sábado, novembro 10, 2012

O Amor (segundo Hollywood)


O amor é algo que surge só num olhar. As pessoas cruzam-se na rua, e pronto, já está. Nem é preciso conhecerem-se, podem ter gostos radicalmente diferentes, e até ter opiniões radicalmente contrárias, mas se o primeiro olhar na rua foi fulminante está feito.


Vão começar uma relação que só irá terminar no amor eterno. Entretanto, até lá chegarem a sua relação vai ter problemas imensos de comunicação, normais claro, até porque quem ama à primeira vez também não está muito habituado a entrar em conversas, é mais de acção. Acção como quem diz, sexo, muito e rápido, quanto mais rápido melhor.


Nenhuma das pessoas vai falar com a outra sobre os problemas da relação, vão falar com amigos, alguns deles mútuos que vão criar situações para que as coisas se resolvam e por magia do amor elas vão resolver-se. 

É portanto fundamental que independentemente do motivo e do número de vezes que uma relação seja terminada por uma ou ambas as partes, se tente tudo para que a relação recomece. 

Entretanto, geralmente para dar emoção à coisa, pelo menos uma das pessoas deve abdicar não só do orgulho mas também do amor próprio, porque todas as relações que (re)começam com alguém a abdicar de si mesmo vão obviamente resultar. Houve um esforço que só pode resultar nisso!

Toda a gente sabe não podemos ser sinceros no amor, tem que se guardar as coisas para si, e só dizer num momento de emoção fulminante, onde ambos choram. Só no limite é que se faz isso. 

É óbvio também que se tem que estar sempre aberto para o amor. Mesmo que se esteja numa relação.. nunca se sabe quando um amor verdadeiro vai realmente aparecer. Até porque quando alguém trai alguém duma relação anterior para começar outra connosco, que é esta sim de amor verdadeiro, nunca nos irá trair. Afinal este é o amor verdadeiro.

É também claríssimo que no amor não abdicamos de nada. Somos exactamente igual a antes. 

No amor não há monotonia e geralmente é tudo espectacular. No amor há também pouca conversa, porque o outro sabe exactamente o que nós pensamos, por isso nem é preciso falar.



Nunca esquecer: a beleza é o mais importante. A personalidade gere-se com o tempo. Podemos moldar a pessoa até aos nosso ideais.... 



O ironia também se usa em Hollywood... mas neste caso foi usada por mim. No fim de contas acho mesmo é que no amor de Hollywood há pouco ou nenhum amor. Infelizmente é este "amor" que muita gente procura e vive...

Sem comentários: