sexta-feira, março 19, 2010

Porque me irrita o futebol...


Desde pequeno que nunca fui como a generalidade dos portugueses um grande apreciador de futebol.

Primeiro lembro-me de pensar como tinha pouca piada, 90 minutos e as vezes sem golos... era muito mais giro o basket por exemplo, em que a cada minuto havia cestos e jogadas engraçadas, ou outro desporto..

Depois sempre achei mais piada a praticar desporto do que a ver. Melhorar as minhas capacidades em vez de admirar as dos outros sempre me pareceu uma coisa mais interessante.

Mas conforme fui crescendo, fui percebendo e até encaixando algumas das coisas que agarram no futebol, especialmente pela selecção, com o Euro 2004.

O futebol é um desporto de emoção e convívio, em que escolhemos uma equipa, por um motivo geralmente pouco racional, e que a partir dai defendemos com todos os argumentos. É uma relação afectiva com algo, coisa que socialmente começamos a ter pouco. Temos a envolvencia de mais gente à nossa volta, e quando mais "atacam" o nosso clube mais nos apegamos a ele e o defendemos ao mesmo tempo atacando o outro...

É portanto um ciclo vicioso interessantíssimo de estudar socialmente. Torna-se o mínimo múltiplo comum, aquele tema que para além do tempo podemos falar com qualquer pessoa, e animar qualquer conversa, com teorias e polémicas... ao contrário de um tema mais profundo que menos gente se interessaria, teria vontade de falar ou teria conhecimentos para o fazer...

Faz-me confusão.

Em geral, puxa-nos para o menos racional, porque vive disso. Do nosso amor à camisola, e ao símbolo, à instituição, que todos os anos muda os representantes dentro de campo, e muitas vezes os fora de campo e que pouco mais tem de comum com o passar dos anos do que o símbolo e nome.

Engraçado que se fala cada vez mais nos extremistas religiosos e se é cego aos extremistas do futebol que em claques tem uma tendência de estupidez pura e destruição... como a generalidade dos grupos de pessoas grandes que quando se junta parece perder a racionalidade que têm como indivíduos para regredir ao macaco que vive neles.

Mais do que isso, um factor que faz o futebol ter sucesso são as conversas de café, é ai que ele vive, em cada um dos 10 milhões de treinadores de bancada... E não é incosciente, os líderes do futebol internacional tem consciência disto, tanto que ano após anos mostram-se relutantes em introduzir elementos tecnológicos que retirem as decisões erradas, ou incertas que alimento essas mesmas conversas...

Provavelmente, aprenderam com o que aconteceu com o Xadrez.. quando chegou ao cúmulo da evolução tecnológica em que a máquina já era mais importante que o homem (e o vencia) deixou de ter importância e se tornou radicalmente menos falado e interessante no mundo.



Se é verdade que a importância que lhe dou é igual, quase nula...

...agora vejo mais, pergunto-me se estarei a ser vencido interiormente...

Sem comentários: