comecei por ler por curiosidade, "vamos lá ver o que sai daqui".

Confesso que tenho o hábito de comprar livros assim, gosto da capa, do tema, ou assim.. e levo para casa. Geralmente tenho sorte, porque saem livros mesmo interessantes, desta vez não foi excepção.

Alias, este livro foi muitíssimo interessante, para mim que gosto de filosofia, e mesmo de psicologia.

A verdade é que fala de conceitos base sobre como vemos o mundo, porque socialmente agimos assim e faz e tenta responder a todo um conjunto de questões como, "a nossa vida tem sentido?", "existe um criador?", tudo de um ponto de vista de gente que digamos que dedicou a vida a pensar bastante nisto, alguns dos mais famosos filósofos.

O fim confesso que me destruiu por uma linha de filosofia relacionada com o sentido da vida... mas não vale a pena falar muito disto, até porque ainda tenho a certeza que absorvi muito pouco do conhecimento, tenho que ler as obras mesmo deles.

A meio do livro, surgem vários conceitos que me parecem no entanto a não esquecer.. por exemplo o conceito de Carl Schmitt, (que um passado obscuro), que teorizou que é necessário haver um inimigo para a formação de uma sociedade.. por exemplo, considerarmos Espanha um inimigo vai fazer Portugal unir-se mais, o que achei muito curioso, e que percebi que de facto usava como metodologia de união, sem me aperceber.

O conceito de ideologia foi um que achei também interessante, sendo que uma ideologia é algo que é socialmente construido, parecendo ser a norma, sendo tomado como certo tornando-se um sistema de crenças que é tomado como a verdade.
Gostei especialmente da analogia em que falavam de uma ideologia ser um par de óculos com que vemos o mundo, nem nos apercebemos deles e parece a única forma de ver. Assim que percebemos que temos os óculos, a ideologia deixa de o ser, podendo ser conscientemente afastada.

Existe ainda a ética de amizade, em que se realça, um cliché, que um amigo ajuda outro sem que isso seja com intenção que da "próxima" seja ao contrário.

Outro dos momentos surpreendentes é quando São Tomás de Aquino surge mencionado, e refere uma citação da Bíblia "Está sempre pronto para dar uma explicação, a quem te peça uma razão para a tua fé" (1 Pedro 3:15), esta frase relaciona-se muito com a minha maneira de pensar, que se deve ter uma fé racional e tornou-se claramente a minha citação favorita da Bíblia (confesso que não tenho uma "relação" muito pacifica com ela, mas isso fica para outro dia..).

Existe ainda muito mais...

... mas deixo para quem gostar de LOST e de filosofia para ler...

quarta-feira, outubro 21, 2009

Diabo na Cruz




Há algum tempo andava morto musicalmente.. ou seja, não surgia nenhuma música que realmente apelasse ao meu ouvido.

Hoje enquanto ouvia a Antena 3 surgiu uma pequena maravilha do nada, chamada Diabo na Cruz (podem ouvir aqui, recomendo o Loucos estão certos - letra da música).

Gostei do estilo louco e bem disposto...

...acho que estou viciado!

terça-feira, outubro 20, 2009

Loop em vídeos do YouTube



Para quem gosta como eu de as vezes derreter o cérebro a fazer loop em vídeos de conteúdo musicalmente.. bom.. podem "por" um botão loop no YouTube.

Caso tenham o Firefox instalem o Greasemonkey e depois vão aqui instalar o Loopy et voilá aparece aquele botão da imagem muito agradável :-)

Para quem usa Opera pode adicionar aos "user scripts" o Loopy (não adiciono aqui detalhes, porque não uso Opera, mas basta googlarem e acham facilmente como o fazer).

Para quem não usa o Firefox nem Opera, pode usar isto.


Ide e loopai...

...podeis começar aqui.