segunda-feira, julho 30, 2012

1 Ano


quarta-feira, julho 18, 2012

Os Irmãos Karamazov



Acabei de ler um dos livros mais brilhantes que já li. Se acreditasse em destino diria que estava guardado na estante do meu pai desde 1984, (antes de eu nascer portanto), para eu o ler...ainda na sua edição de um volume só. 

A narrativa trata da história de uma conturbada família em uma cidade na Rússia. O patriarca da família é Fiódor Pavlovitch Karamázov, um palhaço devasso que subiu na vida principalmente devido aos dotes de suas duas mulheres, ambas mortas de forma precoce, e à sua mesquinharia. Com a primeira mulher tem um filho, Dmitri Fiodorovitch Karamázov, que é criado primeiramente pelo criado que mora na isbá ao lado de sua casa e depois por Miússov, parente de sua falecida mãe. Com a segunda mulher tem mais 2 filhos: Ivan e Aliêksei Fiodorovitch Karamázov, que são criados também por um parente da segunda mulher do pai de ambos. Ao passo que Ivan se torna um intelectual, atormentado justamente por sua inteligência, Aliêksei se torna uma pessoa mística e pura, entrando para um mosteiro na cidade. 
De uma querela financeira entre o pai e seu primogénito  também devasso porém honrado, nasce também a disputa por uma mulher, Gruchénka, que levará ambos a descomedidos atos que resultarão na morte de Fiódor Pavlovitch Karamázov.

Após o ler fui pesquisar. Tinha achado o livro genial, mas o fim estranho. Descobri que infelizmente o livro não contém toda a história, mas é apenas o primeiro dos capítulos... Dostoiévski morreu antes de terminar o que já era a sua obra prima. A obra final completa seria sobre a vida de Alieksiéi, coisa que Dostoiévski  declara logo no início do prólogo:

Ao começar a biografia de meu herói, Alieksiéi Fiódorovitch, sinto-me um tanto perplexo. Com efeito, se bem que o chame meu herói, sei que ele não é um grande homem; prevejo também perguntas deste género  "Em que é notável Alieksiéi Fiódorovitch, para que tenha sido escolhido como seu herói? Que fez ele? Quem o conhece e por quê? Tenho eu, leitor, alguma razão para consagrar meu tempo a estudar-lhe a vida?"

E que prólogo! Passadas um par de páginas já me tinha conquistado com a sua provocação indicando que os críticos poderiam apenas ler o prólogo e ir criticar, enquanto que quem realmente gostasse da obra prosseguiria.

Tenho pena de não ter memória fotográfica, para ter memorizado diálogos inteiros no convento, que atinge um auge de reflexão brilhante.


Descobri que existe também a versão em filme, que ainda não vi, mas que receio que não conseguir captar em apenas 2 horas a força completa das palavras e reflexões do livro que me acompanhou alguns meses. Descobri que está disponível do YouTube portanto aqui fica:



"O mistério da existência humana não consiste em viver por viver, mas ter um sentido de vida." 

"Não se pode acreditar à força. Além disso, nas questões de fé, as provas não ajudam, especialmente as materiais. Tomé acreditou, não porque viu Cristo ressuscitou, mas porque já antes desejava acreditar."

Fiódor Dostoiévski em "Os irmãos Karamazov"


A minha vontade de ler os "clássicos" já estava a crescer.. aumentou radicalmente depois de ler este!