terça-feira, novembro 15, 2011

TEDxCoimbra 2011



Depois de em 2010 ter adorado, este ano voltei à TEDxCoimbra, este ano num grande espaço que foi o Conservatório de Coimbra.

Ficam em cima os vídeos a testemunhar o que lá aconteceu!

Há mais uma coisa a partilhar..

...mas isso fica para um futuro post!


[Actualização: Já em 2012, actualizei este post para ter o link do que tinha para partilhar]

domingo, novembro 13, 2011

Afinal o que é o T?

Durante uma viagem de carro perguntaram-me:
- Olha o que é o T de T0, T1, etc?
- Eu obviamente respondi, "É o número de quartos.."
- "Não, o que quero saber é o significa o T..."

Fiquei curioso... e fui à procura...



Depois alguma persistência e com alguma ajuda encontrei:


"T" refere-se à tipologia do imóvel. O algarismo indica o número de quartos.

O imóvel conta ainda com uma sala para obter o número de assoalhadas. Isto é, T1=2 Assoalhadas; T2= 3 Assoalhadas, etc. Quando tem um “+”, T2+1, por exemplo, indica que existe uma divisão adicional de dimensões reduzidas, contígua ou interior. Se for um T2+1, é um imóvel com quatro assoalhadas: 2 quartos + 1 sala + 1 divisão extra.




Mas fiquei curioso quanto à origem inicial do termo e achei uma indicação que viria do "Regulamento Geral das Edificações Urbanas de 1951". Fui à procura do tal regulamento e embora não tenha encontrado o de 1951 achei este, que indica na página 20 o curioso facto:


É engraçado como há coisas no dia-à-dia que não fazemos ideia a origem mas que são normais para nós de usar...

sábado, novembro 12, 2011

Economia do tempo

Ontem fui ver o In Time ao cinema...




"Num futuro, não muito distante, as pessoas param de envelhecer aos 25 anos, e têm de trabalhar para comprar mais tempo de vida."



Para além de achar o filme brilhante na sua concepção e critica subjacente fiz imensos paralelismos com o nosso sistema económico. 

Também no nosso, o capitalismo dita que muitos tenham muito pouco e eventualmente até morram, para que poucos vivam no maior luxo. A falta de noção de outras realidades sociais também é muito bem mostrada neste filme. Os que tem muito tempo não tem a mínima noção do que é ter 1 dia ou horas de vida...

Mudar este sistema, ou acabar com ele, como é tentado no filme parece-me inviável, pelo menos apenas tentando mudar a apenas lógica económica porque alguma tem que existir. A lógica económica é um reflexo puro do que somos enquanto sociedade. Se não mudarmos o impulso social nenhuma nova maneira económica vai ser suficientemente equilibrada.

O único índice actual de valor é a raridade. Quanto mais raro foi um item há uma probabilidade maior de ser mais valioso porque havendo pessoas a querem te-lo vão ter que competir.

Existirá outro método para indexar o valor de algo?

Conseguiremos dar o salto para outra mentalidade não capitalista?


E mesmo que consigamos, como vamos manter a nossa viabilidade social quanto tivermos mais pessoas vivas do que recursos disponíveis?


Ps: Dei-lhe 9/10 no imdb.