sábado, janeiro 09, 2010

Conceitos de beleza


Tenho uma relação amor-ódio com o conceito de beleza.

Primeiro que tudo, o conceito de beleza humana é intuitivo mas complicado, para mim, de aceitar pelas suas consequências.

Vivo pela filosofia que somos todos iguais e que devemos ter todos as mesmas oportunidades... e se refutar que a inteligência média de um humano não difere muito é relativamente fácil (pelo menos para já, dado que os factores externos são difíceis de quantificar).. a beleza estética já é mais complicado... e isso não é muito fácil de assimilar para mim.

A verdade é que como a generalidade das pessoas sinto mais empatia por pessoas que sigam o padrão de beleza ocidental, pelo menos à partida. Mas é algo contra o qual luto.. porque é à partida um principio de selecção, mas um com grande probabilidade de falha... na realidade a pessoa pode ser muito mais antipática, burra ou sem sal.

Esta condicionante inicial parece limitar o olhar. Um dos casos mediáticos que é fácil de perceber é o de Susan Boyle... provavelmente nunca chegaria ao sucesso pelo seu aspecto, se não fosse aquele programa.

Das figuras públicas é esperado que tenham um aspecto fisico excepcional, especialmente das mulheres, porque isso cria logo empatia masculina. As qualidades profissionais podem-se ir ganhando depois...

Curiosamente até os filmes de Hollywood tem por vezes uma caricatura (que se aplica a eles mesmos), quando nas comédias românticas pega num rapaz que se apaixona pela miúda mais gira... mas que não tem nada a ver com ele e acaba por perceber isso. Por exemplo no American Pie, a Nadia vs a Michelle (band camp geek).

Um dos momentos que mais gosto relacionado com isto, é o caracterizado pelo filme Einstein and Eddington no fim do filme, em que a teoria de Einstein finalmente é tida como verdade, e os jornalistas enchem o prédio, e batem à porta. Lá dentro a amante de Einstein diz-lhe para ele se arranjar para ir falar com os jornalistas, dado que tinha um aspecto despenteado, e pouco arranjado. Ele anui e repentinamente despenteia-se mais, tira a camisa de dentro das calças, torce ainda mais a gravata.. e abre a porta, sendo o resultado algo que devem conhecer...


Acho que julgar as pessoas pelo aspecto é a questão base que quero ultrapassar, que luto contra as minhas primeiras tendências...

...porque acho que, ao contrário da intuição, só tenho a ganhar com isso!

5 comentários:

An@ disse...

:) like it

Su disse...

Fizeste-me lembrar um trabalho que fiz no 10º ou 11º, em Filosofia, cujo tema era "O que é a beleza?". Nessa altura, fui ver ao dicionário o significado e "filosofei" à volta do conceito. Só quando pensamos nele é que percebemos como é subjectivo e está interligado com tanta coisa (cultura, época, fé, mente, função...).
Enfim... gostei da tua reflexão.

relâmpagos cinzentos disse...

parabens pelo blog.... costumo passar por aqui varias vezes, pensamentos que dao que pensar ;)

Elly disse...

Concordo 100% :)

As pessoas são como um livro não se deve julgar-las pela "capa".

Elly

Anónimo disse...

Bobão...