domingo, outubro 30, 2011

Espero não saber parar.


Ouço imensas vezes pessoas mais velhas com a frase "já não tenho idade para isso". Vejo também uma resignação.. quando eram novas não aprenderam a usar um computador.. por isso não era agora que iam aprender..

Faz-me alguma confusão esta resignação.  Ter sempre ansia de saber e fazer, dentro dos limites fisicos que não tenho ilusões que existem, mas sem preconceitos.

Ainda há dias me falaram de uma senhora de 80 anos que ainda faz o pino porque pratica à dezenas de anos ioga.

Quem diria que ela o iria conseguir fazer?

Ela provavelmente nunca teve dúvidas que havia pelo menos a possibilidade de o conseguir.


Espero não saber parar...

...nem me resignar.

sábado, outubro 29, 2011

Reality Shows


"Reality show é um tipo de programa televisivo baseado na vida real. Podemos então falar de reality show sempre que os acontecimentos nele retratados sejam fruto da realidade e os visados da história sejam pessoas reais e não personagens de um enredo ficcional




Exemplo deste é o programa mundialmente conhecido, Big Brother criado em 1999 por John de Mol."


Hoje em dia cada vez mais tipos de reality shows surgem, e geralmente com audiências que ganham a "guerra" do share.

Existem várias discussões entre os que acham que é uma forma de entretenimento (válida) e os que acham que é um incremento na degradação social. A verdade é que mais do que julgar o que é tenho pensado porque é que tem sucesso.

Pessoalmente vi o primeiro dos Big Brothers, o inicio de um tipo de televisão diferente do que estava habituado. Já não eram personagens a falar em Português do Brasil, ou heróis a falar Inglês, mas pessoas reais, em Português a passarem por situações reais. Achava desse ponto de vista, e sabendo que elas eram inocentes (do ponto de vista de não saberem a mediatização nem levarem a coisa realmente apenas como realmente um jogo), uma experiência social interessante (com consequências para elas.. mas isso é outra história).

Lembrava-me imensas vezes da teoria de que se várias pessoas estivessem num espaço fechado, com outras pessoas, mesmo que inicialmente não se atraíssem, mais tarde ou mais cedo iriam juntar-se em casais (e na realidade aconteceu..). Basicamente era uma sociedade em ponto pequeno, uma espécie Lord of the flies em versão mais labrega.

Mas mais do que qualquer racionalização o que nos faz ficar ligados são os sentimentos. Hoje em dia há um proteccionismo dos nossos sentimentos reais.Evitamos muitas vezes dizer o que sentimos (pensamos).. é mais fácil, cria menos conflitos, e sobretudo não temos que nos expor...


O conceito de reality show inverte essa tendência (para um outro oposto que não defendo), fazendo-nos assim sentir que conhecemos aquelas pessoas, que rimos quando elas riem, que choramos quando elas choram, querendo que aquela pessoa com que nos identificamos fique mais tempo no programa.. senão deixamos de a ver todos os dias.


Não acho que os reality shows sejam coisas muito construtivas nem que seja uma coisa construtiva vê-los...


...mas acho que percebo porque muitos os vêem.

quinta-feira, outubro 27, 2011

quinta-feira, outubro 13, 2011

Pré-conceitos?